Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

terça-feira, 17 de maio de 2011

Edição 123-Abril/2011
Editorial
Eleições 2012: começou a corrida!

A CP2 Consultoria Pesquisa e Planejamento Ltda esteve em Brumadinho no último final de semana. Objetivo: fazer uma pesquisa sobre os prováveis candidatos a prefeito e a vereadores de Brumadinho em 2012. Isso quer dizer que o processo eleitoral do próximo ano realmente começou!
Na pesquisa induzida para prefeito (aquela em que o entrevistador apresenta os nomes ao entrevistado) foram colocados os nomes de Nara Paraguai (PT), Tunico Brandão (PSDB), Zé Paulo (também do PSDB), Emílio Jardim (DEM) e de Nenen da Asa (PV). Isso quer dizer que, quem encomendou a pesquisa – provavelmente o próprio prefeito – trabalha com a ideia de que esses serão os possíveis candidatos, ressalvando a possibilidade de, no PSDB, a escolha ficar entre Tunico Brandão ou Zé Paulo.
No entanto, a um ano e meio das eleições, a pesquisa apenas captará um sentimento momentâneo de parcela do eleitorado.
Nos bastidores – o que nem sempre é levado em conta na hora da encomenda da pesquisa -, a conversa segue um pouco diferente. Há um sentimento bastante generalizado no meio político de que a estratégia para derrotar o prefeito passa pela união de todas as forças que atualmente – ou supostamente – se opõem ao prefeito, colocando no mesmo barco PSDB, PT, PTB, PR, PRP, PMDB (o do Tunico da Bruma; o de Breno Carone e o de Tunico Brandão). Porém, se há muita conversa, não há consenso. Depois dos dados da última eleição municipal, resultado da coligação PT/PSDB, não se sabe se Nara Paraguai (pré-candidata do PT) entraria numa nova coligação com esse partido, além de que a petista dá mostras de que seu desejo é ser candidata a prefeita e não a vice. Já o PMDB vive uma confusão, com saídas para o PSDB e para o PRP e já nem se sabe quem ficará com Breno Carone. Tunico da Bruma continua firme. Mesmo impedido de ser candidato, faz balão de ensaio com outro nome e organiza o PR de Jaiminho Martins. Outra linha de pensamento argumenta que o prefeito está muito desgastado, em função do IPTU abusivo, da falta de obras significativas e por não ter cumprido quase nada de suas promessas de campanha. Nesse sentido, somando-se às pesadas denúncias de corrupção contra ele e a investigação delas, o prefeito pode mesmo não chegar ser candidato e ter de ser substituído por alguém de seu grupo, tarefa difícil, uma vez que não há nomes de destaque além do seu.
Há, ainda, o PDT de Carlinhos do Brumado, Hideraldo e Arnaldo Santana. E como na política surpresas é o que não faltam, podem surgir novos nomes: troca de nome dentro do partido; indicação de nome de um partido por outro partido ou grupo; e por aí afora. Verdade é que outros nomes podem surgir pois o que não faltam são pessoas com desejo de disputar a prefeitura, especialmente se se aumentar o sentimento de que Nenen da ASA está desgastado e não será o páreo duro que foi em 2008.  
Por enquanto, enquanto os políticos se articulam, vamos comemorar o Dia das Mães. Que esse dia seja feliz para todos. Especialmente, para todas!    
Edição 123-Abril/2011
V Concurso de Poesias do Jornal de fato
Vem aí o V Concurso de Poesias do Jornal de fato. Leia o Regulamento, prepare e envie seus poemas.

