Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

sábado, 10 de outubro de 2009

Edição nº106: fotos de Reinaldo Fernandes, exceto fotos do FID e Inhotim
CERIMÔNIA DE PREMIAÇÃO DO
IV CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato

SÁBADO – 17 DE OUTUBRO – ÀS 20 H
Na Câmara Municipal

PARTICIPE!
Edição 106 – Setembro/2009
MUITO OBRIGADO, PROFESSORES!
No dia 15 de outubro se comemora, com certeza, um dos dias mais importantes do calendário. É o Dia do Professor, essa “raça” sem a qual nenhum país vai pra frente, essa legião de pessoas que se dedicam a ensinar a nós, a nossos filhos e filhas. Esses homens e mulheres que, mal pagos, desrespeitados em seus direitos, tratados como de menor valor, seguem em frente, mais por amor do que pelos salários muitas vezes “de fome”. Às Professoras e aos Professores, esses profissionais que merecem ser escritos com “P” maiúsculo, não vamos dizer “Parabéns!” É pouco! Vamos dizer “MUITO OBRIGADO!!!”
Edição 106 – Setembro/2009
Paisagens de Brumadinho
Rio Paraopeba em Souza Noschese, saída para Belo Horizonte
Edição 106 – Setembro/2009
IV Concurso de Poesias do Jornal de fato

As poesias enviadas ao jornal somaram 45 trabalhos, de 20 poetas, tanto de Brumadinho quanto de outras cidades. Agora, os jurados estão fazendo o julgamento para escolher os 10 “melhores” poemas. Como os poemas são de muita qualidade, o trabalho dos jurados não tem sido fácil: às vezes é preciso ler várias vezes para optar por este ou aquele. Mas a cerimônia de entrega da premiação e certificados já está marcada! A cerimônia acontecerá no dia 17 de outubro, sábado, na Câmara Municipal. A cerimônia terá início às 20 horas. Se você participou, não deixe de comparecer. Leve seus amigos e familiares. Mas se você não participou, também não deixe de participar da cerimônia. É uma boa oportunidade para ouvir poesia e conhecer os antigos e os novos poetas de Brumadinho e de outras cidades.
Edição 106 – Setembro/2009
Editorial
Setembro, mês de efervescência cultural em Brumadinho

Esta edição está recheada de cultura, nacional e internacional. E isso é bom? È ótimo, mostra que em Brumadinho há efervescência cultural e que a cidade é referência para quem organiza eventos culturais na região metropolitana. Veio o Festival Internacional de Corais, no dia 19 e 20. Além de RJ, tivemos também gente da Colômbia, para citar duas atrações “de fora”. Nos dias 25 a 27, o Brumadinho Gourmet mostrou uma cara nova para o turismo em Brumadinho: comida da boa e muitas apresentações, novamente com atrações locais e de outras cidades, com capoeira, folia de reis, violão e voz, bandas de música etc. Enquanto acontecia o Brumadinho Gourmet, no dia 27, acontecia o IV Encontro de Bandas de Conceição de Itaguá, e novamente com atrações locais e ainda de várias outras cidades. No mesmo domingo, a cidade recebia outra atração de um outro festival internacional, o de dança, todos com entrada gratuita. Mas não paramos por aí.
Nos dias 29 e 30, foi a vez de Inhotim apresentar à imprensa e autoridades diversas as nove novas obras do Museu, um conjunto que amplia sua área de obras em aproximadamente um terço, com trabalhos nacionais, das Américas e da Ásia.
No entanto, nem tudo nesta edição é boa nova. Ainda sobre Inhotim, trazemos matéria publicada na imprensa nacional em que Bernardo Paz, idealizador do Museu, é apontado como suposto sonegador de impostos, devedor do Estado, suposto réu em ação penal, fraudador. O empresário é acusado de usar laranjas em seus negócios, operar com empresas fantasmas, ter dinheiro em paraísos fiscais. E trazemos, é claro, a defesa de Bernardo, através de sua Assessoria.
Obviamente, ninguém está aqui julgando ninguém. E nem poderia. Vivemos em um país em que a Constituição garante que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória” e onde aceitamos que todo mundo é inocente, até que se prove o contrário. Aliás, torcemos para que sejam meras suposições, delírio da mídia nacional, porque, reconheçamos, Inhotim faz muito bem a Brumadinho. Embora possa não agradar a algum setor ou setores da sociedade brumadinense, achamos importante trazer essas informações aos nossos leitores. Como bem ensina o jornalista Valdir de Castro Oliveira, “quanto a falcatruas ou suposta promiscuidade do Inhotim com o Estado, é papel da mídia denunciar sim, mas espera-se que, ao fazer isso, não se torne um tribunal inquisitorial onde os juízos já estão formados antes dos conhecimentos dos fatos” (Tribuna – Jornal da Asmap - nº 46, p. 4). Trazer essas informações, acreditamos, ajuda a melhor esclarecer algumas coisas sobre Inhotim, seu papel na região e para a cultura em Brumadinho e no Brasil. Assim, contribui para esse esclarecimento as explicações dadas por Bernardo à imprensa.
Enquanto isso, a Coordenação do IV Concurso de Poesias do Jornal de fato prepara a Cerimônia de Premiação do Concurso. Então voltamos à questão inicial e ajudamos na efervescência cultural de Brumadinho.
Edição 106 – Setembro/2009
Poucas e Boas
“Queremos nos manifestar com alegria e orgulho os 12 anos de vida do DE FATO, isto porque já é adulto na vida da informação e adolescente na procura do MAIS: informação, prestação de serviços, Cultura, entretenimento e a oportunidade da manifestação da veia poética através do Concurso de Poesia, já no IV ano. Disponibiliza ao público leitor uma das maravilhas da tecnologia da informação, da modernidade, o jornal eletrônico, através do blog, onde as matérias são colocadas também em enquete de apreciação e qualidade, preferência.”
Margarida Melo
, em artigo de opinião nesta edição.

“... Quem não tem jardins por dentro não planta jardins por fora. E nem passeia por eles...”
Da mesma Margarida Melo, emprestado de Rubem Alves e se referindo a Paulo Viotti, Pe. Dante, José Amaral e Reinaldo Fernandes
Edição 106 – Setembro/2009
Cartas à redação

Coluna curtas ¨carga e descarga na Pres. Vargas
Sexta-feira, 11 de Setembro de 2009 20:11
De:
"paulo celio de oliveira fernandes fernandes"
Para:
defatojornal@yahoo.com.br
Prezados senhores,
Informo que as alterações de carga e descarga realizadas no quarteirão da Rua Presidente Vargas, foram implantadas em comum acordo com os lojistas , inclusive com aumento de vagas para caminhões. O excesso de cargas e descargas anteriormente implantadas( em frente uma das outras) estava trazendo reclamações de motoristas e pedestres que circulam pelo local, porque quando estacionavam caminhões nos dois lados da via, a passagem de ônibus e caminhões era arriscada e trazia perigo, principalmente para os pedestres.
Quanto á questão citada na matéria sobre a questão de veículos estacionados por um longo período, informo que já está em estudos a implantação do estacionamento rotativo, que irá racionalizar o uso do espaço público no centro de Brumadinho.
Qualquer alteração que possa a acontecer, sempre será no sentido de adequação e organização e nunca prejudicar á população.
Coloco-me á disposição para qualquer esclarecimentos no cel; 98-048304 ou no SETRANSB. Paulo celio(P.C.)

