Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

domingo, 17 de abril de 2011

Edição 122-Março/2011
Editorial:
O jogo político e as denúncias de Cláudio

Na Câmara, a CPI que apura denúncias de corrupção em Brumadinho reclama sem parar do presidente da Casa, Leônidas Maciel. A CPI parece se esquecer de seu poder, inclusive o poder de polícia, fica se lamuriando ao invés de agir com mais serenidade – porém com firmeza -, e fazer valer seu poder de investigar, exigir documentos – mesmo que seja pela via judicial. Como na votação do IPTU, quando os vereadores disseram votar sem saber o que estavam fazendo, agora a CPI reclama de assessoria jurídica como se a única forma de trabalhar fosse com uma assessoria jurídica externa.  
Por outro lado, Cláudio Teixeira virou um tipo de “denunciante oficial”. Depois das denúncias da existência de supostos funcionários fantasmas na Administração Nenen da ASA (PV), Cláudio está sendo esperado na Câmara a cada sessão do Plenário.   
Enquanto isso, Nenen da ASA contra-ataca: faixas assinadas pelo PV Jovem foram colocadas no centro da cidade elogiando o prefeito; matérias pagas em jornais da cidade fazem propagandas de sua administração; Daniel Hilário – que o acusou de manter funcionários fantasmas na Prefeitura - volta atrás e assina um documento para tentar inocentar o prefeito; e sobrou até para o blog do jornal de fato (www.jornaldefato.blogspot.com): o jornal postou uma enquete perguntando aos leitores se eles consideravam o Prefeito culpado ou inocente das acusações de caixa dois, autoria da carta anônima etc. A enquete foi postada no dia 20 de março. Nos primeiros dias seguintes, inúmeros leitores acessaram o blog para participar da votação, quebrando todos os recordes de acesso ao blog desde a criação da página do de fato na internet. Desde os primeiros dias, o resultado era muito desfavorável para o prefeito, chegando a 90% dos votos considerando-o culpado. Mas, a partir do dia 28 de março, parece ter havido uma grande corrida para acessar o blog: só nesse dia 28, foram 45 votos. Desconfiamos de que o prefeito reagiu ao resultado, e seus aliados resolveram votar em sua inocência. Em 5 de abril, o blog chegou a ser acessado 78 vezes. E o resultado acabou empatado em 47% contra o prefeito (“culpado”) X 47% a favor (“inocente”). A enquete recebeu 116 votos.   
Mas a “oposição” também não está quieta. No dia 31 de março, como quem não quer nada, estiveram numa mesma reunião, na câmara, representantes do PMDB - tanto os do grupo de Tunico da Bruma quanto os do grupo de Tunico Brandão, inclusive os dois próprios -, do PTB, do PSDB, do PR, do PT e até do PP.   
Em outras palavras: para quem sabe ler, meia palavra...
Edição 122-Março/2011
Milhares de pessoas farão o “Abraço à Serra da Moeda

Se se repetir o que aconteceu no ano de 2010, milhares de pessoas abraçarão a Serra da Moeda neste próximo 21 de abril, feriado nacional e quinta-feira da Semana Santa. A atividade faz parte da luta em defesa da Serra, especialmente contra a empresa de mineração Ferrous. Mais uma vez, comunidades de Brumadinho e de municípios vizinhos, ambientalistas, turistas e praticantes de esportes realização o abraço simbólico. Segundo os organizadores, o abraço “visa a proteção da montanha,suas águas e seu povo, hoje ameaçados por um ambicioso projeto de exploração mineral da empresa Ferrous Resources do Brasil. 
O evento acontece há 4 anos no dia em que comemora-se o ícone da Inconfidência Mineira, Tiradentes, por representar a luta histórica dos mineiros contra a exploração das nossas riquezas naturais, fato que ainda perdura mesmo após 219 anos da morte do mártir da Independência.
O protesto, que no último ano contou com a presença de 7 mil pessoas – na conta dos organizadores – reivindica a implantação do Monumento Natural da Serrinha, unidade de proteção integral, instrumento legal que viabilizará a efetiva preservação da vida na Serra.
“A Ferrous Resources do Brasil, desde que anunciou seus planos de reativação da Mina Serrinha, localizada na Serra da Moeda e que está com a operação interrompida há mais de 15 anos, vem tratando as comunidades de Brumadinho de forma desrespeitosa, se negando a prestar informações sobre a estruturação do seu empreendimento; tentando cooptar moradores locais por meio da promessa de empregos e, sobretudo, ocultando informações relativas ao projeto que está em curso no Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM”, reclamam os organizadores do evento. O Movimento acabou tendo acesso ao projeto através de sua mobilização. Através de uma ação popular, a Justiça obrigou a Ferrous a repassar as informações.

Danos à população

Dentre as conseqüências danosas à população, o projeto da Ferrous poderá causar poluição do ar e sonora,abalos  sísmicos decorrentes da utilização de explosivos no método de lavra, extinção de importantes nascentes de água. Será, ainda, instalada uma pilha de estéril (minério sem uso comercial, resto) no distrito de Piedade do Paraopeba e barragem de rejeitos (lama e outras substâncias que sobram do minério lavado) e planta de beneficiamento em comunidades tradicionais de Brumadinho, como em São José do Paraopeba.

União de vários movimentos

Para evitar o empreendimento da Ferrous, vários movimentos se uniram. Do “Abraço” devem participar moradores das comunidades rurais próximas à Serrinha, ambientalistas, e pessoas que não são diretamente ligadas a algum movimento organizado mas que apoiam a luta e defendem a mesma tese.  Os organizadores esperam a presença de mais de 10 mil pessoas. O evento acontece nas proximidades do restaurante “Topo do Mundo”, num lugar em que há uma belíssima vista de Brumadinho. Quem participar, com certeza não vai se arrepender. Está prevista a presença de bandas de música, apresentação de irmandades de Congado e Moçambique, grupos de capoeira. “A ideia é que todos juntos integrem um imenso cordão para proteger a bela, rica, frágil e majestosa Serra da Moeda”, garantem os organizadores.