REGULAMENTO
1- DO OBJETIVO - O IV CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato tem por objetivo contribuir no aquecimento, na divulgação e na ampliação das manifestações culturais de Brumadinho, dando oportunidade aos nossos leitores e artistas de mostrarem sua arte, e oferecendo aos cidadãos oportunidade de alimentar de emoção e beleza a alma e o espírito.
2- DO TEMA - O tema é livre, podendo versar sobre qualquer assunto.
3- DO INEDITISMO – As poesias deverão ser INÉDITAS, ou seja, nunca terem sido publicadas em meio algum, seja ele jornal, livro coletivo ou próprio ou ter participado de outro concurso de poesia, de Brumadinho ou de outra cidade, brasileira ou não.
4- DA PARTICIPAÇÃO - Poderão participar do IV CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato quaisquer pessoas, brumadinenses ou não, independentemente de religião, raça, partido político, cor, orientação sexual, time preferido ou profissão.
5- DA ESPECIFICAÇÃO DOS TRABALHOS - Cada poesia deverá ser entregue em 5 (cinco) cópias, ter no máximo 100 (cem) versos, digitada em tamanho 10, tipo Book Antiqua, espaço simples (ou 1), sem colocação de quadros – margem física -, impressa em papel A4. Se a(s) poesia(s) ocupar(em) mais de uma página, as páginas de cada poesia, separadamente, deverão estar grampeadas.  Acompanhando as cópias, deve ser entregue uma cópia eletrônica (cd), gravada do aplicativo Word – pacote Microsoft. Em um único cd deverão estar todos os trabalhos. O não cumprimento deste ou de quaisquer outros itens deste Regulamento poderá desclassificar o concorrente.
6- DA QUANTIDADE DE TRABALHOS - Cada participante poderá inscrever até 3 (três) poesias.
7- DOS NOMES DOS TRABALHOS - Cada poesia inscrita deverá ter um nome (título). O nome da poesia deverá ser acompanhado de um pseudônimo (nome falso ou artístico) do autor. Caso o participante concorra com mais de uma poesia, o pseudônimo deverá ser o mesmo. Caso o participante já tenha concorrido em concursos anteriores do jornal de fato, deverá usar um pseudônimo novo, que ainda não usou.
8- DA INSCRIÇÃO - O participante será considerado inscrito no ato da entrega de seu trabalho. A entrega poderá ser feita à Rua Afrânio Castanheira Friche, 314, bairro de Lourdes, 35460-000 - Brumadinho - MG, no horário de 14h30min às 16h30min, de segunda a sexta-feira ou ser enviado pelos correios. No caso de envio pelos correios será considerada válida a data de postagem. Junto com a (s) poesia (s), o participante deverá enviar, em um envelope menor, lacrado, seu nome completo, endereço, telefone de contato, um breve currículo (quem é, o que faz na vida, se estudante ou trabalhador, hobbies, trabalho social se tiver etc.), o nome de seu (s) trabalho (s) e seu pseudônimo. No envelope maior - que contiver os trabalhos e o envelope menor -, no espaço do "remetente", deve ser repetido o nome e o endereço "Jornal de fato - Rua Afrânio Castanheira Friche, 314, bairro de Lourdes, 35460-000 - Brumadinho - MG", a fim de se manter o sigilo do concorrente. Por fora do cd deverão constar apenas os nomes das poesias e pseudônimo do autor. O não cumprimento deste ou de quaisquer outros itens deste Regulamento poderá desclassificar o concorrente.
9- DO PRAZO DA INSCRIÇÃO - As inscrições poderão ser feitas desde já até o dia 14 (quatorze) de agosto de 2011.
10 - DA PREMIAÇÃO - A critério da Comissão Julgadora, serão escolhidos os 10(dez) melhores trabalhos. Esses 10 classificados receberão prêmios no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais) e serão publicados em edição do jornal de fato, a circular em setembro, outubro e novembro de 2011. Todos os participantes receberão um "CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO" no IV CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato. OS MELHORES TRABALHOS, ou TODOS eles, poderão, ainda, participar de uma exposição a ser montada no Município, a critério da Coordenação do V CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato. Também a critério da Coordenação do Concurso, TODOS os poemas poderão ser publicados nas edições posteriores do jornal.
11- DA COMISSÃO JULGADORA - A Coordenação do V CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato formará uma Comissão Julgadora, com pessoas capacitadas, para fazer a escolha dos melhores trabalhos.
12- DO JULGAMENTO - Após o prazo final das inscrições, até, no máximo, o dia 26 de setembro, a Comissão Julgadora procederá ao julgamento dos trabalhos.
13- DA DIVULGAÇÃO DO RESULTADO - O resultado do V CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato será feito, inicialmente, em Cerimônia de Premiação, cuja data será divulgada posteriormente pela Coordenação, e será, ainda, publicado na edição de outubro de 2011 do jornal de fato, sem prejuízo de que isso aconteça antes. 
14- DOS DIREITOS AUTORAIS - No ato da inscrição, o participante cede automaticamente ao jornal de fato os direitos de publicação dos trabalhos, por tempo indeterminado, sempre observando a citação do nome do autor (a), sem que este (a) venha a reclamar pela utilização de tais trabalhos, em qualquer tempo.
15- DA DEVOLUÇÃO DO MATERIAL - O material NÃO SERÁ DEVOLVIDO. Caso o participante o queira devolvido, deverá colocar dentro do envelope de inscrição outro envelope selado com seu endereço para devolução do material, o que só será feito após a exposição de que trata o item "10" deste Regulamento, caso ela aconteça; ou em até 60 dias após 26 de setembro, caso a exposição não aconteça.
16- DA ACEITAÇÃO DOS TERMOS DESTE REGULAMENTO - O ato de inscrição neste IV CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato implica na aceitação de todos os itens deste regulamento. Das decisões da Comissão Julgadora não cabe recurso.
17- Os casos omissos serão resolvidos pela COORDENAÇÃO do V CONCURSO DE POESIAS DO JORNAL de fato.

Brumadinho, 2/ maio/2011 – Outono

Reinaldo Fernandes
Editor
Edição 123-Abril/2011
Outdoors irregulares: Sai Inforshow, entra Prefeitura
Fiscais da Secretaria de Meio de Ambiente são transferidos para a Secretaria de Obras para resolver “problemas” internos

Em sua última edição, o jornal de fato publicou uma matéria com o título “Prefeitura permite outdoors irregulares”. Na matéria, o jornal informava sobre as placas de outdoors colocadas irregularmente na cidade, em locais públicos. A matéria lembrava que a colocação das placas em local público mostrava “mais uma vez, a promiscuidade entre o Poder Municipal e a iniciativa privada” em Brumadinho.

Inforshow

O jornal de fato informou que as placas pertenceriam à “empresa Inforshow, do ramo de informática e que oferece acesso à internet”, que pertenceria ao prefeito municipal, informação que a reportagem não conseguiu comprovar. No pátio da Faculdade ASA – que pertence à família do prefeito – também existia um outdoor da Inforshow, assim como no trevo na entrada da cidade.

Sai Inforshow, entra Prefeitura

As propagandas presentes nos outdoors em questão, que eram todas da empresa Oliveira e Andrade Informática Ltda, a Inforshow, foram todas substituídas. Em todos eles, no lugar, foram colocadas propagandas da Administração Municipal. Além desses, as tais propagandas da Administração foram colocadas também em um outdoor em um lote próximo à Igreja do Belo Ramo e em outro, dentro do espaço público da Policlínica Municipal. 

Depósito de carros do DETRAN

No bairro Progresso, um outdoor foi colocado no passeio público. O outdoor era pra ser colocado dentro do pátio – também público – que serve atualmente como depósito de carros apreendidos pela Polícia. É o que informou à reportagem do de fato o Sr. José Cruz, responsável pelo local. Segundo ele, a moça que o procurou dissera que o Cid dissera a ela para instalar a placa dentro do pátio mas ele, Zé Cruz, não permitiu. Cid é Alcimar Barcelos, irmão do Prefeito e Secretário Municipal de Governo e de Obras. 

