Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

sábado, 7 de março de 2009

Ediçao nº 97 - Fevereiro/2009

Paisagens de Brumadinho

Ipês no bairro do Jota, na Rua Rio Paraopeba com São Francisco
Edição nº 97 – Fevereiro/2009
Prefeito quer criar mais secretarias e mais 14 cargos
O prefeito Nenen da ASA (PV) enviou à Câmara o Projeto de Lei 03/2009, que aumenta para 12 o número de secretarias que era de apenas 9 e ainda cria uma série de cargos. Se antes a Prefeitura contava com 9 secretários municipais, um controlador interno e 4 secretários adjuntos, agora passa desses atuais 14 cargos para nada menos do que 24, um acréscimo de 10 cargos. Só com esses cargos comissionados, a despesa passa de 60.091,70 mensais para R$ 103.181,50, um aumento de R$ 43.089,80 na Folha de Pagamento. O aumento de R$ 43.089,80 significa um aumento de mais de meio milhão anual, isso, apenas em salários. O montante pode chegar a aproximadamente 700 mil anuais, R$ 3.000.000,00 (três milhões de reais) ao final da Administração.

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 5

Dois anos e meio da Lei Maria da Penha

Edição nº 97 – Fevereiro/2009

Editorial Editor Reinaldo Fernandes

"A Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) é a primeira lei federal dirigida à prevenção e ao combate à violência doméstica e familiar contra a mulher, sancionada pelo Presidente da República em 07 de agosto de 2006.
A Lei Maria da Penha emerge de uma história de, pelo menos, trinta anos de lutas dos movimentos de mulheres e de um contexto no qual foram fundamentais os esforços de organizações feministas não governamentais, dos movimentos de mulheres, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (Governo do Presidente Lula), de parlamentares, de articulações internacionais, almejando construir a primeira lei federal brasileira de prevenção e combate às violências perpetradas contra as mulheres nas relações domésticas e familiares.
Essa Lei nasce, também, da luta incansável e emblemática travada durante anos pela cearense Maria da Penha Maia Fernandes pela punição de violências sofridas de seu marido e da histórica decisão da Corte Internacional de Direitos Humanos da Organização dos Estados americanos – OEA – a seu favor.
Nesses dois anos e meio de sua vigência, a Lei 11.340/2006 tem impulsionado políticas públicas, em especial, a criação, pelos governos estaduais, de Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. Seu conhecimento tem sido ampliado pela ação das organizações feministas e dos movimentos de mulheres e através da mídia que tem dado visibilidade a essa Lei através de reportagens e depoimentos de mulheres vitimas de violência.
Nesses dois anos também surgiram reações contrárias à Lei que, em alguns estados, têm emperrado a sua plena aplicabilidade. Tais reações são indicadores do quanto ainda vigora na sociedade, incluindo no Poder Judiciário, a dificuldade de reconhecer que a violência contra a mulher é uma grave violação dos direitos humanos. Indicam, também, o desconhecimento da Convenção para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres, aprovada pela Assembléia Geral das Nações Unidas, e da Convenção para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra as Mulheres – Convenção de Belém do Pará, aprovada pela Assembléia Geral da Organização dos Estados Americanos que, assinados e ratificados pelo Estado Brasileiro, tem força de lei interna. Tais Convenções, articuladas a diversos documentos internacionais que incluíram a preocupação com a violência contra a mulher, como, por exemplo, a Declaração da Conferência Mundial de Direitos Humanos (Viena, 1993), as diversas recomendações do Plano de Ação da Conferência de População e Desenvolvimento (Cairo,1994) e da IV Conferência Mundial da Mulher (Beijing, 1995) e as Recomendações Gerais de diversos Comitês das Nações Unidas foram fontes de inspiração doutrinária para a elaboração da Lei Maria da Penha."
Nesses dois anos, a sociedade brasileira tem muito o que comemorar, mas tem, principalmente, de acompanhar e exigir o cumprimento pleno da Lei Maria da Penha e continuar na sua difusão ampla por toda a sociedade de forma a consolidar uma cultura jurídica nova voltada para o reconhecimento do direito das mulheres a uma vida sem violência. A cada cidadão brumadinense, e a cada cidadã, em especial, cabe enfrentar a violência, e denunciá-la: a violência contra as mulheres, também aqui em Brumadinho, é, muitas vezes, silenciosa, praticada por homens de todas as classes, inclusive aqueles livres de qualquer suspeita.