Como participar

Qualquer pessoa pode participar do “Abraço à Serra da Moeda”. Ônibus sairão de Brumadinho (Residencial Bela Vista, Rodoviária e Bairro Santa Efigênia às 8 H da manhã). Os organizadores pedem que as pessoas vistam-se de branco.               
Edição 122-Março/2011
Funcionários fantasmas na Prefeitura

Em sua última edição, o jornal de fato trouxe longa matéria sobre graves denúncias feita pelo ex-secretário geral da Câmara Municipal de Brumadinho e ex-coordenador da campanha de Nenen da ASA (PV), Cláudio Augusto Teixeira, o Cláudio do Zé Ernesto. Cláudio acusava o Nenen da ASA (PV) de ser o autor de uma carta anônima difamando cidadãos brumadinenses, inclusive juíza, policiais, vereadores e outras autoridades; de Compra de votos durante sua campanha eleitoral e por uso de caixa dois na campanha de 2008. Teixeira acusa ainda o ex-presidente da Câmara, José de Figueiredo Nem Neto, o Zezé do Picolé (PV), de suposta improbidades administrativas, de agir em desacordo com as leis no exercício de cargo público, contratando serviços de sua família, usando e abusando dos veículos da Câmara para beneficiar seus parentes; e ainda acusou Zezé do Picolé (PV) de manter irregularmente no cargo de confiança na Câmara uma sobrinha do prefeito Nenen da ASA (PV), Daniele Rose Barcelos.
Agora, o ex-secretário geral da Câmara Municipal de Brumadinho e ex-coordenador da campanha de Nenen da ASA (PV) voltou a fazer novas denúncias na tribuna da Câmara Municipal. As novas acusações aconteceram no dia 17 de março. Desta vez, Teixeira acusou o prefeito Nenen da ASA (PV) de manter funcionários fantasmas no quadro da Prefeitura. Ou seja: pagar salários para pessoas que não trabalham na Prefeitura e só recebem o dinheiro. 

Os fantasmas

Segundo Cláudio Teixeira, várias pessoas recebiam salário da prefeitura sem trabalharem um dia sequer, o que configura a contratação de funcionários fantasmas e desvio do dinheiro público. Para provar o que dizia, apresentou uma declaração feita por Daniel Hilário de Lima Freitas, com firma registrada em cartório. O próprio Daniel seria um desses servidores fantasmas. No documento, Daniel acusa Breno Carone - presidente do PMDB de Brumadinho - de ser o responsável por assinar as folhas de ponto dos servidores fantasmas da prefeitura. Daniel seria o responsável por buscar no Departamento de Recursos Humanos da prefeitura os respectivos contracheques dos “fantasmas”. “Eu era servidor da Prefeitura de Brumadinho, mas, às ordens do Senhor Breno Carone, ficava à sua disposição sem efetuar qualquer tipo de atividade vinculada a Prefeitura de Brumadinho”, diz a declaração de Daniel, apresentada aos vereadores por Cláudio Teixeira.

O documento de Daniel

A Declaração de Daniel Hilário de Lima Freitas entregue aos vereadores contém 5 pontos. No primeiro item, Daniel garante que “durante os meses de dezembro de 2009 a julho de 2010, vários servidores foram contratados pela Prefeitura Municipal de Brumadinho. Tais servidores, contudo, não prestavam serviços ao Município, mas ao Senhor Breno de Castro Alves Carone.”
No segundo item, Daniel de Lima Freitas sustenta que dois dos servidores “fantasmas” “prestavam serviços em Belo Horizonte”, que um era motorista de Breno Carone e outra era assessora do deputado estadual Tenente Lúcio, na Assembleia Legislativa de MG. Ele cita ainda outras duas pessoas que seriam “fantasmas”: Marco Antônio de Chaves, residente na COHAB; e Maria Cláudia de Souza Silva, a Claudinha. Maria Cláudia é a diretora do jornal Circuito Notícias.   

Documentos entregues ao MP

A reportagem do de fato tentou ter acesso aos contracheques dos funcionários “fantasmas” mas não conseguiu. Segundo Cláudio, os originais dos contracheques dos fantasmas, assim como da folha de ponto em branco assinada por Breno Carone, já foram entregues ao Ministério Público e ao Conselho Superior do Ministério Público Estadual.

O outro lado

O deputado Tenente Lúcio confirmou que a servidora citada por Freitas realmente trabalhou em seu gabinete. “Ela era estagiária e, como saiu da faculdade, a Assembleia não renovou seu contrato”.  Ela teria estagiado em seu gabinete de abril a julho de 2009, fora do período indicado na denúncia.
Tenente Lúcio disse, ainda, que não sabia que a servidora trabalhava na prefeitura, mas lembrou que o estágio de quatro horas na Assembleia permite que o estagiário tenha outro emprego. Bruno Carone, neto do ex-prefeito de Belo Horizonte, Jorge Carone, negou as acusações. “Não tem nada disso. Sou presidente do Circuito de Turismo (VeredasdoParaopeba) e tenho convênios com a prefeitura”, afirmou.
Ao jornal “Hoje Em Dia”, Carone disse que “não tem motorista” e que “mora e trabalha” em Belo Horizonte. Mas Breno Carone é presidente do PMDB Jovem, e, inclusive, foi candidato a vereador no mesmo pleito que elegeu Nenen da ASA prefeito. No dia 3 de abril a reportagem dom jornal de fato entrou em contato com Breno Carone mas a ligação não foi atendida. A reportagem deixou uma mensagem e solicitou que Carone retornasse caso desejasse se pronunciar a respeito das denúncias. Até o fechamento da edição nenhuym retorno foi dado.

Nenen da ASA (PV): “nada a declarar”

Ao Hoje Em Dia, a assessoria do prefeito Avimar Barcelos (PV) disse que ele não tinha “nada a declarar” sobre as denúncias e que seus advogados vão tomar as “devidas providências”. O jornal de fato enviou um e-mail para a Assessora de Comunicação, Cristiane Passos, no dia 31 de março, quinta feira de manhã, para saber se o Prefeito gostaria de fazer alguma declaração sobre as denúncias. Na quinta feira, o jornal não obteve resposta. O jornal esperou a resposta na sexta feira de manhã mas ela também não chegou. Na sexta feira à tarde, Daniel Hilário procurou a redação do jornal e deixou um documento em que defendia o prefeito, escrevendo, em caixa alta (letras maiúsculas), que o prefeito “nenhum conhecimento tinha” sobre os servidores vinculados a Breno Carone.

Maria Cláudia explica sua relação com a Prefeitura

Já a Diretora do jornal Circuito Notícias, Maria Cláudia de Souza Silva, a Claudinha, ao ser contatada pela reportagem do jornal de fato, explicou que “em 2009, como prestadora de serviços em comunicação”, e pela sua “experiência de 14 anos neste segmento”, foi “convidada pela gestora do Circuito Veredas do Paraopeba, Érica Natália de Sousa, para trabalhar como assessora de comunicação da Agência Circuito Veredas do Paraopeba”. “Fui informada que a Prefeitura me contrataria para trabalhar no Circuito Veredas, como contrapartida do convênio realizado entre Agência Circuito Veredas do Paraopeba e Prefeitura Municipal de Brumadinho. O Circuito Veredas do Paraopeba é uma agência estruturada pela Setur, para o desenvolvimento turístico de cidades de uma mesma região. Ele é mantido pelas prefeituras associadas. Atualmente são 10 as cidades conveniadas, que mantém a Agência de Desenvolvimento do Turismo em funcionamento, entre elas, Brumadinho”, disse Claudinha. Segundo a diretora do Circuito Notícias, ela trabalhopu no Circuito Veredas do Paraopeba durante 8 meses pela Prefeitura Municipal de Brumadinho. “Nesse período desenvolvi vários trabalhos de comunicação, como o projeto e editoração eletrônica mensal do informativo on line da Agência, confecção de folderes, convites, cartões, revisão em textos, entre outros e, todos os trabalhos desenvolvidos estão arquivados, para quem queira ver”, garantiu. 
Ela explicou ainda que foi comunicada de seu desligamento da Prefeitura no mês de julho/2010 pois a participação da Prefeitura no Circuito Veredas do Paraopeba não seria mais através da disponibilidade de funcionários, mas sim através de repasse mensal, em dinheiro. “Por solicitação da gestora do Circuito Veredas do Paraopeba, Érica Natália de Sousa, continuei prestando serviços à Agência, o que faço até hoje, dando continuidade ao Projeto de comunicação implantado, indispensável para o funcionamento da Agência”, explicou.
“Se fui citada como uma possível funcionária fantasma, afirmo que é uma mentira, pois tenho arquivado todo o meu trabalho desenvolvido naquele período”, concluiu Maria Cláudia de Souza Silva.

