Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

terça-feira, 14 de junho de 2011

Edição 124-Maio/2011
Editorial
Mais um Dia Mundial do Meio Ambiente

Brumadinho vive uma intensa semana do meio ambiente, como vem acontecendo nos últimos anos. De um lado, o Inhotim; do outro, a Prefeitura; empresas como a Vale também não deixam a data passar em brancas nuvens. São boas notícias. O Inhotim, dentre outras atividades, inaugurou o Viveiro Educador; a Administração Municipal discutiu sobre a dengue, distribuiu mudas, falou sobre horta etc.
Mas há também as más notícias. A Tejucana Mineração, operando ilegalmente, detona o Córrego do Barro e, por extensão, o Paraopeba; a Administração Nenen da ASA (ironicamente do Partido Verde) não plantou árvores nessa semana, coloca faixas nas que existem, ferindo-as e ainda cortou pela metade uma palmeira em rua do bairro de Lourdes e não há uma explicação ao menos razoável para tal atitude e, o pior, demite o secretário de meio ambiente, entre outras razões,porque a Secretaria multava infratores e o prefeito (ironicamente do Partido Verde) discorda disso.
No entanto, talvez o mais importante não seja o que os ocupantes de cargos públicos ou as instituições façam. Talvez, o mais importante nesses tempos de Dia Mundial do Meio Ambiente seja perguntar a nós mesmos: e nós, o que vamos fazer no nosso dia a dia?  Vamos fazer um ato político como os moradores de Casa Branca, preocupados com a Vale e a água da região? Vamos questionar a Ferrous, como os moradores de Toca de Cima? Vamos diminuir o nosso tempo de banho? Vamos parar de queimar o mato da capina de nosso quintal? Vamos cobrir todo o nosso lote de cimento ou vamos deixar espaços para a água da chuva penetrar e não ir toda para o rio para causar enchente? Vamos fazer coleta seletiva ou vamos mandar tudo para o novo aterro sanitário para saturá-lo e obrigar o poder público a criar mais um, e mais um, e mais um...?
A nossa proteção, ou seja, a proteção do meio ambiente – ou você é daquele que acha que nós não somos parte integrante dele? – depende de cada um e de todos nós. Como diria Leonardo Boff, uma das personalidades que mais tem discutido ecologia nos últimos 20 anos, “ou nos salvamos todos ou nos perdemos todos”.    
Edição 124-Maio/2011
IPTU 2011: aumento de 30% em relação a 2010

O ano de 2011 foi marcado por uma luta intensa da população de Brumadinho. Um abaixoassinado com mais de 3.200 assinaturas foi entregue ao Prefeito Municipal, Nenen da Asa (PV). Notícias em diversas rádios de Belo Horizonte, TVs, jornais, internet; reuniões, a entrega do 1º Projeto de Lei de Iniciativa Popular de Brumadinho à Câmara Municipal e idas constantes ao Legislativo para pressionar vereadores. Tudo isso por causa dos valores do IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano. O prefeito Nenen da ASA (PV), com os votos dos 9 vereadores, tinha aumentado o IPTU em até 1712%. O aumento abusivo provocou revolta na população, uma vez que a inflação do último ano tinha sido de apenas 3,5%. Além disso, em sua campanha eleitoral, o prefeito prometera que ninguém mais pagaria IPTU em Brumadinho o que, certamente, lhe rendeu os votos necessários para vencer o pleito. 
Mesmo diante de tantas pressões populares, o prefeito Nenen da ASA (PV) não voltou atrás. O caso poderia ter sido solucionado pelos vereadores. Mas esses, sem nenhuma autonomia, resistiram à pressão – um deles chegando a dar risadas do povo – e, em sua maioria, arquivaram o projeto popular.

Nova lei

Já em dezembro, em pleno meio de dia, longe do povo de Brumadinho, os vereadores votaram uma nova lei sobre o IPTU.
Neste mês de maio começaram a ser entregues as guias do IPTU 2011. Há caso de diminuição em valores, como se pode comprovar em imóvel do bairro do Carmo, em que o valor do IPTU era de R$ 50, 52 (cinqüenta reais e cinqüenta e dois centavos), em 2009; passou a R$ 316,91(trezentos e dezesseis reais e noventa e um centavos) em 2010 – aumento de 527% - e agora a guia registra o valor de R$ 277,76 (duzentos e setenta e sete reais e setenta e seis centavos), 12% menos em relação a 2010.