Demissão de Quintino Amaral: briga dentro de casa

O de fato apurou que Quintino Vargas Amaral não é mais o titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMA. Teria sido demitido pelo Prefeito Municipal. O estopim da demissão seria o fato de Sr. Quintino Amaral ter mandado fiscalizar a colocação dos outdoors na cidade. Após tomar conhecimento da fiscalização, o Prefeito teria convocado Amaral, dito que as placas pertencem ao seu irmão Alcimar Barcelos, o Cid, e que, por isso, a Secretaria não deveria fazer a fiscalização. Recebemos ainda a informação de o prefeito teria remanejado os fiscais da SEMA para outra secretaria.
Falando ao de fato, Amaral confirmou que “a Secretaria de Meio Ambiente, através da Fiscalização de Posturas Municipais, notificou e autuou a empresa Inforshow por uso irregular de outdoors” e que, “durante a fiscalização, não foi possível conhecer a empresa proprietária das placas (estruturas), porque nelas não havia qualquer identificação, seja na frente ou no verso”. Segundo o ex-secretário, “como a Inforshow não atendeu à notificação para retirada das placas, o auto de infração foi enviado via AR, de modo que também não se conseguiu maiores detalhes através da autuada, mesmo porque ela ainda não protocolou sua defesa”. Quintino desmentiu a informação sobre o proprietário das placas: “o Senhor Prefeito não se pronunciou a respeito da propriedade das placas (estruturas)”. Mas confirmou o remanejamento de fiscais. “A transferência foi da Fiscalização de Posturas Municipais, da Secretaria de Meio Ambiente, para a Secretaria de Obras, perfazendo três fiscais. O curioso, no caso, é que, quem comanda a Secretaria de Obras é exatamente o suspeito de ser o proprietário real das placas, ou seja, o irmão do prefeito, Alcimar Barcelos, o Cid. Transferindo os fiscais da Secretaria de Meio Ambiente para a de Obras estaria “resolvido” o problema da fiscalização das placas supostamente da Oliveira e Andrade Informática Ltda, a Inforshow.
O novo secretário deve ser Ernane Parreiras, aliado do prefeito que tem, entre suas funções, a de ir à Câmara defendê-lo de acusações, como Ernane Parreiras fez no tempo da discussão do IPTU abusivo de 1712% de aumento.
Edição 123-Abril/2011
Transito em Brumadinho cada vez pior

O trânsito em Brumadinho está cada vez mais complicado, especialmente no horário de 17 às 18 horas. No último feriado prolongado – de Semana Santa -, a situação piorou. A cidade recebeu um grande número de visitantes em Inhotim. No dia 21 foram 2002 e na Sexta-feira da Paixão, 4215. O grande afluxo de veículos, especialmente rumo a Inhotim, criou um grande congestionamento no dia 23 de abril, quando o Instituto recebeu 3378 pessoas. Por volta das 11:30 horas, a situação ficou caótica. A solução foi chamar o Polícia Militar e o SETRANSB para intervir, controlando o trânsito na Praça da Bandeira. Enquanto um policial fazia o controle no “pirulito”, um membro do SETRANSB, Edson Jorge da Silva, o Edinho do Nego Paranha, que não tem formação na área, apitava na entrada da rua Pres. Vargas e o Secretário de Governo, Cid Barcelos, supervisionava os trabalhos.

Estacionamento na Av. do Bananal

Outro problema sério é o estacionamento na Av. Vigilato Braga, a Bananal.  A prefeitura optou por estacionamento de 45°, que faz com que espaços sejam ganhos. O problema é que o cálculo parece ter sido mal feito. Os espaços são muito exprimidos e, por isso, acaba-se perdendo o que queria ganhar: muitas vezes fica impossível estacionar um carro, mesmo que pequeno, se alguém saiu alguns centímetros de sua vaga. Se um carro maior foi estacionado numa vaga, deixando uma vaga no meio, isso também acaba impedindo um menor de ocupar a vaga central.
Outro problema é quanto à visibilidade de quem quer sair do estacionamento. Como a avenida não é larga, os carros que estão transitando passam muito próximo do veículo estacionado que não tem visão de quem está chegando, problema que vai acabar causando acidentes no local.

Rua Governador Valadares: mais problemas

Problemas também ocorrem na rua Gov. Valadares. Do trecho que vai do Posto Morais até a Praça da Bandeira tem mão única de tráfego e estacionamento em um dos lados. O outro lado, óbvio, tem estacionamento proibido. No entanto, cada vez mais, motoristas não respeitam a sinalização e param e chegam mesmo a estacionar ao lado contrário do estacionamento, complicando ainda mais o trânsito, uma vez que a via é estreita e não cabem quatro veículos lado a lado.