De: leoparaju ribeiro <
leoparaju@gmail.com>Assunto: ParabénsPara: defatojornal@yahoo.com.brData: Domingo, 13 de Setembro de 2009, 22:16

Pessoal,
Parabéns pelo novo empenho de colocar o jornal de fato na internet, mais um meio de interagir com as pessoas. Achei a idéia muito interessante e gostei do formato do blog. Se precisarem de alguma coisa que eu possa ajudar, podem contar comigo.
Um abraço.
Leonardo Ribeiro (Paraju)
LeMon Comunicação
site:
www.lemoncomunicacao.com

Quarta-feira, 16 de Setembro de 2009 16:13
De: "Lilian Silva"
lilianbrumadinho@yahoo.com.br
Para: "Jornal DE FATO"
Olá, meu caro!!!

Saudações.

Rei, sempre que recebemos, por e-mail, o jornal de fato, acompanhamos. A matéria da Usiminas nos revelou algo que desconhecíamos. Estou achando o jornal cada vez melhor. Genial a ideia das enquetes e claro, da criação do blog. Mídia alternativa se faz assim. Sei das dificuldades em se levar uma publicação e você faz isso genialmente. Principalmente se levarmos em conta, além do financeiro, toda a retaliação e entravés que colocam para o de fato. Parabéns, meu amigo.

Abraços fraternos.
Lilian Silva
Assessora Parlamentar do PCdoB em São Joaquim de Bicas.
Edição 106 – Setembro/2009
Cenas da cidade








Edição 106 – Setembro/2009
Inhotim inaugura novas obras

No dia 29 de setembro, o Inhotim – Centro de Arte Contemporânea – recebeu a imprensa para apresentar, em primeira mão, as nove novas obras do Museu, inauguradas neste fim de mês e início de outubro. Algumas delas, muito grandes, o que faz com que o Museu amplia sua área de obras em aproximadamente um terço. Se antes, já não era possível visitar todas as obras em uma única visita, agora ficou realmente impossível. A visita fez parte da programação do evento “Nove Novos Destinos”. No dia, Inhotim recebeu a visita de autoridades dos setores público, privado e do “Terceiro Setor”.

Obras: nacionais, das Américas e da Ásia

As obras são: Beam Drop Inhotim (2008), do artista Chris Burden; Sonic Pavilion (2009), de Doug Aitken; De Lama Lâmina (2004-2009), de Mathew Barney, todos os três norteamericanos; The murder of crows (2008), dos canadenses Janet Cardiff e George Bures Miller; Narcisus Garden Inhotim (2009), da japonesa Yayoi Kusama; Piscina (2009), do argentino Jorge Macchi; Sem Título Esculturas, de Edgar de Souza; Continente/Nuvem (2007), de Rivane Neuenschwander; e Folly (2005-2009), de Valeska Soares, esses três brasileiros, o primeiro de São Paulo e as outras duas de Belo Horizonte.

O que são as novas obras

Leia abaixo sobre as obras, com algumas informações do Boletim Informa de Inhotim, nº 8.

Beam Drop Inhotim (2008), do norteamericano Chris Burden “é uma escultura em grande formato, localizada numa parte alta do Museu, feita de 71 vigas de construção jogadas por um guindaste e uma altura de 46 metros, dentro de uma vala cheia de cimento fresco, durante um período de 12 horas. O padrão aleatório das vigas caídas formou a obra, numa interpretação da gestualidade do expressionismo abstrato, ao mesmo tempo propondo uma desconstrução da escultura moderna”.

Sonic Pavilion (2009), de Doug Aitken, “é uma construção dentro da qual o espectador ouve uma transmissão contínua de sons emitidos a centenas de metros no interior da Terra e captados por microfones geológicos. Para construí-la, Aitken, conta a Folha de São Paulo, “cavou um buraco de 200 metros no alto de uma montanha e instalou oito microfones ao longo do trajeto. O som, do gotejar de lençóis freáticos ao estrepitar de rochas desconhecidas, reverbera numa construção de vidro, em volta do rasgo.” Fica situada no alto de um morro, no meio da floresta.

Sem Título Esculturas, de Edgar de Souza são estátuas de bronze que representam uma figura masculina “baseada no corpo do próprio artista, em poses abstratas, impossíveis e fragmentadas, evocando a história da arte e dos jardins e um paraíso perdido”.

The murder of crows (2008), de Janet Cardiff e George Bures Miller é uma obra instalada em um amplo espaço, “um ambiente sonoro composto de gravações de marchas, canções de ninar, texto falado e composições musicais, assim como uma trilha de feitos incidentais. Soam 98 autofalantes montados em cadeiras, em pedestais e nas paredes, evocando uma revoada de aves”.

Piscina (2009), do argentino Jorge Macchi, “é a realização escultórica de um desenho que o artista fez de uma caderneta de endereço com índice alfabético”, transformada numa obra que é também uma piscina em funcionamento.

De Lama Lâmina (2004-2009), de Mathew Barney, é um “trabalho que existe simultaneamente em Inhotim como um filme projetado numa galeria e uma escultura dentro de enormes domos geodésicos em meio a uma floresta de eucaliptos”. Domos geodésicos são estruturas que se realizam a partir de triângulos que combinam leveza e resistência.

Continente/Nuvem (2007), da belorizontina Rivane Neuenschwander está instalada na construção mais antiga de Inhotim, de 1874, que foi mantida da fazenda que originou o Museu. É uma obra cinética. A Arte Cinética é o conjunto de pesquisas na arte sobre luz e movimento, focadas nas investigações sobre a participação do espectador. Em Continente/Nuvem, Neuenschwander ocupou todo o teto da casa. São pequenas bolas de isopor que se movem aleatoriamente sobre um forro transparente, ativadas por circuladores de ar. “Esse estímulo cria formas abstratas monocromáticas que aludem ao mesmo tempo a mapas e ao movimento das nuvens no céu.”

Folly (2005-2009), de Valeska Soares, “é um pavilhão de forma octogonal, à beira de um lago isolado, com imagens fantasmagóricas que são refletidas nas paredes de espelho de seu interior.”

Narcisus Garden Inhotim (2009), da artista octogenária Yayoi Kusama, traz 500 esferas brilhantes de aço inoxidável flutuando nos espelhos d’água da cobertura do prédio que abriga o Centro Educativo Burle Marx, recentemente inaugurado no Museu. “Obra matricial da arte feminista, é uma escultura em grande formato que, no entanto, se desmaterializa, movendo-se organizadamente em reação ao vento e refletindo a natureza ao seu redor.
Edição 106 – Setembro/2009
Dicas
Para Viver Mais e Melhor
Por Reinaldo Fernandes
Questione! Não aceite as coisas como elas estão e como se fossem imutáveis. Questionar é necessário e legítimo. Se não pudéssemos questionar, Deus não tinha nos feito assim, com inteligência. Se Deus nos criou questionadores, é porque isso é legal, é humano, é legítimo.
Edição 106 – Setembro/2009
Inhotim
Bernardo Paz sob suspeita

Em matéria sobre o Inhotim, edição de 26/8, o jornal de circulação nacional Folha de São Paulo insinuava que o Museu teria matado o congado de Brumadinho. Quem leu a matéria com atenção, pode perceber uma tendência da Folha, dando “leves cutucadas” em Inhotim. Podia-se perceber isso em expressões como “...expulsaram os bailes de congado da antiga fazenda Inhotim"; “A gente não gosta disso de arte contemporânea, não" (se referindo à fala de uma moradora de Brumadinho), além de “"Mas tem que ter coisa mais moderna, não só bizarra" (de outra moradora se referindo ao Museu), para citar apenas três ocorrências. Passado menos de um mês, na edição de 17 de setembro, no caderno “Ilustrada E3”, a Folha trouxe mais uma pagina inteira sobre Inhotim. Agora, ao invés de falar das novas obras, o jornal aponta uma série de irregularidades que teriam sido cometidas por Bernardo Paz Em matéria dos jornalistas Breno Costa e Mario Cesar Carvalho, o jornal acusa Bernardo de vários ilícitos, como a acusação de sonegador de impostos, devedor do Estado, réu em ação penal, fraudador, de usar de laranjas em seus negócios, operar com empresas fantasmas, ter dinheiro em paraísos fiscais.
Ainda segundo a Folha, Inhotim vale R$ 365 milhões, mas esse patrimônio teria relações com as operações com empresas fantasmas e dinheiro de paraísos fiscais, dentre outras acusações.