Lei Maria da Penha comemora dois anos

Edição nº 97 – Fevereiro/2009

O século XX foi marcado por conquistas de direitos das mulheres. Em cada vitória alcançada, a certeza de novas lutas e com passos firmes, as mulheres ingressaram em escolas, universidades e no mercado de trabalho. Os salários ainda apresentam diferenças entre os gêneros e os altos índices de violência doméstica demonstram que o machismo é fator presente na sociedade brasileira.
Nesse início do século XXI, considerando os avanços, temos ainda muitos desafios pela frente. Em 2001, a Fundação Perseu Abramo chocou o país com a primeira pesquisa de abrangência nacional sobre as brasileiras e revelou que a cada 15 segundos uma mulher era espancada. A intensa mobilização das mulheres resultou na aprovação da Lei nº 11.340/2006, intitulada Lei Maria da Penha que cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher e define que qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial é uma violência contra a mulher.
Em vigor há dois anos, a Lei Maria da Penha já promove alterações no cenário. Apenas no primeiro ano da lei, foram feitas mais prisões em flagrante de agressores do que nos últimos vinte anos. Além das prisões, há uma busca maior de informações sobre os direitos previstos na lei. Em 2007, mais de 10 mil processos foram instaurados e em 50% deles, medidas para impedir que o agressor chegue perto da vítima foram aplicadas. Foram presos 900 agressores. Só em belo Horizonte, foram 600 ocorrências registradas, todo mês, na delegacia de atendimento à mulher. A maioria relacionada a agressões físicas e ameaças. Os registros revelam que a violência não acontece apenas entre casais heterossexuais, mas homossexuais, e entre irmãos e filhos contra a mãe, irmã, avó, dentre outros. O Governo Federal criou a Central de Atendimento à Mulher, no serviço de utilidade pública 180, que presta orientação às mulheres de todo o país.

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 7

Perfil: Maria Zita da Silva, Mulher com “M” maiúsculo

Edição nº 97 – Fevereiro/2009
Ela já foi professora nos áureos tempos do Pe. Vicente Assumpção na Assistência Educacional Juventina Brandão. Pode ser vista na Igreja Católica, sempre foi vista no Asilo, onde já ocupou sua diretoria. Ou na Sociedade São Vicente de Paula, no seu Conselho Central ou em alguma conferência. Desde 1979, pode ser encontrada na nossa agência de correio, responsável pela unidade desde sempre. É mãe dos jovens Taís e Tiago, casada com Antônio do Carmo. Maria Zita da Silva, Zita, como é conhecida, nos recebeu em sua casa, e nos falou da tristeza de ver mulheres espancadas, da necessidade de que as mulheres denunciem a violência e da busca do diálogo. Zita se entristece com adolescentes se envolvendo em drogas, e, principalmente, com o preconceitos, mas acha lindo o trabalho social desenvolvido pelos evangélicos, espíritas e católicos de nossa cidade. E acredita na força da mulher, no seu poder, na sua determinação.

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 7
Edição nº 97 – Fevereiro/2009
“Carnaval 2009: um presente de Nenen da ASA para a família brumadinhense”

O Prefeito Nenen da ASA (PV) cumpriu um de seus compromissos de campanha e realizou o carnaval. A avenida ficou bonita, com um arco que protegia as cabines de som e parte dos foliões, toda enfeitada. O fato de não ter tido a presença de bandas em nada atrapalhou o brilho da festa. A Administração usou de um artifício utilizado pelo Partido dos Trabalhadores em 1999, quando o PT, depois do impeachment do então prefeito Gibiu, realizou o carnaval: avenida enfeitada, organização, som mecânico e um Dj (“djidjei”) comandando as pickups. Ficou tão bom que a galera se reunia diante da mesa de som como se tivesse diante da banda. Os bares fecharam suas portas à 1 hora e 30 da manhã, o que contribuiu em muito para que não acontecessem brigas e outros problemas que geralmente acontecem no fim da madrugada.
Mas nem tudo foi confetes e serpentinas! Houve flagrante desrespeito à lei maior do País, a Constituição Federal. Ao microfone, anunciando a passagem dos blocos, Varlei Duarte, locutor contratado pela Administração Municipal, não parava de repetir o bordão: “Carnaval 2009: um presente de Nenen da ASA para a família brumadinhense!” e tentava passar a idéia de que o carnaval, e toda sua infraestrutura, e todos os gastos tinham sido pagos com dinheiro do bolso de Nenen da ASA. Segundo a CF, “a publicidade dos atos (...) dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”.Cabe ao Ministério Público tomar as providências para que no próximo ano o fato não se repita.
Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 6