Mau exemplo

O pior é que nem mesmo o Poder público, que deveria dar o exemplo, age de forma correta.a reportagem do jornal de fato flagrou um dos veículos da Prefeitura, o Fiat Mille, placa HMN 8356 cometendo a infração. No sábado, às 11h03min H, o veículo foi parado e o motorista desceu para fazer alguma coisa, deixando o carro atrapalhando o trânsito.   
Outro problema é para quem sobe ao lado do Posto Morais. O motorista necessariamente terá que fazer a conversão à esquerda ou à direita. Ali não há proibição de estacionamento. Como o número de veículos na cidade aumenta a cada dia, faltam vagas e as pessoas vão colocando seus veículos em qualquer espaço. O problema é que, colocado na esquina, o carro ou caminhão impede a visão do motorista que precisa converter. É um local onde provavelmente acontecerão acidentes se não houver a proibição do estacionamento.    
Edição 123-Abril/2011
Aécio Neves (PSDB) dá péssimo exemplo
Pego em flagrante em uma blitz no Rio de Janeiro, ex-governador se recusa a fazer teste do bafômetro e é multado
O ex-governador de Minas e senador Aécio Neves (PSDB) teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) apreendida em uma blitz da Lei Seca, na madrugada do dia 17 de abril, na Avenida Bartolomeu Mitre, no Leblon, na zona sul do Rio de Janeiro. O político mineiro, senador da República, que deveria ser exemplo de boa conduta e respeito às leis, se recusou a fazer o teste do bafômetro. Além de visivelmente bêbado, o ex-governador do PSDB estava com a CNH vencida. O documento foi apreendido e o senador foi multado em R$ 957,70.
De acordo com o governo do Estado do Rio, o senador chamou um amigo para dirigir a Land Rover que guiava e foi liberado. Mesmo tendo se recusado a soprar o bafômetro, Neves deveria se dirigir ao DETRAN-RJ se quisesse renovar o documento de habilitação e pagar a multa.

Operação Lei Seca

A Operação Lei Seca é uma campanha educativa e de fiscalização, de caráter permanente, que abrange os bairros da capital fluminense, Região Metropolitana do Rio e Baixada Fluminense. A ação visa coibir o consumo de álcool no trânsito. Somando o episódio envolvendo Aécio Neves (PSDB), deste o início da operação, 455.215 motoristas foram abordados, 77.111 foram multados, 20.816 veículos foram rebocados e 32.576 motoristas tiveram a carteira de habilitação apreendida. Os agentes realizaram 428.712 testes com o bafômetro. Desse total, 4.168 condutores sofreram sanções administrativas e 1.501, criminais.
As informações forma publicadas no site da Yahoo no dia 17 de abril.

Passado de “farras”

Embora a grande imprensa não divulgue, Aécio Neves é conhecido como um homem que abusa de festas e farras. Conta-se que, enquanto foi deputado federal constituinte (1985 a 1988), de 100 sessões da Câmara dos Deputados, freqüentou apenas 3. No entanto, era visto em festinhas e farras pela cidade de Brasília.

Outro lado

A assessoria de imprensa de Aécio Neves (PSDB) informou que o senador não sabia que a carteira de habilitação estava vencida. De acordo com a assessoria, o tucano tinha saído da casa de amigos e voltava para sua residência, no Leblon, com a namorada. Apesar de mineiro, mesmo quando era governador, Aécio estava sempre no Rio, daí o fato deter uma “residência” naquele estado.
Ainda segundo a assessoria, os policiais reconheceram o senador e solicitaram a documentação, que foi imediatamente apresentada. Quando os policiais alertaram que a habilitação estava vencida, Aécio Neves disse que não sabia que estava vencida. A assessoria informou que um taxista habilitado conduziu o carro para a casa do senador.
A recusa do teste de bafômetro é considerada uma infração gravíssima, representa 7 pontos na carteira e vale multa de R$ 957. Dirigir com a carteira de habilitação vencida também é uma infração gravíssima e representa 7 pontos. A multa é de R$ 191,54.

Bloco Minas Sem Censura apresenta requerimento de CPI

O Bloco Minas Sem Censura – PT – PC do B – PMDB – na Assembleia Legislativa de Minas Gerais  solicitou aos demais deputados, através de seu líder, Rogério Correia (PT), apoio para abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito. A CPI teria por objetivo investigar possíveis repasses de recursos do Governo de Minas Gerais à rádio Arco-Íris. Uma das suspeitas de repasse é a existência de anúncios da CEMIG, empresa sob comando de Aécio Neves quando era governador, na programação da rádio.
A emissora, que transmite a programação da rádio Jovem Pan FM em Belo Horizonte, tem como sócios o senador Aécio e sua irmã,  e braço político, Andrea Neves. “Precisamos apurar se houve uso indevido de dinheiro público e qual a quantia, pelo fato de Andrea Neves integrar a administração estadual e já ter sido responsável pela área de comunicação do Governo”, alertou Rogério Correia.  
O bloco, no entanto, não conseguiu as 26 assinaturas necessárias para a abertura da CPI. Faltaram 3 assinaturas. Mais uma vez a base governista blindou as investigações. Mesmo assim, fontes oficiais do governo confirmaram repasse de R$ 210mil à emissora em 2010.dentre os milhares de veículos de comunicação no Estado, a rádio da família Neves foi a 8ª que recebeu a maior quantidade de recursos.  O Bloco Minas Sem Censura alerta que o assunto cheira a um escandaloso caso de ocultação de patrimônio público na citada rádio, lembrando-se que “rádios provavelmente com maior índice de audiência que a Arco Íris não possuem frota similar àquela da emissora pertencente aos Neves, em termos de luxo e especificação”. E, enquanto isso, a imprensa mineira continua calada...” A rádio possui doze veículos. 
Edição 123-Abril/2011
Só Rindo
A bronca de Rui Barbosa
Diz que o Rui Barbosa, ao chegar em sua casa, ouviu um esquisito barulho vindo do seu quintal. Chegando lá, constatou que havia um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo, surpreendendo-o tentando pular o muro com seus amados patos. Batendo nas costas do tal invasor, disse-lhe:
-Ô bucéfalo, não é pelo valor intrínseco dos bípedes palmíferes e sim pelo ato vil e sorrateiro de galgares as profanas de minha residência. Se fazes isso por necessidade, transito; mas se é para zombares de minha alta prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica no alto de tua sinagoga que reduzir-te-á à qüinquagésima potência que o vulgo denomina nada.
E então o ladrão disse:
- Ô moço, eu levo ou deixo os patos?