Benefício do Governo Aécio Neves

A matéria da Folha começa dizendo que Bernardo Paz foi beneficiado pelo Governo de Aécio Neves (do PSDB, cujo presidente mineiro, Nárcio Rodrigues, deputado federal apoiado por Inhotim e que foi o candidato mais votado em Brumadinho). O jornal de refere aos R$ 20 milhões para a construção de um centro de convenções, afirmando que Paz é “devedor do Estado e réu numa ação judicial em que é acusado de participar de um esquema de fraudes fiscais que resultou num prejuízo de R$ 74,7 milhões ao governo mineiro.” “Segundo a Polícia Civil e o Ministério Público, duas siderúrgicas de Paz se beneficiaram de um esquema de sonegação de impostos. O suposto esquema envolvia empresas fantasmas, laranjas e o uso de notas falsas para pagar menos ICMS. Ele foi indiciado pela polícia sob suspeita de formação de quadrilha e fraude fiscal. Num estágio posterior, o Ministério Público excluiu o crime de formação de quadrilha por considerar que não havia provas”, diz o jornal. O empresário estaria ainda sendo “cobrado na Justiça pelo Estado de Minas por dívidas de R$ 8,2 milhões de impostos.”

Negócio da China

A Folha informa que “o governo mineiro acertou com o Instituto Cultural Inhotim, que gerencia o centro e cujo conselho de administração é presidido por Bernardo Paz, a construção de um centro de convenções orçado em R$ 19,6 milhões.” E que Inhotim “doou ao governo de Minas, um terreno de 25 mil m2, avaliado em R$ 20 mil. Mas a doação veio acompanhada de uma série de condicionantes - entre elas, que o governo construirá o centro e entregará a administração do espaço ao próprio Inhotim.” Isso seria o que se chama de “um negócio da China", segundo Maria Sylvia Zanella di Pietro, professora da Faculdade de Direito da USP e, segundo a Folha, uma das maiores especialistas em direito público no Brasil. Ela e Carlos Ari Sundfeld, professor da PUC-SP, dizem que há uma irregularidade na doação, já que o “negócio” não foi aprovado pela Assembleia Legislativa, como determina a Constituição de MG.
Para erguer o centro, o Estado firmou dois convênios com o Ministério do Turismo, que entra com R$ 14,6 milhões, enquanto o governo Aécio Neves (PSDB) dá contrapartida de R$ 5 milhões. O TCU (Tribunal de Contas da União), que audita recursos federais, decidiu que o centro não poderá ser administrado por uma entidade privada.
Sempre de acordo com a Folha, “não é exatamente por falta de recursos que Paz fez o acordo com o governo Aécio. Ele é sócio de mais de 20 empresas e o maior produtor independente de ferro-gusa do país, segundo sua assessoria. As duas siderúrgicas acusadas de fraudar o governo mineiro (Itasider e MGS) têm capital social de R$ 35,1 milhões e R$ 4,76 milhões, respectivamente.”

Dinheiro de paraísos fiscais

O termo “paraíso fiscal” designa países com um controle frouxo de bancos e do mercado financeiro e que cobram impostos baixos para capitais estrangeiros, em geral sem questionar a origem do dinheiro. Na prática, esses “paraísos fiscais” estimulam a evasão fiscal. A evasão fiscal é o uso de meios ilícitos para evitar o pagamento de
taxas, impostos e outros tributos. Entre os métodos usados para evadir tributos estão a omissão de informações, as falsas declarações e a produção de documentos que contenham informações falsas ou distorcidas, como a contratação de notas fiscais, faturas, duplicatas etc.
Segundo a Folha de São Paulo, o braço financeiro do Instituto Cultural Inhotim é uma empresa chamada Horizontes, que, em Belo Horizonte, funciona no mesmo prédio de Inhotim. A Horizontes Ltda era a proprietária do terreno onde será erguido o centro de convenções até três meses antes da doação ao Estado. A Horizontes, administrada por Bernardo Paz, dona de fato do Centro de Arte Contemporânea de Inhotim, por sua vez, é controlada por uma offshore chamada Vine Hill Financial, criada nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal no Caribe. Offshore é um tipo de empresa que funciona em paraíso fiscal para pagar menos impostos e para dificultar que as autoridades saibam quem são os seus proprietários.
Ainda segundo a Folha, “foi outra empresa de fora do Brasil, a Flamingo Investment Fund, aberta nas Ilhas Cayman, que fez os maiores aportes financeiros na Horizontes. Em menos de dois anos, a Flamingo emprestou US$ 126,4 milhões (R$ 231 milhões) à Horizontes, cujo capital é de R$ 650 mil (350 vezes menos que o valor emprestado). Dois especialistas em direito financeiro ouvidos pela Folha dizem que o dinheiro emprestado deve ser do próprio Paz. A Folha afirma que “não dá para saber se todo esse valor foi investido em arte e no centro cultural”. Os especialistas dizem não ser comum uma empresa com capital de apenas R$ 650 mil receber um empréstimo de R$ 230 milhões, 354 vezes mais que o capital da empresa.
Segundo registros públicos do Banco Central, todas as remessas feitas até hoje pelo Flamingo Fund ao Brasil tiveram como destino a empresa administrada pelo dono de Inhotim.
A Flamingo é controlada pela Vine Hill Financial Corp, uma offshore sediada nas Ilhas Virgens Britânicas, também paraíso fiscal, que detém 92,7% das ações da Horizontes. Emílio Walter Rohrmann, advogado da Horizontes e do Instituto Inhotim, assinou documentos como procurador da Vine Hill no Brasil, mas disse à Folha que estava "impedido de dar informações".

O outro lado: Bernardo Paz diz que não é réu

Segundo a Folha de São Paulo, Bernardo Paz não quis dar entrevista, mas sua assessoria teria confirmado as dívidas com o Estado de Minas, mas negou que ele seja réu em ação penal. Segundo nota enviada por e-mail, a assessoria diz que Paz nem sequer "exerceu direito de defesa" na ação que responde, ao lado de outros 33 réus, por fraude fiscal e que, portanto, não é réu. Mas o Tribunal de Justiça de Minas Gerais confirmou a condição de réu de Bernardo.
Em nota, o governo Aécio Neves (PSDB) afirmou que "o convênio com o Instituto Inhotim não interfere em procedimentos de natureza fiscal, jurídica ou fiscalizatória". Sobre a dívida de Bernardo, o governo Aécio Neves (PSDB), através da Advocacia Geral do Estado, disse que ela "foi parcelada e vem sendo equacionada".

Posição da diretora-executiva de Inhotim

A diretora-executiva do Inhotim, Ana Lúcia Gazzola, não vê grandes problemas nas denúncias feitas pelo jornal Folha de São Paulo. Gazzola disse que, se for constatada irregularidade na doação do terreno para a construção do centro de convenções pelo Estado, o termo pode ser assinado novamente. A diretora-executiva parece tratar a questão com uma tranquilidade invejável: "Se houver qualquer problema, corrige-se", disse. Simples assim.