Daniel procura Cid Barcelos

No dia 17 de março, o ex-secretário geral da Câmara Municipal de Brumadinho e ex-coordenador da campanha de Nenen da ASA (PV), Cláudio Augusto Teixeira, o Cláudio do Zé Ernesto, esteve na Câmara apresentando as denúncias de Daniel Hilário de Lima Freitas, um “fantasma” da Prefeitura. O jornal de fato apurou que quatro dias depois, 21 de março, Daniel procurou Alcimar Barcelos, o Cid, Secretário Municipal e irmão de Nenen da ASA (PV). Mas Cid não teria conversado com Daniel. Daniel teria se mostrado muito preocupado, e teria procurado um outro secretário do governo Nenen da ASA (PV) para pedir que este marcasse um encontro com Cid, que, novamente, teria se recusado a conversar com o denunciante.    


Daniel recua, procura MP e vereadores e defende prefeito
Em um documento com contradições, Daniel Hilário recua, apresenta outras versões e defende prefeito

No dia 1º de abril, Daniel Hilário de Lima Freitas, filiado ao PMDB, mesmo partido de Leônidas Maciel e Breno Carone, esteve na redação do jornal de fato. O jornal ainda não tinha feito nenhum contato com Daniel para falar sobre o assunto mas ele entregou um documento que estava endereçado ao Ministério Público Estadual e aos vereadores, onde ele recuava das denúncias anteriores e defendia o prefeito Nenen da ASA (PV).

Contradições

Segundo o novo documento assinado por Daniel, “não são verdadeiros os fatos lançados no documento protocolado na Câmara e Promotoria” - referindo-se à declaração assinada por ele, onde acusa a Administração Nenen da ASA (PV) de manter funcionários fantasmas na Prefeitura, inclusive ele próprio  Daniel diz que o documento não tinha “a finalidade de pedir qualquer providência quanto a irregularidades”. No entanto, há aí uma primeira contradição, uma vez que, no parágrafo seguinte do seu documento ele admite que “relatei a ele (referindo-se a Cláudio Teixeira) que trabalhava para o Sr. Breno Carone, mas que era servidor contratado pela Prefeitura”.
Segundo ele, foi Cláudio quem lhe explicara que ele era um funcionário fantasma e teria lhe perguntado se ele assinaria um documento com as informações, com o que ele concordou. Daniele admite também que “a demanda era pouca, razão porque ficava as vezes em casa, indo ao trabalho somente quando havia demanda”. A informação não muda muito a situação de Daniel: a lei prevê que o servidor deve sempre comparecer ao local de trabalho e lá permanecer, durante toda a jornada.

Documento de Daniel parece ter sido feito sob encomenda

Na declaração que Teixeira entregou à Câmara no dia 17 de março, Daniel garantia que “durante os meses de dezembro de 2009 a julho de 2010, vários servidores foram contratados pela Prefeitura Municipal de Brumadinho”. Agora, Daniel Hilário parece ter mudado de ideia e defende o prefeito: “o Sr. Prefeito Municipal nenhum conhecimento tinha sobre a atuação destes servidores, que estavam vinculados diretamente ao presidente do Circuito Veredas, que responde pelo convênio firmado”, escreveu ele em caixa alta. O novo documento assinado por Daniel parece ter sido feito sob encomenda para defender o prefeito Nenen da ASA (PV). No seu 6º parágrafo, Daniel Hilário afirma categoricamente: “Afirmo que, não assinei tal documento (referindo-se ao anterior) com a finalidade de pedir qualquer providências quanto a irregularidades, vez que estas não existem”, frisando que prestava serviços ao Circuito Veredas e que Cláudio utilizou sua declaração sem autorização.
Em seguida, Daniel Hilário de Lima Freitas volta a defender Nenen da ASA (PV), dizendo que “tão logo tomou conhecimento de que a demanda de trabalho era insignificante e que os servidores estavam ociosos” “cuidou de extinguir o contrato com todos os servidores que prestavam serviço junto ao Convênio.”

Insatisfação com Breno Carone

Daniel Hilário tenta explicar sua denúncia anterior da existência de fantasmas na Prefeitura alegando que sua insatisfação era com Breno Carone.
Daniel Hilário era muito amigo de Breno Carone até pouco tempo atrás. Vivia acompanhando Carone “pra baixo e pra cima”. Mas mesmo antes de fazer suas acusações sobre os fantasmas, Daniel Hilário já buscava outro partido para se filiar.      
Edição 122-Março/2011
Deu na imprensa:
Novas denúncias de Cláudio Teixeira chegam à imprensa regional

As graves denúncias feitas pelo ex-secretário geral da Câmara Municipal de Brumadinho e ex-coordenador da campanha de Nenen da ASA (PV), Cláudio Augusto Teixeira, o Cláudio do Zé Ernesto, sobre funcionários fantasmas na Prefeitura, chegaram à imprensa regional. O jornal Hoje Em Dia, de circulação em todo o estado de Minas Gerais, publicou página inteira em 20 de março tratando das denúncias.
A matéria, assinada pelo repórter Humberto Santos, tratava também das denúncias de suposto uso de caixa 2 na campanha de 2008 pelo prefeito Nenen da ASA (PV). Havia ainda uma denúncia apresentada pelo próprio Hoje Em Dia, intitulada de “Placa turística é alvo de investigação”, em que o jornal acusa a Administração de Nenen da ASA (PV) de usar dinheiro público para fazer propaganda particular da Faculdade ASA, de propriedade de sua família. Veja abaixo um resumo das outras denúncias publicadas pelo Hoje Em Dia e a matéria sobre o envolvimento Prefeitura e Faculdade ASA:

Promotoria apura caixa 2

O Ministério Público Eleitoral (MP) de Brumadinho já enviou pedido para a Procuradoria Eleitoral, em Belo Horizonte, de análise das denúncias de suposto uso de caixa 2 na campanha de 2008 pelo prefeito Avimar Barcelos (PV).
(...) Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi instalada na Câmara para apurar as acusações contra o prefeito. Na reunião da última quinta-feira, os vereadores da CPI e o presidente da Casa, Leônidas Maciel (PMDB), protagonizaram um bate-boca.
Os membros da CPI acusam Maciel de “engessar” e dificultar o funcionamento dos trabalhos. Maciel responde apontando falta de organização da comissão e exigindo que os colegas cumpram o “rito” previsto no regimento da Casa. A reunião começou tensa, com o presidente advertindo os membros da CPI de que ela corria o risco de se tornar “nula” por, supostamente, não seguir os trâmites determinados pelo regimento da Casa. A presidente da CPI, Marta Boaventura (PMDB), tentou rebater Maciel, que optou por não conceder a palavra à colega.
No fim da reunião, quando a peemedebista teve oportunidade de falar, o clima esquentou. Marta reclamou que a CPI não estava tendo acesso aos documentos relativos às denúncias e cobrou a contratação de outro escritório de advocacia, já que o que presta serviço para a Câmara, atualmente, teria sido contratado por um dos investigados. “Só queremos agir com clareza”, afirmou a vereadora.
“Nada está sendo negado. Só queremos que a formalidade do rito seja cumprida. A vereadora acha que está na casa dela e que pode fazer a CPI do jeito que quiser”, atacou Maciel. Após garantir que a assessoria jurídica da Câmara é idônea, o presidente da Casa encerrou a reunião abruptamente e deixou o Plenário muito nervoso. (...)

Funcionário Fantasma é denunciado

Teixeira apresentou aos vereadores, na última quinta-feira, declaração de um ex-funcionário da prefeitura admitindo que era “funcionário fantasma” contratado pela administração municipal. Na declaração, registrada em cartório, o ex-funcionário Daniel Hilário de Lima Freitas afirma que (...) vários servidores foram contratados pela prefeitura e “não prestavam serviços ao município, mas ao senhor Breno de Castro Carone”.
(...) O ex-funcionário disse que não estava mais “suportando o peso de tal irregularidade” e que, por isso, resolveu denunciar as irregularidades “para que providências fossem tomadas”. O deputado Tenente Lúcio confirmou que a servidora citada por Freitas realmente trabalhou em seu gabinete. (...)
Bruno Carone, neto do ex-prefeito de Belo Horizonte, Jorge Carone, negou as acusações. “Não tem nada disso. Sou presidente do Circuito de Turismo (VeredasdoParaopeba) e tenho convênios com a prefeitura”, afirmou.
Carone disse, ainda, que “não tem motorista” e que “mora e trabalha” em Belo Horizonte. Carone é presidente do PMDB Jovem, e a página do partido na internet indica que ele é filiado em Brumadinho. Cláudio Teixeira, ao fazer a denúncia na Câmara, deixou uma cópia da declaração com os parlamentares, lembrando que o documento original e os contracheques recolhidos por Freitas, durante o período que trabalhou na prefeitura como “funcionário fantasma”, foram entregues ao Ministério Público. A assessoria do prefeito Avimar Barcelos (PV) disse que ele não tinha “nada a declarar” sobre as denúncias e que seus advogados vão tomar as “devidas providências”.


Placa turística é alvo de investigação
Convênio garantiu dinheiro público para confeccioná-la, mas além das orientações, trazem propaganda particular

HUMBERTO SANTOS - REPÓRTER

Possíveis irregularidades envolvem Faculdade ASA e prefeitura

A Secretaria de Turismo de Minas Gerais (Setur) vai apurar possíveis irregularidades na confecção de placas turísticas em Brumadinho, na Grande Belo Horizonte. Um convênio entre a Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop) e a Prefeitura, no valor de R$ 60 mil, permitiu a fabricação de placas para orientar os turistas que visitam a cidade.
Já foram confeccionadas 50. O problema é que elas trazem, além de informações que orientam os visitantes, referência à Faculdade Asa. Conforme informações oficiais, o prefeito Avimar Barcelos (PV), conhecido na cidade como “Neném da Asa”, já foi sócio da instituição. Não seria mais, mas a Asa continua vinculada à família Barcelos.
O prefeito já é investigado pela Câmara Municipal, onde uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) apura denúncia sobre a existência de “funcionários fantasmas” na prefeitura e de uso de caixa 2 na campanha eleitoralde2008.
Na estrada municipal que liga o bairro Casa Branca à sede do município, passando pelo Córrego do Feijão, a reportagem flagrou seis placas com informações turísticas e a propaganda da faculdade. O trajeto é muito utilizado pelos turistas na via de acesso ao Museu Inhotim, passando por belas paisagens do Parque do Rola Moça e por restaurantes e chalés. A primeira placa está localizada logo na entrada do bairro, caracterizado por condomínios, e próxima ao totem que indica que o caminho é parte da Estrada Real.
É a mesma estrada que dá acesso às rodovias MG- 040 e BR-381, ao Inhotim e à Faculdade Asa. A segunda placa está logo após o posto de saúde e a escola do bairro. Adiante, a sinalização vai se distanciando, mas sempre localizada em pontos estratégicos da estrada de terra. A assessoria da Prefeitura de Brumadinho confirma que as placas estão “por toda a cidade” para “orientar” e prestar “serviço” aos turistas.
O levantamento realizado pela Setur é motivado pelo fato de as placas de cor marrom – usadas internacionalmente para indicações turísticas – trazerem também informações que deveriam estar presentes em um outro tipo de placa informativa, de cor azul, onde se enquadraria a propaganda da faculdade.
A administração municipal justifica a menção sobre a Faculdade Asa nas placas ao fato de “a biblioteca da instituição estar aberta para a população, gratuitamente”, merecendo, portanto, a indicação junto com informações turísticas. A assessoria do prefeito Avimar Barcelos ressalta, ainda, que ele “foi sócio” da Faculdade Asa, mas que, hoje, seu nome não consta mais no contrato social da instituição.
Além disso, garante que “Neném da Asa” teria se afastado da administração da instituição antes mesmo de se candidatar à prefeitura. No site eletrônico do MEC consta como mantenedora da Asa a Instituição Educacional Cecília Maria de Melo Barcelos e como representante legal Sônia Aparecida Barcelos Maciel. A instituição foi idealizada e fundada pelos irmãos Alcimar Barcelos, Sônia Aparecida Barcelos Maciel e Avimar de Melo Barcelos, nome este em homenagem à mãe dos idealizadores. A denominação Faculdade Asa de Brumadinho originou das letras iniciais dos nomes de seus idealizadores. ASA. Alcimar, Sônia e Avimar.