Manoel no Brasil
O Manoel estava voltando da viagem que fizera ao Brasil. Chegando no aeroporto, seu amigo Joaquim o esperava.
- E aí, Manoel, como foi de viagem?
- Muito bom...
- E o que tu mais gostaste no Brasil?
- Ah, das praias, da mulherada! É uma maravilha!
- E do que tu não gostaste?
- Ah, das escadas rolantes... Tu acreditas que, um dia, eu estava subindo e acabou a energia elétrica? Eu fiquei lá, parado, em pé, por mais de 2 horas!
- Ê, Manoel, mas tu és burro, hein! Por que tu não te sentaste?

Cuidado com o racismo!
Com medo do rigor da lei e por isso precisando portar-se politicamente correta, uma senhora entra numa confeitaria pra comprar um ‘Bolo Nega Maluca' e como não quer ir parar na cadeia, não tem outro jeito:
- Moço, me dê um BOLO AFRO-DESCENDENTE COM PROBLEMAS MENTAIS...

Zé Alencar chegando ao céu
O Zé Alencar chegou ao céu e não tinha ninguém na portaria. Ele ficou bravo e foi direto para a sala de Deus. Chegou lá e reclamou:
- Pô, Deus, não tem ninguém pra me receber!!! 
Paciente, Deus atendeu o Zé e depois orientou onde era o seu lugar. Em seguida, muito bravo, Deus chamou São Pedro.
- São Pedro, vem para cá o vice presidente e um grande empresário e você não estava na portaria para recebê-lo! 
São Pedro respondeu:
- Mas, Senhor, nós marcamos dez vezes com ele e ele furou todas...

Edição 123-Abril/2011
Problemas em Marques

A Associação de Moradores de Marques está às voltas com um problema em sua localidade. A Associação disputa com a Prefeitura Municipal o uso do prédio da escola da comunidade. No dia 14 de abril, membros da Associação estiveram na Câmara Municipal para entregar ao Presidente da Casa um abaixo-assinado sobre o assunto. No documento, moradores dizem que a prefeitura tem interesse em fazer das instalações da escola “modificações para que nela funcione um almoxarifado de obras, inclusive como local para estacionamento de veículos e máquinas pesadas.”

Interesse dos moradores

Já os moradores que assinam o documento defendem que a escola foi criada a cerca de 40 anos “com o objetivo de levar educação entretenimento aos moradores da região” e que lá, atualmente, “funciona a Associação de Moradores de Marques”. Há alguns anos que o espaço não funciona como instituição de ensino.
Reivindicando que o espaço cumpra o papel que já cumpriu anteriormente, os moradores registram no abaixo-assinado: “Queremos que as instalações desta escola SEMPRE permaneçam sendo um espaço destinado à educação e aos eventos sociais e culturais da comunidade de Marques em todos os aspectos.”

Reclamação

Os signatários do documento reclamam da condução do processo de discussão por parte da Administração Municipal. Segundo eles, a prefeitura não comunicou anteriormente seu interesse pelo espaço e nem consultou a população a respeito. Eles levantam ainda a preocupação de que, ao lado da escola, funcionar o posto de saúde, uma vez que as atividades pretendidas pela Prefeitura podem impactar as atividades de saúde.

Outro lado

A prefeitura, por sua vez, através do Secretário Municipal de Finanças, Ernane Habdon, defendeu na tribuna da Câmara que a intenção da administração é criar uma subprefeitura no local, “para cumprir uma promessa de campanha.” Segundo ele, a intenção era a de facilitar a manutenção das estradas, atender ao produtor rural e minimizar custos operacionais.     

Mais polêmica: prefeitura não é proprietária do terreno

No dia 21 de abril a reportagem do de fato esteve no local. O muro da escola começou a ser derrubado, e,em seu entorno, foi feito um desaterro, tudo feito pela prefeitura, segundo informou moradores. Os mesmos moradores disseram que a questão é ainda mais complicada. Segundo eles, o terreno não pertence à prefeitura. Como em inúmeros outros lugares da área rural de Brumadinho, a escola teria sido construída em terreno “doado” por uma família da localidade. Acontece que a “doação” foi feita apenas “de boca”, sem nenhum registro oficial, o que torna o terreno, legalmente, propriedade da mesma família que doou.
No caso, há ainda outro problema. De acordo com um dos moradores, o terreno está sob processo judicial de inventário, ou coisa parecida, o que deve obrigar a Prefeitura a parar suas obras pelo menos até que se resolva a pendenga judicial.
Edição 123-Abril/2011
CPI da corrupção
Presidente da Comissão denuncia tentativa de intimidação 

“Preciso de proteção! Onde eu vou, tem gente me seguindo desde que assumi a presidência da CPI”, disse a vereadora Marta de Deus Boaventura, a Marta da Maroto (PMDB) na Tribuna da Câmara na sessão do dia 14 de abril. A vereadora referia-se à CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito – que apura denúncias de corrupção em Brumadinho e investiga o vereador José de Figueiredo Nem Neto, o Zezé do Picolé (PV).
A reportagem do jornal de fato procurou a vereadora para obter mais informações sobre a quem ela se referia. Segundo a vereadora, “o investigado pela CPI, Vereador Zezé do Picolé, afirmou em uma das reuniões que seguiu um veículo da Câmara Municipal até Belo Horizonte, acreditando que eu estava fazendo uso do automóvel, quando, na realidade, ele estava sendo utilizado por um servidor da Câmara que o afirmou por escrito.”
Ainda segundo a vereadora, “paralelamente, recebi informações de que o Sr. Zezé do Picolé estaria me seguindo em outras ocasiões, o que, comprova, inquestionavelmente, a tentativa de intimidação e de pressão para que a CPI não avance na apuração das graves denúncias que recebeu.”
Marta informou ao jornal que ela solicitou ao vereador investigado, José de Figueiredo Nem Neto, o Zezé do Picolé (PV), que “se manifestasse de forma franca e honesta sobre essa situação”. A vereadora disse que não obteve resposta alguma do ex-presidente da Câmara.