Aumento de 30%

Quando se observa outro carnê, relativo a um imóvel no bairro de Lourdes, a situação é bem diferente, houve um aumento de 30% (trinta por cento) no valor do IPTU em relação ao ano passado. O valor do IPTU era de R$ 57, 07 (cinqüenta e sete reais e sete centavos), em 2009; passou a R$ 289,17(duzentos e oitenta e nove reais e dezessete centavos) em 2010 – aumento de 407% - e agora a guia registra o valor de R$ 376,98 (trezentos e setenta e seis reais e noventa e oito centavos), 30,1% (trinta vírgula um por cento) a mais do que em 2010.
Edição 124-Maio/2011
82 anos de boa música
São Sebastião reúne centenas de pessoas na Quadra e mostra porque é uma “Banda Show”

Aplaudida de pé! De novo! Foi assim que a São Sebastião Banda Show foi aclamada na noite de 14 de maio, no seu já tradicional Concerto de Aniversário. Centenas de pessoas lotaram o auditório do teatro (?!) da Quadra Municipal,onde aplaudiram, gritaram, assobiaram e cantaram o “Parabéns pra você!”. É um público cativo, formado em grande parte por familiares e amigos dos musicistas da Banda e que, ano após ano, prestigia o evento. A São Sebastião realizou seu 10º Concerto de Aniversário, comemorando 82 anos de existência, uma verdadeira façanha.

Repertório

Como sempre, a São Sebastião caprichou e o jovem e competente maestro Anderson Cordeiro escolheu um repertório variado. Rock’n roll, baião, choro, bolero, teve de tudo um pouco. Foram 9 músicas que passaram por Mozart, Roberto Carlos, Frank Sinatra, Elvis Presley, Pixinguinha, Zeca Pagodinho, Luiz Gonzaga, Pedro Salgado, dentre outros, e levou o público à loucura ao terminar com uma bela canção do grupo Europe, com direito a “mais um, mais um!”.   

Performance

Renata Campos, musicista e membro da diretoria da Banda, e toda a turma caprichou no visual. O Concerto foi composto de três partes, e, a cada uma delas, os musicistas apresentavam-se de uma forma, caracterizados de acordo com o estilo musical. A performance arrancou mais aplausos, com caminhadas pelo palco, dança, musicistas sentados em mesa de bar e coreografia ensaiada.

Renovação com a garotada

“Chique demais!”, ouviu a reportagem do de fato. Ao lado da pessoa, uma outra comentou: “Que bonitinho!”. As duas referiram-se ao musicista Lucas, trompetista que aparentava ter não mais de 12 anos, e que acabara de usar o microfone para dizer que gostava de música clássica, que a achava-a calma, leve. Trajando uma camisa branca, cabelos bem escovados e gravata, o garoto demonstrava saber do que estava falando.  
Já a adolescente Chaiene Campos Diniz, 13 anos, disse se sentir muito feliz em participar da Banda. Já no seu segundo concerto, ela disse: “Tomara que venham muitos outros pela frente!”
Outra musicista muito empolgada era a jovem Marina Paula Oliveira. “É gratificante”, disse à reportagem do de fato quando foi indagada sobre como se sentia por participar demais um concerto. “A gente se esforça muito, são muitos ensaios gerais, agente ensaia desde o começo do ano”, continuou ela. Para Marina, “ver a plateia aplaudindo” é algo de arrepiar. “A gente chora, é muito emocionante!”, concluiu.
Um dos maiores méritos do casal Renata Campos e Anderson Cordeiro é exatamente o de conseguir renovar a banda, ensinar à garotada rapidamente e levá-los ao concerto do ano seguinte. Cordeiro dizia à reportagem do de fato da dificuldade da permanência dos membros. Como são jovens em sua imensa maioria, os estudos, as mudanças próprias dessa idade acabam afastando-os da corporação. Mas a Banda continua de braços abertos para receber novos interessados no Curso de Inicialização Musical. Quem quiser participar pode ir até a sede da São Sebastião, na Rua Tarcílio Gomes da Costa, 81, Centro, às segundas e quintas feiras, no horário de 9 ou 13:30 horas para inscrever-se. A Banda recebe pessoas a partir dos 9 anos de idade. O maestro garante que, com um ano de estudos, o musicista já estará participando de um concerto.  
Agora a São Sebastião Banda Show prepara-se para o próximo Encontro de Bandas de Brumadinho. Ele acontece em 17 de setembro, em Conceição de Itaguá, Brumado.
Edição 124-Maio/2011
Brumadinenses lançam terceiro livro neste ano
“Prosas e Versos escolhidos – Manifestações de Sabedoria e Alegrias” é de autoria de Paulo Viotti, Ary Viotti e Douglas Fernandes