Jornal de fato já havia denunciado relação promíscua entre Prefeitura e Faculdade ASA

O jornal de fato já havia denunciado relação promíscua entre Prefeitura e Faculdade ASA. Em sua edição de nº 118, out/2010, o jornal mostrou que uma faixa de propaganda do vestibular da Faculdade ASA tinha sido colocada na cerca do almoxarifado da Prefeitura Municipal, à Avenida Inhotim. Em matéria intitulada “Confusão entre o público e o privado”, o jornal lembrava que o ex-prefeito Antônio do Carmo Neto, o Tunico da Bruma, fora condenado em um processo em que, durante 4 anos de mandato, comprou de sua própria empresa à época, a Supertintas. “Se já era comum há quase 20 anos atrás, a prática não mudou. É comum na atual Administração ver uma confusão entre a Prefeitura Municipal e a faculdade ASA, de propriedade da família do prefeito”, registrou o de fato.

Biblioteca da ASA

Segundo o jornal Hoje Em Dia, “A administração municipal justifica a menção sobre a Faculdade Asa nas placas ao fato de “a biblioteca da instituição estar aberta para a população, gratuitamente”, merecendo, portanto, a indicação junto com informações turísticas.” A reportagem do jornal de fato entrou em contato com a biblioteca – sem dizer que era do jornal – para checar a informação. No primeiro contato, de manhã, ninguém atendeu ao telefone. Num novo contato, por volta das 15:25H, foi informado de que a biblioteca não abria de manhã ou à tarde. Segundo a informação, a biblioteca só abria a partir das 16 e 30 horas. A reportagem ligou também à noite, perguntando se a população podia usar a biblioteca e foi informada de que só poderia ser usada para estudar mas não para retirar livros.     
Edição 122-Março/2011
Partido de Nenen da Asa (PV), acusado de corrupção, contra-ataca

O PV deu início a uma série de propagandas através de faixas colocadas na cidade. As faixas elogiam o Prefeito e suas supostas obras e são assinadas por um suposto “PV Jovem” (Partido Verde Jovem). Ao que parece, é uma reação à serie de graves denúncias ao Prefeito Nenen da Asa (PV). Além disso, especialmente a partir de março de 2010, quando começaram a chegar às casas o guia do IPTU, o Partido Verde está muito desgastado: seus 4 vereadores – e mais Leônidas – não só aprovaram um valor alto para o IPTU como se recusaram terminantemente a voltar atrás e corrigir o erro, apesar de admitirem que erraram. O Partido ainda continua se desgastando, uma vez que dá mostra de que quer blindar o vereador Zezé do Picolé, acusado de várias irregularidades.

As faixas

“O PV Jovem agradece ao prefeito Nenen da Asa que tem os olhos no futuro mas os pés e o coração no presente”,dizia uma das faixas, colocada na esquina das ruas Quintino Bocaiúva e Av. do Bananal.  Ao lado desta, uma outra faixa elogiava a construção do hospital, “uma obra que marcará a história da saúde em Brumadinho”, garante a propaganda, mesmo sabendo que a obra está apenas no alicerce ainda.
Noutra faixa, esta colocada em frente à Rodoviária, uma referência ao Aterro Sanitário, que também ainda não foi construído. Mais uma faixa, essa colocada depois da ponte sobre o Rio Paraopeba, enaltecia a construção de ponte em duas localidades da área rural. 

Autoritarismo e violência: faixas são queimadas

No dia 25 de março, a reportagem do jornal de fato fotografou 4 faixas colocadas na cidade. No dia seguinte, a reportagem saiu para fotografar a quinta faixa mas não conseguiu. Lamentavelmente, alguém queimou as faixas.  No sempre abominável anonimato, na calada da noite, o crime foi cometido. Ao invés do confronto aberto de opiniões, o que é muito saudável numa democracia, o criminoso – ou criminosos – preferiu destruir uma manifestação de pensamento, direito garantido a todos, sem exceção, pelo art. 5º da Constituição Brasileira. 

Quem é o PV Jovem

O jornal de fato não tinha conhecimento de quem eram as pessoas que formavam o PV Jovem, e que estariam colocando as faixas. O jornal postou uma enquete no seu blog (http://www.jornaldefato.blogspot.com) para saber se os leitores conheciam o tal “PV Jovem”. A enquete recebeu 54 votos. Desses, 53% disseram que não conhecem “pelo menos 3 pessoas” dessa suposta agremiação; 46% disseram conhecer. O jornal não conseguiu apurar se ela realmente existe.

Contra-ataque também via internet

Ao que pareceu ao jornal, aliados do prefeito parecem ter contra-atacado também na internet. Parece ter acontecido uma mobilização dos aliados de Nenen da ASA (PV) para votarem a favor de sua inocência: uma enquete postada no dia 20 de março perguntava ao leitor sua opinião sobre as denúncias contra o prefeito. Nos primeiros dias seguintes, inúmeros leitores acessaram o blog para participar da votação. Nos primeiros dias de votação, o resultado era muito desfavorável para o prefeito, chegando a 90% dos votos considerando-o culpado. Mas, a partir do dia 28 de março, parece ter havido uma grande corrida para acessar o blog: só nesse dia 28, foram 45 votos. Em 5 de abril, o blog chegou a ser acessado 78 vezes. Ao final, o prefeito alcançou 47% dos votos a seu favor (“inocente”), contra 47% de votos contra. 
Edição 122-Março/2011

Ele é um exemplo!

A partir desta edição, o jornal de fato traz para suas páginas bons exemplos para serem seguidos. É um incentivo para nossos leitores, de um jornal que quer acrescentar algo em sua vida.

Jesus. Este homem é um exemplo a ser seguido por todos nós. Jesus tem uma prática muito importante e necessária: todos os dias, ele corre. Isso mesmo, ele faz corrida. Os que vão de manhã para BH sempre o encontram na MG 040, em seu “trote”, “devagar e sempre”. Todos os dias, religiosamente, lá está Jesus, com saída marcada às 5:55 do bairro de Lourdes.
“É muito bom e importante, faz muito bem pra gente”, disse-nos ele. Com certeza, faz muito bem para o corpo e, principalmente, para a mente.
Ele é um exemplo a ser seguido: Jesus Coelho da Costa.
Edição 122-Março/2011
Presidente mostra despreparo para o cargo

O vereador Leônidas Maciel (PMDB) começou mal seu mandato. Sua eleição já foi bastante polêmica, porque o vereador estava em um grupo em que prometera votar em sua companheira de partido, Marta da Maroto, e, na última hora, Leônidas fez um acordo com o prefeito, mudou de lado, e votou em si mesmo, ficando com o cargo.  Agora, na reunião do plenário do dia 17 de março, deu provas de que não está preparado para exercer o cargo de Presidente do legislativo municipal. Leônidas protagonizou uma cena lamentável.
Na data, Cláudio Augusto Teixeira, o Cláudio do Zé Ernesto, esteve na Câmara para apresentar denúncias de funcionários-fantasmas na prefeitura. Em seguida, alguns vereadores queriam discutir o assunto, assim como discutir outras denúncias contra o ex-presidente José de Figueiredo Nem Neto, o Zezé do Picolé (PV). Leônidas Maciel, em atitude claramente autoritária, simplesmente levantou-se da cadeira e, assim, terminou a seção. Depois de “bater boca” com uma colega, diante dos vereadores e do público, simplesmente abandonou o plenário, muito nervoso, e se trancou em uma sala.
Edição 122-Março/2011
Adriano, Japão, Xodó e Leônidas tentam blindar Zezé do Picolé