Zezé do Picolé

Falando ao jornal de fato, o vereador José de Figueiredo Nem Neto, o Zezé do Picolé (PV), disse: “Não houve de minha parte nenhuma ação ou postura de intimidação aos trabalhos da CPI. Houve, coerentemente, defesa contra as acusações quando do meu depoimento. Não procedem, pois, as denúncias da Presidente da Comissão. Contudo, não entendo em que uma possível apuração de atos da Vereadora a intimidaria ou atrapalharia os trabalhos de investigação, pressupondo sua conduta ilibada.” 
Edição 123-Abril/2011
Poucas e Boas

“Um cara que está a dois anos na prefeitura e não fez nada. Agora quer acabar com a escola?”
Gilberto Luiz da Silva, secretário da Associação de Moradores de Marques, falando da ideia do prefeito Nenen da ASA (PV) em usar a escola para guardar maquinários e impedir o uso pela Associação

“Um absurdo! É uma verdadeira ditadura civil! A Constituição está sendo rasgada por um governo autoritário!”
Vereador Itamar Franco, referindo-se ao tratamento dado pela Administração Nenen da ASA (PV) à Associação de Moradores de Marques

“Eu vim aqui para trazer a verdade. Não sei se foi engano do vereador ou se ele está fazendo uma oposição desonesta.”
Secretário Ernane Habdon, na Tribuna da Câmara, 14/4, referindo-se às denúncias de Itamar, defendendo a Administração Nenen da ASA (PV)

“O senhor é contra o bem que a prefeitura há tempo demorou para levar para o povo.”
Do mesmo Ernane Habdon, falando para Itamar

“Devo ressaltar que o quadro “D”, contendo as “Metas e Resultados Fiscais do Município”, mostra um aumento na receita e, consequentemente na despesa, em função principalmente da expansão da atividade econômica vivenciado pela Nação Brasileira, o Estado de Minas Gerais e seu reflexo positivo no município de Brumadinho.”
Prefeito Nenen da ASA (PV) na mensagem 013/2011, do Projeto da LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias – para 2012, enviado à Câmara em 13 de abril
Edição 123-Abril/2011
Vereadora propõe combate ao Assédio Moral

Em sua última edição, o jornal de fato publicou matéria sobre a prática do assédio moral, muito comum na Administração Pública e, segundo leitores que procuraram o jornal, muito comum também na Secretaria de Saúde de Brumadinho, especialmente na Policlínica Municipal. Segundo leitoras do quadro da Educação, a prática também é comum naquela secretaria.
Atenta ao problema, a vereadora Lilian Paraguai (PT) acaba de apresentar um Projeto de Lei – PL - que pretende vedar “o assédio moral no âmbito da administração pública municipal direta, indireta, fundações públicas”.
De acordo com o art. 1º do PL, que recebeu o nº 23/2011, fica proibido submeter “o servidor a procedimentos repetitivos que impliquem em violação de sua dignidade ou, por qualquer forma, que sujeitem a condições de trabalho humilhantes ou degradantes”. Segundo o art. 2º, “considera-se assédio moral (...) toda ação, gesto ou palavra, praticada de forma repetitiva por agente, servidor, empregado, ou qualquer pessoa que, abusando da autoridade que lhe confere suas funções, tenha por objetivo ou efeito atingir a autoestima e a autodeterminação do servidor, com danos ao ambiente de trabalho, ao serviço prestado ao público e ao próprio usuário, bem como à evolução, à carreira e à estabilidade funcionais do servidor”.  
O PL propõe que cada órgão do poder público elabore “programas próprios ou em conjunto a fim de prevenir o assédio moral no trabalho”. 

Assédio moral na Secretaria de Meio Ambiente

O PL explica que uma forma de assédio moral é determinar ao servidor o “cumprimento de atribuições estranhas ou de atividades incompatíveis com o cargo que ocupa”. Segundo informações que chegaram à redação do de fato, é o que está acontecendo na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em que há funcionário desviado de seu cargo para o qual foi concursado porque seu chefe não gosta do que ele fala. E porque o chefe acha que todos devem amá-lo, esquecendo-se do que ensinou São Tomaz de Aquino: “Duas coisas não se pode obrigar: a rezar e a amar.”.  

Lilian Paraguai (PT) justifica seu projeto

Em sua justificativa ao projeto, a vereadora Lilian Paraguai (PT) argumenta que “o assédio moral no trabalho constitui fenômeno internacional segundo pesquisa da Organização Internacional do Trabalho (OIT)”, apontando para distúrbios de saúde mental. Argumenta ainda que “o assédio moral comporta conseqüências nefastas para o Estado pois diminui a produtividade dos servidores, causada por estados de confusão mental e de falta de concentração, prejudicando a imagem e eficiência do serviço público”. “a proposição representa papel importante na melhoria da qualidade do trabalho e das relações sociais no ambiente do serviço público”, defende Lilian Paraguai (PT).

Edição 123-Abril/2011
Lilian Paraguai propõe combate ao Bullying

Bullying é uma situação que se caracteriza por atos agressivos verbais ou físicos de maneira repetitiva por parte de um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo inglês refere-se ao verbo "ameaçar, intimidar". A versão digital desse tipo de comportamento é chamada de cyberbullying, quando as ameaças são propagadas pelo meio virtual. 
Em sintonia com essa problemática cada vez mais comum em nossas escolas, a vereadora petista Lilian Paraguai apresentou à Câmara Municipal o Projeto de Lei nº 22/2011. A proposta de Paraguai “dispõe sobre o desenvolvimento de política “antibullying” por instituições de ensino, públicas e privadas, com ou sem fins lucrativos” de Brumadinho.