Aprovação a Lula sobe a 84% e bate novo recorde

Edição nº 97 – Fevereiro/2009

As avaliações positivas do governo e a aprovação pessoal do presidente
Luiz Inácio Lula da Silva (PT) atingiram, em janeiro, níveis recordes na série histórica da pesquisa CNT/Sensus. A despeito dos sinais de impacto da crise financeira internacional sobre a economia doméstica, a aprovação ao presidente Lula passou de 80,3%, em dezembro, para 84% em janeiro. A desaprovação ao presidente diminuiu de 15,2% para 12,2%. A avaliação negativa sobre o governo recuou de 6,4% para 5%, enquanto a avaliação regular ficou praticamente estável, passando de 21,6% para 21,7%.
A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos para cima ou para baixo.
Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 5

Nepotismo

Edição nº 97 – Fevereiro/2009
Supremo manda parar contratação de parentes

No dia 29 de agosto de 2008, o Supremo Tribunal Federal – STF – editou a Súmula Vinculante nº 13, cujo objetivo era barrar uma das maiores vergonhas nacionais: a contratação desenfreada e sem nenhum critério. Depois da publicação da Súmula, em Brumadinho, dezenas e dezenas de pessoas que trabalhavam na Prefeitura e Câmara tiveram que ser demitidas, para que o prefeito não incorresse em crime de improbidade administrativa.
Como a questão ainda gera controvérsias e interpretações diferentes, cabe o Ministério Público deve analisar cada caso e ordenar ou não aos que nomeiam que façam a exoneração dos parentes.
Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 4

Orçamento da Prefeitura: mais 6 milhões

Edição nº 97 – Fevereiro/2009

A Prefeitura de Brumadinho terá um acréscimo de mais R$ 6.626.812,00 em seu orçamento para 2009. Como registramos em nossa última edição (ver de fato nº 96, jan/2009, pág. 6). Assim, a previsão orçamentária que era de R$ 83.000.000,00 (oitenta e três milhões de reais), passa a R$ 89626812,09, que pode elevar a arrecadação a mais de 100 milhões em 2009. Segundo informou o Prefeito Nenen da ASA (PV), o dinheiro virá do Governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) através da Caixa Econômica Federal.

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 5
Edição nº 97 – Fevereiro/2009
Espaço Poético
III Concurso de Poesias do Jornal de fato
"Consumação"

Oh! Por que choras ainda,
Se tudo está consumado?...
Será a alegria que finda
Ao sentires,enfim, domado

Pelo amor que renegastes
Com orgulho e presunção
E só agora o encontrastes
Bem dentro do teu coração?...

É tarde! Nada mais resta.
Sigas no mal que conduz
Ao remorso que te espreita

Já a muito tempo de perto
Assobreando a fresta,
Retendo a entrada da luz.

Poeta: Nídia Maria de Jesus
Pseudônimo: Flor de Lis

"Melodia..."

Música!
Semibreve, bemol...
Música...
Nota si, lá e sol!

As notas, são,
simplesmente
Um segredo numa caixinha
De cristal bem reluzente.

Guardadas em 7 chaves,
Só toca quem treina bastante
Como se diz, espanta os males,
Ah, e também é relaxante...

Agora, já imaginaram?
Vocês, Lá nos quadrinhos,
As notas, desenhadas,
Saindo pelos cavaquinhos.

Podia ser piano,
Cavaquinho porque rimou.
Vamos lá, vamos treinar!
Ainda não treinou?

Tá esperando o quê?


Poeta: Larissa Alves Fernandes
Pseudônimo: Clave de Sol

"Inspiração"

Em um dia uma menina,
Esta menina é poeta,
Tinha pura imaginação,
Mas este dia, estava sem inspiração.

Ela fazia um texto com poucas palavras,
Mas não tinha gentileza,
Outras meninas diziam:
­– Isso é moleza!

Para ela poema não era inspiração,
Mas nem um pouco de imaginação
Ela toda triste,
Escreveu que tinha no coração.

Na hora que ela ia escrever suas últimas palavras,
No seu lindo rosto abriu um sorriso,
Como se fosse o sol saindo atrás das montanhas
Que antes, era como um granizo.

Poeta: Luiza Agostinho Matias
Pseudônimo: Lylys

"Eu quero... eu posso!"