Os vereadores do Partido Verde – PV -, e o mais novo aliado, o peemedebista Leônidas Maciel, tentam blindar o ex-presidente da Câmara, causando dificuldades para as investigações que apuram as acusações que pesam sobre ele.
Na reunião do plenário do dia 17 de março, Leônidas Maciel (PMDB) colocou em votação denúncias feitas contra Zezé de Picolé e Nenen da ASA (PV), para saber se abriria ou não algum processo para apurá-las. As denúncias eram sobre suposta ingerência do Executivo no Legislativo Municipal. O vereador Vanderlei Xodó votou contra. Votaram contra também os vereadores Prof. Adriano Brasil e Fernando Japão. Adriano e Japão foram citados em outra denúncia de Cláudio Teixeira. Fernando Japão teria recebido da câmara – na gestão de Zezé do Picolé – um telefone corporativo, o que é irregular. Adriano teria sido beneficiado por compra ilegal de combustível na campanha de Nenen da ASA, em atitude de uso de caixa 2. O vereador Adriano Brasil vai um pouco mais longe e questiona os trabalhos da CPI que investiga Zezé do Picolé, colocando-a sob suspeita de atos irregulares.
No entendimento de Leônidas, como a denúncia obteve apenas 4 votos a favor de sua apuração, deveria ser arquivada. 
Edição 122-Março/2011
CPI que apura corrupção reclama de Leônidas

A Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI – que investiga denúncias de corrupção em Brumadinho reclama do Presidente da Câmara Municipal, Leônidas Maciel (PMDB). A Comissão é formada pelos vereadores Marta da Maroto (PMDB), Itamar Franco (PSDB), Adriano Brasil (PV) e Lilian Paraguai (PT) - suplente. Três deles, Marta, Itamar e Lilian acusam Leônidas de não dar a devida colaboração à Comissão. Uma das reclamações é a falta de Assessoria Jurídica. A CPI quer uma assessoria para acompanhar os trabalhos da CPI, que fosse de fora, “imparcial”, pedido negado pelo Presidente Leônidas. Leônidas se defende dizendo que nomeou uma comissão multipartidária para dar legitimidade à Mesa Diretora. Sobre a contratação da assessoria jurídica, Leônidas disse que “a câmara já tem um contrato com uma empresa conceituada, respeitada, à disposição da CPI para auxiliá-la nos trabalhos”.

Daniele Barcelos

Daniele Rose Barcelos, a sobrinha de Nenen da Asa (PV), que estaria ocupando um cargo irregularmente na Câmara Municipal, continua lá. Os trabalhos da CPI apontam no sentido de que sua contratação foi mesmo irregular, que ela não possuía o Ensino Superior exigido pelo Pano de Cargos e Salários e que os documentos apresentados seriam falsos. Na reunião do dia 17 de março, quando usou a tribuna para fazer novas denúncias contra o prefeito Nenen da ASA (PV), Cláudio Teixeira disse ao presidente da câmara, Leônidas Maciel (PMDB), que afaste a servidora Daniele Rose Barcelos, recomendação que já foi feita pelo Ministério Público Estadual. Segundo Teixeira, Daniele tem total acesso aos documentos de interesse da CPI e que isso poderia atrapalhar os trabalhos da comissão. “Neste caso acredito que seria de bom dom que ela fosse afastada, até porque há uma recomendação ministerial solicitando a exoneração dessa servidora”, disse Cláudio. Mas Leônidas ainda não tomou nenhuma providência, alegando que a Assessoria Jurídica da Câmara está “analisando o caso”. Um outro presidente da Câmara de Brumadinho que não cumpriu recomendação do MP acabou tendo seu mandato cassado e perdeu os direitos políticos:  Antônio Vieira dos Santos, o Toninho da Rifel (PP). Após ter se negado a cumprir a recomendação, Toninho da Rifel sofreu uma Ação Civil Pública do Ministério Público, teve o mandato de vice –prefeito e os direitos políticos cassados e ainda terra que pagar multa se perder novamente no Supremo Tribunal Federal (já perdeu nas duas primeiras instâncias). 
Edição 122-Março/2011
Governo Nenen da ASA acusado de Assédio Moral

Duas trabalhadores da Prefeitura procuraram a reportagem do de fato par denunciar o que consideram assédio moral. Assédio moral é a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções. Juridicamente, o assédio moral pode ser considerado como um abuso emocional no local de trabalho, de forma maliciosa, sem conotação sexual ou racial, com o fim de afastar o empregado das relações profissionais, por meio de boatos, intimidações, humilhações, descrédito, isolamento, gritos e ameaças.
Essas situações são mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e antiéticas de longa duração, de um ou de uma ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinados, desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização.
As duas trabalhadores – que prestam serviços na Secretaria de Saúde - pediram para não serem identificadas, com medo de sofrerem perseguições maiores ainda. Segundo elas, uma chefe, que atua na Policlínica Municipal, vem constantemente assediando-as, com gritos, ameaças de “tirá-las da Policlínica” e deixá-las “ à disposição da Prefeitura”, dentre outras ameaças.  

Justiça

Para provar na justiça o assédio moral, a vítima deve reunir provas técnicas obtidas de documentos (atas de reunião, fichas de acompanhamento de desempenho, gravaçoes de falas etc), além de testemunhas para falar sobre o assédio moral cometido. Outra boa atitude dos servidores assediados é a denúncia. O trabalhador pode procurar o Ministério Público, o Juizado de Pequenas Causas, a chefia acima da chefe que está assediando, a Câmara e a imprensa local. 
Edição 122-Março/2011
Deputados mineiros e o Dia do Jornalista

No dia 7 de abril comemora-se o DIA DO JORNALISTA. Em Minas, a partir de 20003, o ex-governador Aécio Neves (PSDB) inaugurou um novo tempo de censura aos jornalistas mineiros, “proibidos” de publicarem qualquer crítica, qualquer comentário que fosse contra o Governo de Minas. Os que se “atreveram”, foram perseguidos e demitidos. No último 7 de abril,  o BLOCO MINAS SEM CENSURA, formado pelos partidos PT, PMDB, PC do B e PLRB na Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais divulgou a seguinte nota abaixo de desagravo aos jornalistas mineiros. Acompanhe:

NOTA DE DESAGRAVO AOS JORNALISTAS MINEIROS

Na passagem do DIA DO JORNALISTA, os deputados do PC do B, PMDB, PRB e PT na Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais, todos integrantes do BLOCO MINAS SEM CENSURA, vêm expressar de público a sua solidariedade para com os jornalistas mineiros, que estão, desde 2003, impedidos de publicar matéria que possa comprometer a imagem do ocupante do palácio do governo do Estado.
De fato, em que pesem suas reiteradas palavras de apreço e respeito pela imprensa e seus profissionais, o ex-governador Aécio Neves inaugurou em Minas dramática fase de perseguição política a jornais e jornalistas mineiros, para isso exercendo censura sobre matérias de vários veículos e interferindo na demissão de profissionais das emissoras de rádio e televisão no Estado.
Sabem os deputados que os jornalistas têm na liberdade de expressão a ferramenta primordial de seu trabalho, razão pela qual são fundamentais para a consolidação da democracia num país que há apenas pouco mais de 25 anos era refém do regime ditatorial imposto pelos militares. Como há na atualidade em Minas uma outra espécie de ditadura, certamente mais perversa porque mais disfarçada e consequentemente mais alienadora, saibam os jornalistas mineiros que, como eles, o povo desta terra anseia pela liberdade que lhe foi sempre muito cara e clama por uma Minas transparente, aberta em sem censura.