O bullying nas escolas

Estão inclusos no bullying os apelidos pejorativos criados para humilhar os colegas. E todo ambiente escolar pode apresentar esse problema. "A escola que afirma não ter bullying ou não sabe o que é ou está negando sua existência", diz o médico pediatra Lauro Monteiro Filho, fundador da Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (Abrapia), que estuda o problema há nove anos.
Segundo o médico, o papel da escola começa em admitir que é um local passível de bullying, informar professores e alunos sobre o que é e deixar claro que o estabelecimento não admitirá a prática - prevenir é o melhor remédio.
O papel dos professores também é fundamental. Eles podem identificar os atores do bullying - agressores e vítimas. "O agressor não é assim apenas na escola. Normalmente ele tem uma relação familiar onde tudo se resolve pela violência verbal ou física e ele reproduz isso no ambiente escolar", explica o especialista. Já a vítima costuma ser uma criança com baixa autoestima e retraída tanto na escola quanto no lar. "Por essas características, é difícil esse jovem conseguir reagir", afirma Lauro. Aí é que entra a questão da repetição no bullying, pois se o aluno reage, a tendência é que a provocação cesse.
Claro que não se pode banir as brincadeiras entre colegas no ambiente escolar. O que a escola precisa é distinguir o limiar entre uma piada aceitável e uma agressão. "Isso não é tão difícil como parece. Basta que o professor se coloque no lugar da vítima. O apelido é engraçado? Mas como eu me sentiria se fosse chamado assim?", orienta o médico. Ao perceber o bullying, o professor deve corrigir o aluno. E em casos de violência física, a escola deve tomar as medidas devidas, sempre envolvendo os pais.
O pediatra lembra que só a escola não consegue resolver o problema, mas é normalmente nesse ambiente que se demonstram os primeiros sinais de um agressor. "A tendência é que ele seja assim por toda a vida a menos que seja tratado", diz. Uma das peças fundamentais é que este jovem tenha exemplos a seguir de pessoas que não resolvam as situações com violência - e quem melhor que o professor para isso? No entanto, o mestre não pode tomar toda a responsabilidade para si. "Bullying só se resolve com o envolvimento de toda a escola - direção, docentes e alunos - e a família", afirma o pediatra.

O que cada escola deve fazer

O PL da vereadora Lilian Paraguai (PT), em seu art. 4º, prevê que a política antibullying terá como objetivos, entre outros, “reduzir a prática de violência dentro e fora das instituições e melhorar o desempenho escolar; promover a cidadania, a capacidade empática e o respeito às pessoas; capacitar os professores e equipes pedagógicas para o diagnóstico e prevenção da prática.
Falando da tribuna da Câmara no dia 14 de abril, a vereadora lembrou o caso da escola no Rio de Janeiro, em que especialista apontam que uma das causas que levou o jovem a assassinar mais de uma dezena de crianças pode ter sido o bullying que sofreu quando estudou na escola.  Em sua justificativa ao seu projeto de lei, Lilian Paraguai defende que a aprovação de sua proposta de lei “é indispensável para que as instituições de ensino e o poder público procurem de forma eficiente ofertar condições dignas par as crianças e adolescentes,criando um espaço de gentileza e cidadania em respeito às diferenças sejam elas econômico-sociais, físicas, culturais, políticas, morais, religiosas, entre outras”.  
Edição 123-Abril/2011
Inhotim
Instituto cada vez mais visitado

O Instituto Inhotim está cada vez mais procurado pelos turistas. De acordo com pesquisa do instituto Vox Populi, a maioria vem de Belo Horizonte e outras cidades mineiras. São Paulo e Rio são os outros estados, na ordem, que mais “enviam” visitantes. No feriado prolongado da Semana Santa, o Instituto quebrou seu recorde que era de 4 mil pessoas quando a apresentação da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, no ano passado.  Nesta Semana Santa, no dia 22 de abril, plena Sexta-feira da Paixão, o Instituto recebeu 4215, segundo informações de sua Assessoria de Imprensa. No total, nos quatro dias, foram 10.240 visitantes.    

Instituto concorre ao 3º Prêmio ABAP de Sustentabilidade

O Instituto Inhotim está entre as empresas mais lembradas pela contribuição com o desenvolvimento sustentável no ano de 2010, de acordo com a Associação Brasileira de Agências de Publicidade, regional Minas Gerais (ABAP-MG). A classificação levou o Instituto a concorrer ao 3º Prêmio ABAP de Sustentabilidade por meio de uma votação on line aberta ao público em 27 de abril pelo site www.premioabapsustentabilidade.com.br.
Dividido em sete categorias, o Inhotim concorre com outras três empresas no quesito Inovação. O Instituto se classificou por ter apresentado soluções que contribuem para o desenvolvimento sustentável e por ter inovado ao desenvolver ações voltadas para a sustentabilidade.
A escolha dos homenageados foi feita após resultado de pesquisas realizadas em Minas Gerais pelo Instituto Vox Populi.
Após a votação do público, que segue até o dia 4 de maio, haverá análise de um júri técnico e os vencedores serão homenageados no dia 16 de maio, em premiação realizada no Ouro Minas Hotel, em Belo Horizonte. O evento contará com a presença de importantes autoridades do meio empresarial e político, além de organizações e entidades da área de sustentabilidade, cultura, meio ambiente e comunicação.
O prêmio foi criado em 2009.
Edição 123-Abril/2011
A pergunta que não quer calar  
                                                                                                                                                         