Sem respostas

A assessoria de Paz, diz a Folha, não respondeu por que a Horizontes Ltda é controlada pela Vine Hill Financial Corp nem quem controla a offshore. Questionada, também não explicou que garantias a empresa apresentou para conseguir, com capital de apenas R$ 650 mil, empréstimos de 126 milhões de dólares de fundo nas Ilhas Cayman, 354 vezes mais que o capital da empresa.
Sobre as operações de empréstimo, diz só que eles foram contraídos "para dar suporte ao desenvolvimento de seus negócios", sem especificar onde os dólares foram aplicados.
Em nenhum momento a nota afirma que o dinheiro captado em Cayman é aplicado em obras de arte, apesar de seu objetivo social incluir "promoção de arte" e "manutenção e administração de museus".
Sobre a dívida com o Estado, diz que ela foi formada pelo não recolhimento de impostos "por contingências financeiras e/ou macroeconômicas" decorrentes da crise econômica. No entanto, 68% das dívidas executadas pelo Estado começaram a ser cobradas judicialmente antes de 2008, quando ainda não havia a crise financeira internacional, lembrou o FSP.

Íntegra da nota enviada à Folha pela assessoria de Bernardo Paz

“1) Sobre a Horizontes Ltda: A Horizontes Ltda é uma empresa mineira, sediada em Belo Horizonte. Foi constituída em 7/12/ 2000 obedecendo a todas as exigências da legislação comercial brasileira e tem por principais objetivos o desenvolvimento e implantação de projetos que preveem a administração, construção, incorporação e venda de empreendimentos imobiliários em geral, bem como a prestação de serviços com ênfase em turismo, para acomodações temporárias, hotelaria e serviços de bar e restaurante.
Para dar suporte ao desenvolvimento de seus negócios, a Horizontes Ltda tem registrado junto ao Banco Central do Brasil diversos contratos assinados com fundo de investimento estrangeiro, o que potencializa a opção de conversão em capital social da empresa.
A Horizontes Ltda também é uma das associadas mantenedoras do Instituto Inhotim (Oscip), por reconhecer e considerar a atuação da entidade como de vanguarda cultural e de significativa contribuição para o turismo na região metropolitana de Belo Horizonte, em particular para o desenvolvimento econômico da região de Brumadinho, local onde possui imóveis e terrenos.
Pautada por essa sua filosofia de ação, a Horizontes Ltda possui outros imóveis e terrenos dentro e fora da região metropolitana de Belo Horizonte, como reserva imobiliária, destinada à consecução de seu objetivo social. Por estratégia, a empresa não comenta seus projetos antes da efetiva mobilização e consecução de ações necessárias à devida divulgação e lançamento.
2) Sobre Bernardo Paz e dívidas de empresas por ele controladas: Bernardo de Mello Paz é empresário mineiro que atua nos ramos de mineração e siderurgia (maior produtor independente de ferro-gusa do país), figurando como sócio-controlador em mais de vinte empresas, há mais de 25 anos.
Algumas dessas empresas têm dívidas contraídas com a União e com o Estado de Minas Gerais decorrentes de impostos correntes devidamente declarados e não recolhidos por contingências financeiras e/ou macroeconômicas vividas ao longo do referido período.
Por meio da adesão já formalizada ao Refis, toda a dívida com a União, no conjunto das empresas controladas por Bernardo Paz, será devidamente quitada nos termos da Lei 11.941/2009, portanto não há inadimplência.
A dívida existente para com o Estado de Minas Gerais, igualmente, vem sendo amortizada e será quitada em conformidade com os parcelamentos previstos na legislação.
Oportuno ressaltar que o segmento de gusa foi fortemente afetado pela crise internacional em outubro de 2008 com perda de faturamento anual da ordem de US$ 200 milhões, comprometendo a adimplência de alguns parcelamentos no último ano. A partir de meados de agosto de 2009, o mercado vem demonstrando uma recuperação progressiva e consistente de retomada de pedidos e preços, possibilitando igual retomada dos compromissos assumidos no passado pelas empresas de modo geral.
3) Sobre ação penal: Com relação à citada ação penal em tramitação na 11ª Vara Criminal de Belo Horizonte, Bernardo de Mello Paz, até a presente data, não exerceu sequer direito de defesa, pois foi apenas e tão somente mencionado na condição de representante legal das empresas Itasider Usina Siderúrgica Itaminas S/A e MGS Minas Gerais Siderurgia Ltda, em processo distribuído em 11/05/ 2004. No processo em questão, Bernardo Paz e suas empresas não figuram como réus, mas apenas como supostos beneficiários de atos de terceiros.”
Edição 106 – Setembro/2009
Conceição de Itaguá realiza IV Encontro de Bandas

“Este ano está melhor ainda. Todos os anos eu venho. Mas vejo que houve aperfeiçoamento, as bandas estão cada vez melhores”. Assim declarou Milton José Dias, o Tim, quando a reportagem do jornal de fato lhe perguntou o que estava achando do IV Encontro de Bandas de Conceição de Itaguá. Muito lindo, diríamos.
Já Roseane Sales, 18 anos, disse que ela participa todo ano. “Cultura é sempre bom”, disse à nossa reportagem. Roseane disse que o encontro estava muito bom e que, infelizmente, ela, que toca na banda local, não estava participando porque não tivera tempo para os ensaios.
O Encontro aconteceu no domingo, 27 de setembro, na Praça da Igreja Nossa Senhora da Conceição, padroeira da comunidade. Além das quatro bandas de Brumadinho (a Santa Efigênia, a São Sebastião, a Lira Suzanense e de Brumado, anfitriã), estiveram presentes bandas das cidades de Bonfim, São Brás do Suaçuí, Congonhas, Sarzedo e Entre Rios de Minas. Todas se apresentaram separadamente, mas o mais bonito foi a hora do “bandão”: reunidas, tocaram o Hino Nacional, sob a batuta do maestro Anderson Cordeiro, da São Sebastião Banda Show. Depois foi a vez do maestro da banda local, Joaquim Pinto, quando o “bandão” tocou “Capitão Caçula”, arrancando entusiasmados aplausos das centenas de pessoas que prestigiavam o evento.

Preservar a cultura

“É uma coisa que tem que continuar sempre, não só aqui mas em outros locais porque é importante preservar a cultura de bandas, de corais”, disse Ademar Pinto, o Bá, um dos mais antigos membros da banda de Conceição de Itaguá, enquanto uma das bandas fazia mais uma apresentação. Enquanto isso, dona Vicência Tavares da Cunha, 75 anos, que veio de Bonfim há um ano morar com a filha em Conceição de Itaguá, sentada em uma cadeira na Praça, ouvia atentamente. Conversando com nossa reportagem, disse, encantada: “O Encontro está ótimo! Melhor não pode ser. Eu adoro banda, qualquer uma delas!”
O IV Encontro de bandas de Conceição de Itaguá teve o apoio de várias entidades, de comerciantes locais e da Prefeitura Municipal.
À Banda Nossa Senhora da Conceição, que organizou o Encontro, nossos parabéns! E a todas as bandas que participaram, mesmo com todas as dificuldades que enfrentam.
Edição 106 – Setembro/2009
Projeto de iniciativa popular terá tramitação acelerada para vetar candidato condenado

Um grupo de parlamentares coordenados pelo deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), coordenador da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, prepara a subscrição do projeto de iniciativa popular que institui a chamada “ficha limpa”. A proposta, que recebeu mais de 1,3 milhão de assinaturas em todo o País, torna inelegível candidato condenado em primeira instância ou denunciado por crimes como improbidade administrativa ou uso de mão-de-obra escrava e estupro. As assinaturas foram entregues ao presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), ontem.
A iniciativa dos parlamentares de subscrever a proposta visa a acelerar sua tramitação, que ainda precisaria passar por uma série de procedimentos burocráticos antes de ir a voto. Este mesmo procedimento foi adotado na maior parte dos projetos de iniciativa popular apresentados anteriormente. Biscaia explicou que caso a proposta não fosse subscrita teria que aguardar, por exemplo, a conferência de todas as 1,3 milhão de assinaturas.
De acordo com Biscaia, o projeto representa o desejo da população brasileira e marca um novo momento da 7ética na política. 5“O mais importante é que o sentimento do povo está demonstrado aqui. Não se tolera mais candidatos de ficha suja. Isso vai motivar até uma nova interpretação do Supremo Tribunal Federal”, afirmou.
A legislação atual prevê que os partidos façam a seleção de seus filiados, devendo optar por candidatos de ficha limpa, mas isso não ocorre na prática. Como os partidos não fiscalizam e permitem que maus elementos se candidatem, o povo quer colocar um ponto final nisso. O projeto é fruto de uma grande campanha nacional organizada por 43 entidades e coletadas também pela Igreja Católica, capitaneada pela Conferência Nacional dos Bispos (CNBB).