Palácio da Inconfidência, Belo Horizonte, 7 de abril de 2011
                DEPUTADO ROGÉRIO CORREIA
           LÍDER DO BLOCO MINAS SEM CENSURA
Edição 122-Março/2011
Denúncias de corrupção derrubam Juninho do Brumado

Júnior José Mendes, o Juninho do Brumado, acaba de deixar o PV Jovem (Partido Verde Jovem), do qual ele seria “Presidente”. O “comunicado” foi feito através de uma faixa colocada no centro da cidade. “Juninho do Brumado deixa a direção do PV Jovem com a certeza que a participação da juventude é fundamental na construção de uma cidade melhor para todos.”, dizia a faixa, colocada em frente ao Supermercado Super Luna. Na faixa, Juninho não explica porque estaria deixando “a direção do PV Jovem”.

Acusações de uso ilegal de veículos da Câmara

Júnior José Mendes, o Juninho do Brumado, era servidor da Câmara. Entrou sem concurso, por ser do PV, mesmo partido do prefeito Nenen da Asa e Zezé do Picolé, ambos acusado de corrupção. Juninho do Brumado era motorista. Segundo Cláudio Augusto Teixeira, que foi secretário geral da Câmara, Zezé do Picolé (PV) permitia o uso indevido dos veículos do legislativo municipal. “A utilização irregular de veículo da Câmara Municipal de Brumadinho era rotineira por parte do presidente”, garante o denunciante. Ainda segundo Teixeira, em 20 de janeiro de 2010, feriado municipal, um motorista do legislativo teria levado a “Sra. Gilda até Belo Horizonte, para exames médicos”. Gilda é esposa de Maximiliano Franklin Maciel Figueiredo, o Max, irmão de Zezé do Picolé (PV). A viagem teria sido confirmada pelo vereador Adriano Brasil (PV) junto ao servidor. O motorista era o servidor Júnior José Mendes, o Juninho (PV).
Havia um motorista que “buscava e levava a esposa do Presidente José de Figueiredo Nem Neto no trabalho dela, em Ibirité – MG”, garante o ex-secretário geral de Zezé do Picolé (PV). Mas, segundo ele, o abuso não parava aí. A esposa teria sido levada inclusive em Alfenas, aproximadamente 640 Km de distância de Brumadinho, ida e vinda. A viagem seria para a esposa de Zezé do Picolé (PV) visitar os parentes. E o servidor teria recebido “diárias e reembolso de despesas por esta viagem.” Novamente, o motorista era Juninho do Brumado.
No dia 10 de fevereiro, depois que Cláudio Teixeira fez suas denúncias, José Mendes Júnior, o Juninho do Brumado (PV), foi à Tribuna e falou rapidamente, sem negar nenhuma acusação. A única coisa que ele disse foi que era um “subordinado”. ”Se eu segui ordens, foi por causa disso. Entrei na Câmara para seguir o que eles mandam, só isso eu queria questionar”, disse naquela noite.
No dia 9 de março, nossa reportagem procurou Juninho para que ele falasse sobre as acusações. Depois de atender ao telefone, confirmar que era o Juninho, mudou de ideia quando falamos que era a reportagem do de fato, disse que não era o “Juninho” e não quis dar nenhuma declaração.
O servidor não está prestando serviços mais à câmara. Apesar de não ser concursado, como manda a lei, o Presidente Leônidas Maciel (PMDB), também do Brumado, e aliado do Prefeito, o “emprestou” para a Prefeitura.           
Edição 122-Março/2011
Dinis Pinheiro usou indevidamente verba indenizatória de seu último mandato

O jornal O Globo publicou, no dia 2 de fevereiro, matéria em que traz informações sobre irregularidades cometidas por Dinis Pinheiro, atual presidente da Assembleia Legislativa de MG. A matéria é assinada pelo jornalista Thiago Herdy. Dinis Pinheiro, eleito várias vezes deputado estadual, foi o candidato mais votado em Brumadinho, mais uma vez. Teve, aqui, dentre outros, o apoio de José Paulo (PSDB) e Tunico Brandão (PSDB). Veja abaixo a matéria.

Aliado do governador Antonio Anastasia (PSDB) e recém-eleito presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o deputado estadual Dinis Pinheiro (PSDB) usou a verba indenizatória do seu último mandato para transferir recursos a uma empresa de consultoria que tem entre os sócios um dos principais doadores de sua campanha em 2006 e dirigentes tucanos da região metropolitana de BH.
Entre julho de 2009 e dezembro de 2010, Pinheiro pediu à Assembleia reembolso por R$ 85 mil que pagou à Maia & Maia Consultoria. A empresa está registrada em nome do advogado Antônio Augusto Resende Maia, presidente do PSDB de São Joaquim de Bicas, um dos principais redutos do deputado mineiro na Grande BH, ao lado de Ibirité, Sarzedo e Mário Campos. Antônio Augusto é filho do empresário Antônio Carlos da Silva Maia, outro sócio da Maia & Maia e décimo colocado entre os 199 doadores de campanha de Diniz em 2006 - com R$ 14,9 mil.
A Assembleia Legislativa de Minas limita em R$ 20 mil mensais o gasto com a verba indenizatória, dos quais R$ 5 mil podem ser usados para serviços de consultoria e pesquisa. Entretanto, além da verba indenizatória cada deputado mineiro tem direito a gastar mais R$ 52 mil mensais na contratação de até 23 funcionários para assessorá-lo. Por ter ocupado a 1ª secretaria da Mesa Diretora nos últimos quatro anos, Dinis Pinheiro teve direito a contratar mais 2 assistentes, com salário de R$ 3,2 mil, cada.
Procurado por O GLOBO, Antônio Augusto disse prestar pessoalmente ou por meio de seus funcionários "orientação técnica e serviços de redação legislativa" para o deputado. Questionado sobre o motivo de se contratar uma consultoria extra, se a própria Assembleia disponibiliza funcionários para exercer tais funções, ele defendeu a pluralidade de opiniões na hora de legislar.
- O que fazemos é disponibilizar a ele a chance de ter outro parecer técnico. Como ele é de confiabilidade, cabe ao deputado assim desejar - argumentou.
O advogado defendeu, ainda, a doação feita pelo pai à campanha de Pinheiro.
- Não significa conflito de interesse, pela confiança do trabalho que a gente faz - disse.
Na campanha de 2006, o deputado declarou ter gasto R$ 429,9 mil, dos quais R$ 100 mil teriam sido bancados do próprio bolso, R$ 19 mil doados pelo irmão - ex-prefeito de Ibirité e recém-eleito deputado federal, Toninho Pinheiro (DEM) - e R$ 18,2 mil doados pela mãe, Irene Pinheiro.
Os R$ 85 mil pagos por Dinis Pinheiro à Maia & Maia com recursos da Assembleia nos últimos 16 meses representa a maior fatia dos R$ 190,4 mil gastos por ele com verba indenizatória. No período, ele pagou ainda, de uma só tacada, R$ 17 mil à Papelform Editora Ltda, empresa que é suspeita de usar recursos da verba indenizatória para produção de material de campanha eleitoral. O episódio é investigado pelo Ministério Público de Minas Gerais.
Edição 122-Março/2011
Opinião
PORQUE CONTINUAM NOS MESMOS CAMINHOS? O POVO NÃO MERECE.