Quero um dia tentar compreender melhor, ou sentir melhor os meus próprios sentimentos.
Quero saber se é de acordo com a intensidade que se vive, é que se sente!
Quero ter no fundo a certeza de que na vida tudo é uma troca,e que nada nem ninguém é tão forte e tão capaz que não precise de alguém.
Saber quais são as verdadeiras prioridades na nossa vida. Todas que pudermos imaginar... filhos, pais,família,trabalho...depois se talvez sobrar um tempinho...Ser feliz quem sabe...
Mas o primeiro passo todo mundo fala que é traçar metas, para que o objetivo seja alcançado. Tá, tudo bem, mas depois de traçadas as estratégias, não é nada fácil trilhá-las.
Vivemos mais em função dos outros do que de nós mesmos. Estamos o tempo todo preocupados com que os outros acham ou pensam de nós. E vai muito além... Entregamos o que melhor temos de nós, na tentativa de que assim algum dia encontremos alguém que valorize, de forma plena e não parcial o que sentimos,e acabamos a cada vez, caindo na frustração de que essa busca é (ou parece ser) infinita!
Quero um dia olhar dentro dos olhos de alguém e reciprocamente sentir o calor refletindo nos meus, não só de desejo mas de entrega, de cumplicidade...
Quero um momento em que planos além de traçados eu possa estar incluída neles, que possa sentir e ter a impressão que alguém tem por mim pensamentos de conquista, e que eu esteja lá, não apenas para comemorar, mas, para compartilhar a doçura e o encanto da vitória alcançada!
Tenho ,e posso chamar de ilusão dentro de mim,que um dia serei importante na vida de alguém...
Seria egoísmo dizer que quero toda a atenção voltada só pra mim, mas me conformo com o mínimo, contanto, que este mínimo,seja aproveitado ao máximo!
Temos mania de achar que está tudo bom,quando na verdade,sabemos que pode ser melhor. Já que na busca do mínimo tão almejado de felicidade, passamos por muitos trancos e barrancos, que dilaceram aos poucos os nossos sonhos...Por que contentar-se então com o: “_Tá ruim, mas tá bom?”

Quero expressar da melhor maneira o que muitas pessoas como eu, gostariam de falar
Que carinho e atenção, não é fácil de encontrar
Mas quem tem as duas coisas sobrando
Sai distribuindo a Deus dará...

Depois me pego reclamando
Por que será que sofro tanto?
Por besteira da minha cabeça
E tudo passa como um encanto.

Quero passar minha vida
Á procura de carinho
Seja por um cafuné
Ou até mesmo um colinho.

Que me ame um bocado
Pois eu sei e entendo
E a única coisa que peço
É que pra mim tenha tempo.

Não quero tempo corrido
Muito menos perdido
Quero amar e ser amada
Sem o relógio ao “pé do ouvido”.

Quero me entregar
A quem tiver esse” tempim”
Aproveitar completamente
Os abraços e o “cheirim”.

Falar de mim e de você
Dos nossos gostos enfim
Depois de muito amor
Nos braços um do outro dormir.

É esse o tempo que quero
Nem distância nem deserto
Um carinho e um afago
Sem atenção não prestam.

A certeza do que se quer
Não tem como medir com precisão
Basta sentir se está feliz ou triste
O compasso do coração.

Estude bem o que se passa
Dentro da sua relação
O amor tem que ser livre
De egoísmo ou obrigação.

Procure no fundo do seu íntimo
Sei que irá encontrar
Um motivo ou a razão
Por vir a se apaixonar.

E se mesmo assim
Achar que não vale á pena amar
Desista de procurar...
Pois a sua felicidade você acabou de matar!



Poeta: Dirlayne Mayre da Silva Costa
Pseudônimo: Kayssa Mylla

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 3

Faculdade é condenada a pagar indenização por danos morais a aluna

Edição nº 97 – Fevereiro/2009
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) condenou a faculdade ASA, de Brumadinho (MG), a indenizar uma aluna do curso de direito por danos morais, em R$ 4.150.
O TJ-MG informa que a aluna disse que, em agosto de 2007, estava no pátio da faculdade e um professor disse, em frente aos colegas, que ela tinha débitos pendentes e que, se não houvesse pagamento, ela não seria submetida às avaliações do período. Ela afirma também que, no semestre anterior, em uma aula do mesmo professor, foi convidada a se retirar da sala, por causa da inadimplência.
Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 2
Edição nº 97 – Fevereiro/2009