Reforma eleitoral

O projeto é uma das maneiras mais eficientes de se promover reformas no processo eleitoral do País. Como os atuais deputados – praticamente todos eles – têm interesse em deixar as coisas exatamente como elas estão para se beneficiarem, as mudanças só acontecerão de fora para dentro. Só com uma forte mobilização da sociedade é que o Congresso fará mudanças na legislação eleitoral.
O fato de existir uma ação na justiça não transforma o cidadão em criminoso, é claro. Mas o fato de ele já ter sido condenado em alguma instância da Justiça, de haver provas de suas irregularidades e o fato de o Brasil ainda não tratar os corruptos com o devido rigor, isso, sim, deve ser o suficiente para que essas pessoas não possam se candidatar. É o que a proposta popular de lei pretende. Além do mais, a opinião de quem luta contra corrupção é a de que não é justo que um candidato a cargo eletivo ingresse ou permaneça na política mesmo após ser condenado.

Brumadinho

No caso de Brumadinho, sendo aprovada a proposta de lei, não poderiam disputar eleições o atual vice-prefeito, Antônio Vieira, o Toninho da Rifel (PP) e outro Antônio, o ex-prefeito, Antônio do Carmo Neto, o Tunico da Bruma (PMDB). Rifel foi condenado por irregularidades cometidas quando era Presidente da Câmara Municipal. Neto foi condenado a se afastar do cargo por seis meses, perdeu direitos políticos por 3 anos e teve que pagar 20 salários mínimos de multa, dentre outras condenações. Nas rodas políticas da cidade, Tunico da Bruma avalia que o governo de Nenen da ASA (PV) vai de mal a pior, e já está em campanha, visando uma candidatura a prefeito em 2012. Mas, sendo aprovada a proposta da lei “Ficha Limpa”, os planos de Tunico irão “por água abaixo”. Além dessas condenações, ele tem mais inúmeros processos na Justiça, inclusive ação criminal.
Edição 106 – Setembro/2009
Faculdade Asa realiza Dia de Ação Social


A Faculdade ASA de Brumadinho realizou, em 26 de setembro, um Dia de Ação Social. O evento aconteceu no Estacionamento, das 9 às 13 horas. Nesse período, aconteceram “rua” de lazer para a criançada; foram dadas dicas de saúde, em especial de primeiros socorros; feitas medições de pressão arterial; demonstração de como lidar com incêndios pelos alunos do curso de Segurança do Trabalho. Tinha ainda música, algodão doce, demonstrações do Projeto Volta Mandi e pessoas entre 13 e 18 anos podiam “tirar” a carteira de identidade se fosse a primeira via.

Projeto Fred

Em uma das barracas, podia-se ver tapetes produzidos por participantes do Projeto Fred, que trabalha com prisioneiros de penitenciária como a Nelson Hungria, de Contagem. “Eu aprendi desde cedo a acreditar no ser humano”, falou à nossa reportagem Graziela Gonçalves, jovem de Betim que faz parte do Fred. “Me apaixonei pelo projeto desde a primeira vez”, disse sorrindo Graziela que ainda nos contou que o projeto participará de uma exposição no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, no dia 4 de outubro.

População aprova

Conversando com populares presentes no Dia de Ação Social, nossa reportagem apurou que eles aprovavam o evento. “Acho ótimo. Precisa acontecer mais porque em Brumadinho não tem lazer par as crianças. Quando tem é ótimo”, disse Danúbia Gonçalves Rezende Prates, que tinha levado sua criança para brincar. Já Rafhael Euber, do 3º Módulo do Curso de Segurança do Trabalho, avaliava que era muito importante “por que a gente fica sabendo sobre nossos direitos, mais sobre nosso município, sobre primeiros socorros”. De acordo com Rafhael, esse tipo de atividade envolve a comunidade.


Edição 106 – Setembro/2009
Brumadinho no roteiro do FID



“Gostei. Achei diferente, um espetáculo que eu nunca tinha visto, uma mistura de comédia, dança, música, cultura”, disse à reportagem do de fato a professora Neide Ferreira de Oliveira. Ela acabara de ver “He, She or it?”, com Tuca Pinheiro.
A cidade de Brumadinho foi contemplada, mais uma vez, com espetáculo do FID, o Fórum Internacional de Dança, que acontece há 13 anos. Organizado em quatro programas – Território Minas, FIDinho e Conexão Internacional - o FID inaugurou sua edição “FID Circulando Grande BH”. No dia 27 de setembro, com início às 16 horas, o espetáculo “He, She or it?” foi apresentado no Inhotim – Centro de Arte Contemporânea (Rua B, 20, Galeria da Praça – Brumadinho/MG).
Em 1998, o FID conquistou o prêmio Mambembe do Ministério da Cultura, como melhor evento artístico do ano. Quatro anos depois, foi finalista do Prêmio Multicultural Estadão (Jornal O Estado de São Paulo) como fomentador de novas ações.
Entre os dias 21 de setembro e 4 de outubro, espetáculos de dança, vídeos-documentários e oficinas foram oferecidos para o público, nas cidades de Belo Horizonte, Brumadinho e Viçosa.

He, She or It? (Vou ficar até a festa acabar...)

He, She or It? (Vou ficar até a festa acabar...), apresentado em Brumadinho, com duração de aproximadamente 60 minutos, é um espetáculo que tem como proposta do trabalho discutir as relações entre corpo e pensamento e seus desdobramentos, tendo como ponto de partida várias indagações que percorrem e habitam o assunto. Essa dialética é um exercício mediado por sensações ou uma ação intelectual? A trajetória de um corpo pode ser reconhecida pelos padrões de movimento que esse mesmo corpo produz? Memórias e histórias vividas pelo corpo constituem dados suficientes para certificar-nos da realidade e, ao mesmo tempo, legitimar e discutir sua existência? O corpo vê a si próprio? Corpo-matéria. Corpo-coisa. "Penso? Logo, existo?". Em caso de dúvida, dê um beliscão em si mesmo! Doeu?
Larissa Alves Fernandes, de 11 anos, disse ao de fato que o beliscão não doeu. “Eu dei em cima da calça”, contou ela. Já sobre o espetáculo que ela viu sentada na primeira carreira de cadeiras da Galeria Praça, ela disse: “Achei muito envolvente. No começo, me senti meio “penetra”, porque não sabia aonde ele (se referindo ao dançarino Tuca Pinheiro, solo de He, She or It?) queria chegar. Mas depois deixei que ele me contagiasse.”
Pelos aplausos, de pé, que Tuca recebeu, parece que ele contagiou a todos com um espetáculo em que, não apenas o dançarino pensou mas fez toda a plateia pensar, falar e dançar.