Atendendo pedidos falaremos rapidamente sobre o que a sociedade de Brumadinho, assiste e não entende. ESCÂNDALOS POLÍTICOS DE NOVO NA MÍDIA E NA REALIDADE NOSSA DE CADA DIA. Políticos e pessoas inseridas neste contexto, por favor, espelhem-se na dignidade, na correção e nos valores morais e éticos deste GRANDE MINEIRO/BRASILEIRO QUE A NAÇÃO E O POVO ACABAM DE PERDER: JOSÉ  ALENCAR!
A nossa fala hoje é de conclamar a população a fazer uma retrospectiva nos nossos artigos de 2008 para cá e encontrarão facilmente a resposta ou as respostas para tanto assunto nojento envolvendo a politicagem que se processa em Brumadinho há bastante tempo. Não temos muito a acrescentar, porque discordamos de tudo que se pratica contra o povo. Somente eles não querem mudar o comportamento e preferem seguir os mesmos caminhos dos últimos três governos, ou melhor, desgovernos que fomos obrigados a engolir até a “justiça” ainda que tardiamente colocasse um basta. As respostas começam porque não colocam o POVO EM PRIMEIRO LUGAR, a nossa conceituação de Público não abre mão deste princípio básico. Eles optam pela falta de ética e moral; pelo descaso com que todos os envolvidos tratam à população; porque seguem os mesmos padrões viciados de governos e pessoas que não deram certo e acima de tudo por abrigarem quando precisam” oportunistas e alpinistas sociais, desqualificados para lidarem com a coisa pública como públicas e incapazes de priorizarem a decência e os bons costumes que a nossa população e Brumadinho merecem. A nossa fala é de que Planejar e Administrar com Eficácia e Eficiência; com Justiça e Equidade Social; Transparência nas Ações e Dignidade nos Atos, Sem Favorecimentos e Nepotismo e Hombridade não é nada especial, é simplesmente cumprir o que determina a Constituição Nacional; que traça esses caminhos, além de escolherem os funcionários pelos métodos legais. A CONSTIUIÇÃO DETERMINA ESSES CAMINHOS e leis complementares e paralelas trazem em seu bojo além do bom senso a Priorização da Correção e do Caráter E DA COMPETÊNCIA PROFISSIONAL são componentes da ÚNICA SOLUÇÃO VIÁVEL PARA NÃO TERMOS MAIS ESSES ESCÂNDALOS NOJENTOS E DE BAIXO CALÃO.
NA NOSSA BANDEIRA NACIONAL ESTÁ ESCRITO: ORDEM E PROGRESSO. ENGLOBAM TUDO QUE PRECISA SER FEITO E MUDADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, O RESTO É RESTO. As famílias são sagradas e estão novamente constrangidas em nosso Município.
NINGUÉM AGUENTA MAIS TANDO DISSE QUE DISSE. TOMEMOS NOVOS E BELOS CAMINHOS, O POVO MERECE.
II - Quero registrar o meu agradecimento a ROSENI SENA, representando o SR BERNARDO PAZ, e toda a Equipe de Inclusão e Cidadania pelo acolhimento que me proporcionaram no INHOTIM, dia 17 de março quando lá compareci para entregar o acróstico que fiz para o INSTITUTO INHOTIM e lançar também meu Livro “FRAGMENTOS DO MEU CORAÇÃO... CONECTADOS!” O Carinho e a alegria, como eu disse em qualquer época, são os mesmos de quando fiz o Acróstico e a simbiose é verdadeira. Obrigada pelo almoço cinco estrelas, internacional. Nossa posição é de disponibilidade para o enaltecimento de Brumadinho e nosso Povo. Sinto-me honrada em ser assim e voluntária.
Visitas do meu Projeto em andamento:
III - Agradecer também ao SEMEAR na pessoa da sua Gestora TÂNIA; a Escola Padre Machado na Pessoa de sua Diretora IRENI, Natalícia, Ana Lúcia, professores e funcionários envolvidos com a nossa presença quando da Doação do nosso Fragmentos do meu Coração...Conectados. Obrigada pelas Flores também. A Cultura e o saber podem embasar a Felicidade!
IV- Parabenizar: a BEATRIZ MELLO pelo encabeçamento do Movimento que Levanta o Glorioso e Amado CANTO DO RIO NA RETOMADA DE UMA VELHA E NOVA REALIDADE:   O ESPORTE EM  BRUMADINHO NÃO VIVE SEM VOCÊ, TRICOLOR!
b- A Janete Rinco  pelos belos trabalhos apresentados na exposição.
V - Agradecimento ao Arnaldo pelas boas falas em seu programa na Rádio Regional a nosso respeito e a Cleuza do Foto Pereira. Abraço apertado em laços de agradecimento e ternura a todos que adquirem meu livro. Sou só Alegria e Felicidade, esforço compensado pelo carinho das pessoas. Deus esteja conosco sempre!

NOTE BEM: Os moradores do Bairro Santa Cruz que circulam pela Rua Coronel Alberto Cambraia e todas as pessoas que por ela passam professores e alunos do Paulo Neto e pais não entendem porque a Vigilância Sanitária e órgãos competentes que cientes não tomam providências, quanto aos 13 cães da casa de nº 133 que soltos avançam a todo o momento, até em carros e motos, reviram os lixos e invadem casas. Os moradores já descem munidos de pedaços de pau e outros objetos para defenderem-se dos ataques. É preciso ação e cumprimento das normas para assegurar os direitos de cidadania e evitar o mais grave. Representando as pessoas, AMAVSASC.