Terra no São Conrado: família chama Polícia e Prefeitura

Nossa reportagem foi chamada no final da semana de 14 de fevereiro para estar no bairro São Conrado, na rua “F”. No final da rua (sem saída), a Prefeitura tinha colocado vários caminhões de terra, misturada a lixo, resgatada de algum lugar que sofreu com a última enchente. Moradores da rua acreditavam que era terra com lixo do Estacionamento. A terra foi colocada no dia 13, a princípio para cobrir um buraco na rua. Depois, vários outros caminhões de terra foram colocados, invadindo a casa de nº 65. Segundo nos relatou uma moradora, no meio da terra havia muito entulho como banco de carro, peças de metal e outros lixos. A maior reclamação dos moradores era que era tanta terra que invadiu o portão de sua casa e a varanda.
O município de Brumadinho ainda sofre com as consequências da última enchente. No entanto, ali na rua “F”, a terra está sendo carreada para o rio Paraopeba.
Na Rua Aristides Reis, no mesmo bairro, outro problema. Ali, também uma rua sem saída que “acaba” nas margens do Paraopeba, há terra e entulhos colocados. A terra ali também foi colocada pela Prefeitura. Na rua desce muita água de chuvas, com muita velocidade, e os bueiros não dão conta do trabalho. A consequência é que as enxurradas vão levando tudo que acham pela frente, e jogando no rio, como a terra colocada pela Prefeitura, contribuindo, de novo, para o assoreamento.
“Na administração anterior”, disse o morador, “nós falamos para fazerem uma escada para as enxurradas e colocar mais bueiros mas não nos deram ouvidos”. O morador reclama também do intenso mau cheiro causado pelo esgoto que é jogado ali. “Estou pagando taxa de esgoto e sofrendo com esse mau cheiro”, disse, indignado, o morador. “Cansei de reclamar e agora coloquei a casa à venda.” Segundo ele, as reclamações foram feitas na administração anterior e espera, agora, que a taxa de esgoto seja abolida pelo prefeito Nenen da ASA (PV).

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 6

Só rindo

Edição nº 97 – Fevereiro/2009

Enterrado em dívidas
Enterrado em dívidas, aquele advogado resolve se suicidar.
Vai ao meio da rua, joga um litro de gasolina sobre o corpo e quando vai atear fogo, uma mulher o segura pelo braço.
- Não faça isso não, seu moço! - Diz ela, comovida com a dramática situação. - Se o problema é dinheiro, a gente vai dar um jeito!
Ela pega uma sacolinha e começa a abordar os carros pedindo auxílio.
Vinte minutos depois ela volta com a sacolinha quase cheia.
- Quanto você conseguiu? - Pergunta o advogado, ansioso.
E ela:
- Não muita coisa! Uns quinze isqueiros e 6 caixas de fósforos!
Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 3

Edição nº 97 – Fevereiro/2009
Opinião
Quem são elas?
Oportunizando novas conquistas! Compartilhando talento!

Margarida de Mello Silva, Aprendiz de todo dia!