Tuca Pinheiro

O espetáculo te m concepção, coreografia e direção de Tuca Pinheiro. Tuca Pinheiro é dançarino e coreógrafo de fama nacional e internacional. Trabalhou na Meia Ponta Cia de Dança, Zikzira Physical Theatre, Benvinda Companhia de Dança, Primeiro Ato Grupo de Dança, Ballet Teatro Guairá e Cia de Dança do Palácio das Artes. Entre suas montagens coreográficas estão “Double Face”, da Flux Cia de Dança (2008), "Do Contrário Assim Seria o Mesmo", “Coreografia de Cordel", "Solilóquio", da G2 Cia de Dança do Teatro Guairá (2004); "Entre o Silêncio e a Palavra", "Sem Lugar", "Pare. Pense e faça alguma coisa.", "Barrocando", "Beijo nos olhos na alma e na carne" e "Desiderium".
Como Professor convidado de dança contemporânea e oficinas de criação participou do Grupo Camaleão, Flux Companhia de Dança, CINEPORT 2007 - João Pessoa (PB), FID 2006 (Barragem Santa Lúcia), Mimulus Cia de Dança, Move Berlin 2005 (Hochschule flir Schauspielkunst Ernst Busch-Alemanha), Festival de Inverno da UFMG 2005, Cia de Dança do Palácio das Artes, Meia Ponta Cia de Dança, Ballet Teatro Guairá, G2 Cia de Dança, Primeiro Ato Grupo de Dança, Cose Cia de Dança (Juiz de Fora), Grupo Corpo, Festival de Dança de Joinville 2000, Festival de Dança de Recife 2001, Festival de Dança de Cascavel (2002) e Festival Plurielles – Teatro Saragosse 1998 (França).

Espetáculo gratuito

Com patrocínio da Petrobrás e lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, o próprio panfleto do espetáculo avisava que a entrada era gratuita, bastando chegar antes, e retirar o ingresso, das 15 às 16 horas, ou até quando durassem. Bastante coerente porque, segundo os organizadores, o “FID Circulando Grande BH” tem como objetivos viabilizar o acesso, a inclusão e troca com áreas distantes dos equipamentos de cultura, da informação e da agenda de programações culturais da cidade. Ainda segundo eles, a primeira etapa do Fórum sempre se compromete a trabalhar pela difusão, reflexão e formação de novos públicos e criadores no campo da dança contemporânea, sempre buscando incorporar novos sentidos e investigações na dança como produção de conhecimento. No entanto, houve confusão por parte do anfitrião Inhotim.

Constrangimento

Quando chegamos ao local e procuramos a recepção, fomos informados de que deveríamos pagar a entrada no Museu para poder ver o espetáculo. Avisamos que, de acordo com o release que recebemos dos organizadores, a entrada era franca. Desinformadas sobre a questão, as recepcionistas chamam alguém. Telefona aqui, telefona ali, e outra pessoas, do outro lado da linha, sendo informada de que éramos da imprensa, “liberou”. Fomos indicados a uma entrada mas que estava fechada e voltamos à recepção. Mais algum telefonema e fomos conduzidos à porta da frente depois de termos reclamado do constrangimento a que estávamos sendo submetidos. Mas o pior constrangimento veio mais tarde.
Mais duas pessoas, talvez as únicas brumadinenses no espetáculo além de nossa reportagem, também foram “barradas”. Só conseguiram entrar sem o pagamento de entrada depois de avisar às recepcionistas que tinham se informado com o jornal de que a entrada era gratuita. Se fossem as primeiras pessoas a serem barradas, por desinformação, como aconteceu conosco, ainda era mais perdoável. Mas serem barradas depois que nós já tínhamos sido e tínhamos explicado que a entrada era realmente gratuita?
Edição 106 – Setembro/2009
Saúde Mental de Brumadinho em Brasília

No dia 30 de setembro esteve em Brasília uma caravana de profissionais e usuários dos serviços de Saúde Mental de Brumadinho. A saída foi no dia 29, à noite, e, em Belo Horizonte, a caravana de Brumadinho se juntou a outras centenas de pessoas. Na capital federal, encontraram outros militantes da Saúde Mental, de todas as regiões brasileiras. A ida em Brasília foi um ato em defesa do serviço, que defende e aplica a tese de que os portadores de sofrimento mental devem ser tratados, sim, serem medicados sempre que necessário, mas que precisam ser integrados à sociedade. O “outro lado”, representado pela iniciativa privada especialmente, não admite esse avanço no tratamento dessas pessoas, e ainda resistem pela volta dos manicômios, muito usados no Brasil até poucos anos atrás e que ainda resistem aqui e ali.

A luta antimanicomial

“Antimanicomial refere-se a uma luta iniciada contra os manicômios e contra a lógica que o sustenta desde a sua criação, a saber: a lógica da exclusão. Cidadania é qualidade ou estado de cidadão, sendo cidadão o individuo no gozo dos direitos civis e políticos de um Estado, ou no desempenho de seus deveres para com este, ou seja, cidadania é exercício de direito e dever. No entanto, manicômio e cidadania estiveram sempre em lados opostos. O manicômio excluía a subjetividade dos portadores de sofrimento mental e os impossibilitava de vivenciarem a cidadania. Daí a importância de se falar em cidadania ao falar de luta antimanicomial”, defende Camila Silveira Lemos Rios, psicóloga graduada pela PUC – Minas. A luta antimanicomial iniciou na Itália, na década de 1960, com um movimento idealizado pelo psiquiatra Franco Basaglia, que propunha o fim dos manicômios e da lógica excludente do tratamento dispensado aos portadores de sofrimento mental nessas instituições. Tal movimento nasceu e cresceu do desejo de se renovar o espírito do tratamento, humanizá-lo, e, mais que isso, substituir a lógica manicomial por uma outra lógica que possibilite a criação de um sistema mais eficaz, preocupado com a inclusão ou reinserção social do portador de sofrimento mental. Esse movimento teve uma experiência principal, liderada por Basaglia, a experiência da cidade de Trieste, que produziu resultados positivos na substituição dos manicômios por serviços setoriais de saúde mental, e consequentemente a confiança na possibilidade da mudança.
Edição 106 – Setembro/2009
CURTAS
5º Encontro de Bandas em Manhumirim
Aconteceu em Manhumirim, MG, em 26 de julho, o 5º Encontro de Bandas de Música. Participaram do evento 14 bandas, entre elas, a Corporação Musical Banda São Sebastião, agora, São Sebastião Banda Show, de Brumadinho e, é claro, a Banda de Música Manhumiriense. Entre as bandas de outras cidades estavam as de Nova Era, Caratinga, Raul Soares e Nova Era. Para Marcus Eduardus, da banda de Brumadinho, foi importante participar porque para “conhecer outras Bandas, e com isso, buscar o aperfeiçoamento da música”.

Apresentações do FIC 2009
Brumadinho recebeu, neste mês de setembro, apresentações do Festival Internacional de Corais. O evento, que aconteceu de 18 a 27, em vários pontos turísticos de Belo Horizonte e em mais 11 cidades da Região Metropolitana e do interior do Estado, chegou à nossa cidade nos dias 19 e 20. No sábado, 19, a apresentação aconteceu em Conceição de Itaguá, na Praça em frente á Igreja Católica. No dia 20 de setembro, às 10h, o Instituto Inhotim recebeu o evento, com apresentações dos corais do Inhotim, Allegreto Cantalyn, Musicanto (Contagem, MG), o Grupo Vocal Flor do Canto (Niterói, RJ), além da atração internacional “Coro Infantil da Universidade de Cauca”, com tradição de 30 anos na Colômbia. A entrada era gratuita.
Um de seus objetivos do FIC é proporcionar a difusão, integração, incentivo, desenvolvimento e fortalecimento de laços entre corais regionais, nacionais e internacionais. Neste ano, a homenagem foi a Heitor Villa-Lobos.