Acabamos de comemorar o Dia do Trabalhador. Esse que constrói o país com o suor de seu rosto e recebem salário de fome em sua grande maioria. E quando faz greve, o patrão aciona a Justiça e pede para que ela julgue como ilegal a greve. E agora, a greve dos juízes federais, que recebem salário de quase 27 mil - além das infindáveis regalias -, quem vai julgar sua legalidade?
Edição 123-Abril/2011
Curtas
“Ficha limpa” em Brumadinho

Os vereadores Jayme Wilson (PSDB), Itamar Franco (PSDB), Lilian Paraguai (PT) e Marta Deus Boaventura, a Marta da Maroto (PMDB) apresentaram à Câmara um projeto que pretende impedir que pessoas com “ficha suja” assumam cargos na administração do Município. Trata-se do Projeto de Emenda à Lei Orgânica Municipal Nº1/2011. A idéia é que os “fichas-suja”, ou seja, as pessoas consideradas inelegíveis nos termos da legislação federal (“Lei da Ficha Limpa”) não sejam nomeados ou designados para cargos na administração Municipal.
A vereadora Marta da Maroto lembra que lei similar já foi aprovada também para o estado de Minas Gerais. A proposta de emenda tem, segundo ela, “o objetivo de assegurar que os principais responsáveis pela condução administrativa do Município (...) sejam escolhidos entre cidadãos com comprovada ficha limpara perante a sociedade.” 

Paulo e Ary Viotti e Douglas Fernandes lançam livro

Vem aí mais um livro com autoria de brumadinense. O INCINE – Casa de Cultura – lança mais um livro, “Prosas e Versos escolhidos – Manifestações de Sabedoria e Alegrias”. Trata-se de contos - ou “causos”, como queira o leitor – e trovas. A obra é de autoria de Paulo Viotti, Ary Viotti Neto e Douglas Koscky Fernandes. “São trabalhos de qualidades literárias originais e, ao mesmo tempo, profundos e divertidos”, garante o mais brumadinense dos autores, Paulo Viotti. O lançamento do livro acontece no próximo dia 14 de maio de 2011, no Restaurante Nossa Fazendinha, com início marcado para as 14 horas.
  
Projeto Compartilhando

Margarida de Mello Silva está desenvolvendo o Projeto Compartilhando. O projeto constitui em doar um livro de sua autoria - Fragmentos do meu Coração... Conectados! – a instituições da cidade. “è uma forma de motivar o gosto pela leitura e literatura, incentivar talentos”, diz ela, dizendo que já fez doação para as escolas SEMEAR e Padre Machado e foi ao Inhotim, onde entregou um acróstico sobre o instituto e foi homenageada com um almoço, com presença de Roseni Senna, Diretora e a equipe de Inclusão e Cidadania.

Uísque na greve de juízes federais

A greve dos juízes federais ocorrida – pelo menos foi o que disseram eles -, no dia 27 de abril teve, em Belo Horizonte, uma resposta indignada e bem-humorada da sociedade civil.  Um grupo de cidadãos sem vínculo partidário fez um ato público criticando a greve dos magistrados, que pretende forçar a aprovação de reajuste de 14,79% nos salários dos juízes federais.
A manifestação, batizada ‘Pobres Juízes’, teve um juiz gigante, togas, música, garçons com garrafas de uísque e urnas de arrecadação de moedas para comprar uísque para o comando de greve em Brasília. O mobilizador social Alexandre Cascão diz que movimento se intitula UISQUE – (União Indefectível da Sociedade Querendo…)
Se a correção ocorrer nos moldes do que foi pedido ao Congresso, o salário dos ministros do STF, que é o teto do funcionalismo, passará da “merreca” de R$ 26.723 para R$ 30.675. A Associação dos Juízes Federais (Ajufe) protocolou ação no Supremo Tribunal Federal pedindo que reconheça omissão do Congresso Nacional ao deixar de aprovar o reajuste.
Nas últimas semanas, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) já havia criticado a greve, considerada pela entidade como uma violência contra os cidadãos brasileiros. 

Audiência Pública discute exploração de minério em Casa Branca

Aconteceu no dia 25 de abril Audiência Pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais para discutir a exploração de minério de ferro em Casa Branca. A audiência foi solicitada pela Comissão de Direitos Humanos da Casa para apurar denúncias de violação de direitos das comunidades impactadas pela exploração de minério de ferro pela Vale em Casa Branca. Na reunião, moradores reclamaram que a comunidade não foi levada em consideração no processo de licenciamento ambiental da mina de Jangada, que autorizou o início da exploração de minério na região, em 2006.
No 4º Abraço à Serra da Moeda, em 21 de abril, moradores de Casa Branca colhiam um abaixoassinado em favor de sua causa, mostrando preocupações com os lençois freáticos da região.     

Rogério Correia quer que Governo pague o Piso aos professores

O deputado estadual Rogério Correia (PT) – 389 votos recebidos em Brumadinho – quer que o Governo de Antônio Anastasia (PSDB) pague o Piso Nacional dos Professores aos servidores mineiros. Apesar de ser lei, o governo anterior de Aécio Neves (do mesmo PSDB) e o atual teimam em não pagar o piso. A partir de requerimento de Correia, a Assembleia Legislativa vai realizar, no próximo dia 4, às 14 horas, audiência pública na Comissão de Administração Pública para discutir e avaliar o Plano de Carreira da Educação e debater a implantação do Piso Nacional dos Trabalhadores em Educação em Minas Gerais. “O que deveria ocorrer é um aumento real dos vencimentos dos servidores e a manutenção de seus direitos e benefícios adquiridos ao longo da vida, enfim, a implementação do Piso Nacional do Magistério conforme determina a Lei”, afirma Rogério.