Hoje escrevo esta crônica, buscando na valorização humanística do século um elo que venha enlaçar a fonte maior dos sentimentos humanos, a mulher.
Falar das suas lutas, das suas humilhações, das suas dores, dos seus sofrimentos das suas solidões, das suas comoções, das suas tristezas das suas alegrias seria “chover no molhado”, pois a realidade de um passado tão próximo que se faz presente é visível, sentida e escancarada.
Falar de seus amores como mulher, amada, amante e rainha do lar talvez seja uma utopia quando na verdade ainda se praticam contra elas várias violências, várias injustiças, inúmeras transgressões.
Falar das que tudo perdoa em nome de um imenso coração, coração de mãe é reler o âmago da alma.
Falar das que deixaram à vida colocar fim nas suas ilusões, nas suas aspirações ceifadas por doenças, por descasos e por abandonos também é repetir novamente.
Não falar das que como trabalhadoras sofre os desmandos salariais atribuídos com grande diferença a maior para o sexo oposto é achar que as coisas estão bem, a sociedade está cheia de exemplos.
Porem, falar das que além dos sonhos de mulher que foram meninas de brincar de casinha, de boneca e junto consigo trouxeram o crescer de sentimentos mais amplos e hoje abrem com galhardia a busca da igualdade do direito de concorrerem a uma vaga de cidadã no legislativo e executivo no município, estado, no Brasil e no mundo, Cientistas, de Funcionárias Públicas e de Líderes Comunitárias, de Representantes Sindicais, Diretoras de Instituições, de Universitárias, de Técnicas de Pós-graduadas, Administradoras, Professoras, Religiosas e de Doutoras, Engenheiras, Empreendedoras, Cozinheiras, Manicures, Cabeleleiras, Enfermeiras, Médicas, Serviços Gerais, Rurais, Escritoras, Juízas, Promotoras, Modelos, Astronautas, Motoristas, Artistas etc, Criativas, é falar que a visão de um mundo público mais humano, mais igualitário, mais justo e mais sonhado está mais próxima; é saber dar asas à imaginação e sonhar realizando com justiça e equidade social, pois elas são movidas também pela razão, pelo conhecimento, pela cultura, pelo talento, bom senso e pelo amor.
Amor este tomando várias formas e se multiplicando, e se dividindo sem, contudo findar. Guerreiras no dia a dia buscando tornar os sonhos realidade.
As Candidatas Femininas deixam para trás os rótulos de que a Política foi feita para homem; e que lugar de mulher é em casa e saem à cata de votos e de um lugar nestes novos mundos. Busquemos nossos espaços com ética e moral e transformaremos o cenário!
Estas mulheres abrem uma nova época para nossa Brumadinho, uma vez que as que conseguiram tais cargos souberam na sua maioria se fazer notar pela postura digna, pela decência, pela conduta sem retoques no uso da coisa pública além de contribuírem para novas tomadas de posição de progresso e dinamismo com visão holística e de parceria com os legisladores e executivos. A mulher objeto ou explorada, a que usava “recursos pessoais” e apadrinhamento dá lugar a esta nova mulher, dinâmica, trabalhadora, capaz, competente em Empresas Privada ou Pública ou em Negócios Próprios, ou em Casa. O Mundo precisa da nossa coragem e da nossa capacidade! Marquemos presença e modifiquemos o mundo, desempenhemos com honestidade e isenção as nossas funções com a garra e paixão peculiares ao nosso sexo.
Que elas cheguem com o verão e possam humanizar mais este universo, aquecer mais as ações e atos em prol da população como um todo.
Às Mulheres que se enquadrarem nesta nova linha os nossos votos de congratulações certas de que são novos tempos num mundo mágico de ações coordenadas para todas as classes e todos os cidadãos e cidadãs incluamos Brumadinho no sentido de nos dar a nós mesmos um ponto de realce na atualidade brasileira e mundial de progresso e desenvolvimento. Soltemos as amarras e nos valorizemos sem medo de sermos felizes! ”Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.” Felicidade é você ser você! Isto é De Fato e de Direito.

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 2
Edição nº 97 – Fevereiro/2009
Concurso da Câmara
Toninho da Rifel e Capdeville são condenados

O ex-presidente da Câmara Municipal de Brumadinho e atual vice-prefeito, Toninho da Rifel (PP) e a empresa Cap – Consultoria em Administração Pública de Ville Ltda foram condenados a pagamento de multa R$ 27.227,78, proibição de contratar com o Poder Público, perda da função pública e perda dos direitos políticos por 5 anos. O juiz Paulo Sérgio Ferreira ainda cancelou o concurso feito pela Câmara, que foi realizado sob suspeita de irregularidades em 2008. Se os envolvidos recorrerem e se a sentença for mantida, Brumadinho fica sem seu vice-prefeito e os 110 concorrentes terão seu dinheiro de volta.

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 5
Edição nº 97 – Fevereiro/2009
Prefeito quer criar mais secretarias e mais 14 cargos
O prefeito Nenen da ASA (PV) enviou à Câmara o Projeto de Lei 03/2009, que aumenta para 12 o número de secretarias que era de apenas 9 e ainda cria uma série de cargos. Se antes a Prefeitura contava com 9 secretários municipais, um controlador interno e 4 secretários adjuntos, agora passa desses atuais 14 cargos para nada menos do que 24, um acréscimo de 10 cargos. Só com esses cargos comissionados, a despesa passa de 60.091,70 mensais para R$ 103.181,50, um aumento de R$ 43.089,80 na Folha de Pagamento. O aumento de R$ 43.089,80 significa um aumento de mais de meio milhão anual, isso, apenas em salários. O montante pode chegar a aproximadamente 700 mil anuais, R$ 3.000.000,00 (três milhões de reais) ao final da Administração.

Postado pelo Editor Reinaldo Fernandes
Leia a íntegra na pág. 5