De mal a pior
“Os conselhos são uma extensão do Poder Público”. Segundo o “Informativo” nº 3 da Secretaria de Educação de Brumadinho, a frase é da Secretária, Sônia Barcelos, irmã do prefeito Nenen da ASA (PV). Imagine se a moda pega! Imagine se os conselhos, obrigatórios por lei federal e não cor vontade política da Administração, começam a pensar como a Secretária. As coisas irão de mal a pior.
Os conselhos existem para fiscalizar o Poder Público, e não como “extensão”. É por isso que os conselhos são “paritários”: metade representa o gestor (Administração) e outra metade a população, porque há, muitas vezes, interesses conflitantes, como, por exemplo, dar reajuste para servidores ou não dar. De um lado, os servidores têm certeza de que merecem o reajuste; do outro, a Administração tem certeza de que não pode dar o reajuste. No caso do Conselho de Educação, há representantes de pais, de professores e outros. Assim é no Conselho de Saúde, no de Meio Ambiente e em qualquer outro. É claro que a Secretária tem razão quando diz que “juntamente com o Executivo devem defender os interesses da coletividade”. Mas, daí, a ser extensão...

Edição 106 – Setembro/2009
Só Rindo
ADVOGADOS

Morrendo
O advogado, no leito da morte, pede uma Bíblia e começa a lê-la avidamente. Todos se surpreendem com a conversão daquele homem ateu, e uma pessoa pergunta o motivo.
O advogado doente responde:
- Estou procurando alguma brecha na lei.

Perguntas
O sujeito chega para um amigo, advogado e diz:
- Quanto você cobra para me responder duas perguntas?
- Quinhentos reais! Qual é a segunda?

Pai e filho
Dois advogados, pai e filho, conversam:
- Papai! Estou desesperado. Não sei o que fazer. Perdi aquela causa!
- Meu filho, não se preocupe. Advogado não perde causa. Quem perde é o cliente!

Juntos
Dois advogados, sócios em um escritório, saem juntos e vão almoçar. Já no meio da refeição um vira para o outro e reclama:
- Puxa vida, esquecemos de trancar o escritório!
E o outro responde:
- Não se preocupe, estamos os dois aqui.

Absolvido
Num julgamento o Juiz pergunta ao réu:
- Como o senhor matou sua esposa?
- A chifradas, meritíssimo!
- Absolvido! Legítima defesa.

Na faculdade
Aluno de Direito ao fazer prova oral:
- O que é uma fraude?
- É o que o senhor, Professor, está fazendo, responde o aluno.
O professor fica indignado:
- Ora essa, explique-se.
Então diz o aluno:
- Segundo o Código Penal, 'comete fraude todo aquele que se aproveita da ignorância do outro para o prejudicar'.

No ar
O avião estava com problemas nos motores e o piloto pediu às comissárias de bordo para prepararem os passageiros para uma aterrissagem forçada.
Depois, ele chama uma atendente para saber se tudo está bem na cabine e ela responde:
- Todos estão preparados, com cinto de segurança e na posição adequada, menos um advogado, que está entregando o seu cartão aos passageiros!

Pessoas diferentes
Certo dia estavam dois homens caminhando por um cemitério quando se depararam com uma sepultura recente.
Na lápide lia-se:
'Aqui jaz um homem honesto e advogado competente'. Ao terminar a leitura um virou-se para o outro e disse:
- Desde quando estão enterrando duas pessoas na mesma cova?

Diferenças
Sabe qual a diferença entre juízes de Primeira Instância e os de Segunda?
Os primeiros pensam que são Deus.... Os outros já têm certeza!!!

Atropelamento
Dois trabalhadores estavam caminhando pelo acostamento da Via Dutra, voltando de uma Indústria onde haviam trabalhado duro o dia inteiro, quando um Advogado, que vinha a toda velocidade no seu carro importado, atropela os dois.
Um deles atravessou o pára-brisa e caiu dentro do carro do Advogado, enquanto o outro voou bem longe, a uns dez metros do local do atropelamento.
Três meses depois, eles saíram do Hospital e, para surpresa geral, foram direto para a cadeia....
Um, por invasão de propriedade privada e o outro por se evadir do local do acidente.

Edição 106 – Setembro/2009
Registro
Reunião do PMDB Mulher
Registramos e agradecemos aos vereadores Marta da Maroto e Leônidas Maciel pelo convite para participar da Reunião do PMDB Mulher. A reunião aconteceu em setembro, no dia 11, e foi empossada a comissão provisória do PMDB Mulher de Brumadinho.

Desfile Cívico de 7 de setembro
Registramos e agradecemos o convite enviado pela Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Brumadinho para o Desfile Cívico de 7 de setembro. O evento aconteceu na parte da manhã, na Av. Vigilato Braga.

Brumadinho Gourmet: Coquetel de lançamento
Registramos e agradecemos, também, o convite enviado pela Secretaria de Turismo e Cultura da Prefeitura Municipal de Brumadinho para o Coquetel de lançamento do Brumadinho Gourmet. O Coquetel aconteceu no dia 24 de setembro, na Estância da Cachoeira, em Casa Branca.

“Projeto do Espaço de Convivência e Arte”
Registramos e agradecemos, ainda, o convite enviado pelos juízes da Comarca de Brumadinho, Paulo Sérgio Ferreira e Christiana Motta Gomes para o lançamento do “Projeto do Espaço de Convivência e Arte” no espaço físico do Fórum de Brumadinho. Aconteceu em 1º de outubro.
Edição 106 – Setembro/2009
Social
Aniversários

A vereadora Lilian Paraguai (PT), que soprou velinhas no dia 1º


No dia 8 de setembro comemoramos os 98 anos de Padre Dante. Mas não vamos falar nada! A Margarida, em seu artigo, já falou tudo!
No dia 4 foi o de Paulo Viotti. Mas não vamos falar nada! A Margarida, em seu artigo, já falou tudo!
O mês de outubro começa com o aniversário da vereadora petista Lilian Paraguai. Lilian soprou velinhas no dia 1º. No dia 2 foi a vez de Frederik Friche Maciel, o Fred. Fred completou 31 aninhos.

Mais nivers

Quem vai comemorar no dia 18 é Margarida Mello. “Agradecendo a Deus o dom da vida, com seus jardins interiores, formando um universo do bem! Dela, a força dos bravos e os sonhos indomáveis dos justos.
E Alegria, muita Alegria. Viver! E não ter a vergonha de ser feliz!
A todos eles, desejamos muitos anos de vida, muitos anos de poesia, muitos anos de luta, muita fé e alegria. Viva!!!

Dia do Médico


No dia 18 de outubro se comemora o Dia do Médico. Nossos parabéns para nossos doutores Luiz Alberto, Dr. Ricardo Pereira, Dr. Antônio Olavo, Dr. Jurgen Bhering, Dr. Gilberto, Dra. Valéria, Dra. Vivian, Dra. Marina e tantos outros que atuam em Brumadinho.

Edição 106 – Setembro/2009
Opinião
Hoje, trocando o passo, para momentos de fato!...
Hoje, gostaria de trazer às pessoas imagens diferentes, mas que possuem a mesma essência, a mesma marca, traços semelhantes. Irei citá-las a priori para que se possa ao final encadear com elos de respeito, admiração e verdade, fazendo em nosso pensamento a necessidade premente da multiplicação de seus valores: José do Amaral – Paulo Viotti- Padre Dante e:..?..
Quem possui boa memória há de se lembrar de um Prefeito magro, muito claro, sistemático, pouco falante no dia a dia, cheio de sabedoria e conhecedor profundo de Brumadinho. Austero quanto à correção dos atos e ações públicas, progressista, honrado e trabalhador como nossa gente. Homem sincero e preocupado com a realidade da sociedade. Sabedor de casos e histórias de vários segmentos da humanidade. Priorizador das necessidades populares e acima de tudo grande amigo. Com ele o certo era certo e o errado, errado, em cima do muro não ficava. Era eu estudante de quarta a oitava e recordo-me dele quando chegava à casa de meus pais, Eduardo e Yayá, no Canto do Rio, parava a camionete e descia sempre ajeitando os óculos no rosto ou limpando-os da poeira do minério, batia os pés no passeio e perguntava: Seu pai tá ai? Fala com ele que é o Zé Amaral. Lá permanecia por muito tempo conversando com meus pais e era sempre cuidadoso em manter o jeito simples das pessoas do campo, levando-lhes mimos colhidos na Fazenda da Bocaina. À família nosso sentimento de pesar e a certeza de que José Amaral fez parte integrante do grupo bom caráter e de pessoas especialíssimas.
Paulo Viotti, Poeta, altruísta, escritor, literato, pensador, pintor, compositor e realizador de coisas boas, de dar a quem busca a oportunidade de desenvolver suas habilidades em áreas diversificadas. Membro da Academia Mineira de Trovas. Homem gentil, correto com o exercício da cidadania. Educado, olhar limpo como de criança, trazendo a cor da esperança e a vivacidade dos inquietos. Sempre acolhedor e valorizador das qualidades mais intrínsecas do ser humano e preocupado com a cultura não de rótulo, mas de ação. Aniversariou dia quatro, brindando-nos com sua criação mais recente: Mineiridades e Mineirices. E no encontro impecável teve de tudo um pouco do seu mundo, a família, amigos, lançamento de livro, exposição de quadros, artesanato, poesias, falas, músicas e café bem mineiro com quitandas e doces que só Minas tem!
Padre Dante, acima de tudo um homem de fé, guiado por Nossa Senhora neste legado missionário e sendo Dela seu coração verdadeiro. Que não se cansa, não se abate, não se esmorece diante das diversidades da vida. Preocupado com as coisas de Deus na vida diária de sua criação, o homem, a mulher, os filhos, a família, as pessoas. Sua vida de edificador de igrejas é a maior verdade de tudo que se possa dizer desse italiano sincero, mais brasileiro e brumadinhense do que nunca. Pintor, escritor, poeta, pregador, cantor, compositor, confessor, desenhista, arquiteto, posso, sem medo de errar, dele dizer: conhecedor do mundo e do ser humano; Talentoso e Sábio. Tenho a honra de ter figurado em seu SIM! Faça-se em mim conforme dizes! Nº 71 março 2009 com o artigo Recortes. Quase um século, 98 anos neste 08 setembro também.
Neste quarto momento, dizer da importância de Brumadinho ter a imprensa de liberdade e qualidade de Circuito, Tribuna, Apa Sul e De Fato. Queremos nos manifestar com alegria e orgulho os 12 anos de vida do DE FATO, isto porque já é adulto na vida da informação e adolescente na procura do MAIS: informação, prestação de serviços, Cultura, entretenimento e a oportunidade da manifestação da veia poética através do Concurso de Poesia, já no IV ano. Disponibiliza ao público leitor uma das maravilhas da tecnologia da informação, da modernidade, o jornal eletrônico, através do blog, onde as matérias são colocadas também em enquete de apreciação e qualidade, preferência. Para um lutador, guerreiro, talentoso, poeta, mestre em literatura, ético e sem medo e com isenção nas notícias, chamado Reinaldo Fernandes, o nosso abraço de admiração e respeito, sem falar da Alegria da colaboração. Parabéns a todos do jornal e obrigada por persistirem com essa postura e a visão coletiva de Brumadinho, o melhor para todos nós. Sempre pensamos que a felicidade é você ser você, agimos assim, vivemos assim e respeitamos assim, e de Rubem Alves torno minhas as palavras:
“... Quem não tem jardins por dentro,
Não planta jardins por fora.
E nem passeia por eles...”
Muitos que hão de vir, vão segui-los, por serem exemplos de vida norteadora do bom caminho, com cada um exteriorizando e multiplicando os jardins que trazem no peito. Cada um realizando o seu melhor por uma sociedade mais justa, mais digna. Agradecendo a Deus o dom da vida com seus jardins interiores, individuais, diferentes e semelhantes em partilha, formando um universo do bem! Deles a força dos bravos e os sonhos indomáveis dos justos.
Obs: Desculpem-me por citar o Reinaldo em seu próprio jornal.

Alegria e agradecimento aos Professores pelo seu merecido dia 15 de outubro!


Nota da redação: Padre Dante faleceu na terça-feira, dia 5 de outubro, antes de ler este texto.
Edição 106 – Setembro/2009
Nacional
Presidente Lula sanciona nova Lei Eleitoral

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sancionou a lei eleitoral, aprovada pelo Congresso Nacional, que valerá para as eleições de 2010. Apesar de ter vetado três pontos da lei, Lula decidiu manter o voto em trânsito, que autoriza o eleitor a votar quando estiver fora de seu domicílio eleitoral e também o voto impresso, a partir das eleições de 2014.
Lula derrubou as restrições a debates na internet durante a campanha eleitoral. As limitações estavam presentes no texto aprovada pelo Congresso. A publicidade paga na internet estará completamente vedada nas próximas eleições presidenciais.
O presidente também vetou a possibilidade de cidadãos se candidatarem sem ter quitado as suas dívidas com a Justiça Eleitoral. Pelo projeto do Congresso, haveria a possibilidade da candidatura através do parcelamento posterior da dívida.
Edição 106 – Setembro/2009
Brumadinho Gourmet – 2009 tem boa aceitação do público

Aconteceu, do dia 25 a 27 de setembro, o Brumadinho Gourmet, na localidade de Casa Branca, a uns 17 quilômetros da sede. Empresários, gourmets, cozinheiros, produtores, artesões e artistas de Brumadinho movimentaram a região. O evento aconteceu em parceria com o SENAC/MG e contou com o envolvimento da comunidade local. Entre os artistas que participaram estiveram Wanderley do Prado, o Deley da Viola, e das Bandas de Santa Efigênia e São Sebastião.
Trata-se, segundo Cristiane Vieira, Chefe do Departamento de Turismo da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, de um evento cujo objetivo é impulsionar Brumadinho no cenário turístico e de gastronomia, através da promoção de suas riquezas e da valorização de seus talentos. Para a divulgação, a Prefeitura investiu em vários meios, como out-doors e até propaganda na Rádio Inconfidência FM.

Local

As atividades aconteceram no largo da Igreja de Casa Branca e na praça, onde os visitantes puderam se deliciar nas tendas dos restaurantes participantes ao som de músicos, apresentações culturais e folclóricas e curtir as barracas de produtos artesanais.
Atividades gastronômicas e culturais aconteceram durante os jantares e festins que foram promovidos pelos restaurantes e pousadas de Casa Branca.
A intenção é que o “Brumadinho Gourmet” passe a compor um Calendário Turístico do município, trazendo turistas e gerando emprego e renda para a cidade. O de fato conversou com várias pessoas que estiveram no Brumadinho Gourmet. Apesar de algumas críticas, como o fato de pratos serem servidos em marmitex, a aceitação do público foi boa.