O dia 14 de maio marcou o lançamento de mais um livro em Brumadinho. Quem voltou à cena foi o INCINE – Casa de Cultura –, através do seu representante maior, Paulo Viotti, um dos autores. Desta vez, Viotti vem acompanhado de dois outros autores, Ary de Magalhães Viotti Neto e Douglas Koscky Fernandes. É o terceiro livro lançado em Brumadinho neste ano. Anteriormente foram lançados Fragmentos do meu coração conectados, de Margarida Melo; e Réquiem para Inhotim, de Valdir de Castro Oliveira.
O evento de lançamento aconteceu no Restaurante Nossa Fazendinha e contou com a presença de umas quarenta pessoas, entre artistas, amigos e membros do INCINE.
O evento foi apresentado pelo editor do jornal de fato, Reinaldo Fernandes. Entre a leitura de um trabalho e outro, o público pôde ouvir músicas interpretadas por dois artistas mirins, Augusto Gomes Dias e sua irmã, Raíra, acompanhados pelo violão de Amadorzinho ou pelo próprio Augusto. 

A obra

“São trabalhos de qualidades literárias originais e, ao mesmo tempo, profundos e divertidos”, garante o mais brumadinense dos autores, Paulo Viotti. “O leitor pode apreciar nesta obra, composta pelo estro de três poetas, redondilhas transbordantes de criatividade, feitas por corações plenos de amor e poesia”, escreveu Zeni de Barros Lana, da UBT (Academia Brasileira de Trovas ) – BH.
O livro é composto de três partes, cada uma delas de um dos autores. A primeira parte traz trovas de Paulo Viotti. Ora líricas, ora filosóficas, ora muito engraçadas, assim são as trovas. Como a que diz: “Mas era tanta a mania/ de zelar pela pureza/ que a professora cobria/ até as pernas da mesa!”
Douglas Koscky Fernandes apresenta poemas, muito deles com a forte presença da questão da terceira idade (o poeta está com 85 anos) – e muita referência à sua terra natal, Diamantina. Traz também “causos” do dia-a-dia, muitos envolvendo sua família.
A apresentação dos poemas de Ary de Magalhães Viotti Neto é feita por Sílvia Araújo Motta, presidenta do Clube Brasileiro da Língua Portuguesa. Segundo ela, a originalidade da obra de Ary Viotti – primo de Paulo Viotti – “não perde a depuração formal, pois cuida bem da linguagem e dos temas”. No trabalho de Ary, o que pode-se perceber é a boa escolha que faz das palavras, quase sempre buscando a mesma rima em todo o poema.
Edição 124-Maio/2011
Social
Quem comemorou aniversário em alto estilo foi o jornalista e poeta Valdir de Castro Oliveira. A festa aconteceu em seu sitio, no Brumado, no domingo, 21. Entre parentes e vários amigos presentes estavam o Padre Vicente e Pe. Sebastião, que foram abençoar a todos e ao sitio Paraíso. Vida longa ao Valdir, e que ele possa comemorar muitos e muitos aniversários em seu sítio.

No dia 20 de maio, Sr. João Apolinário e dona Anita comemoraram nada menos do que 50 anos de casamento. São 11 filhos, 19 netos. A festa aconteceu na boate Soltz. Parabéns ao casal por esta união maravilhosa.

No dia 22 de maio nos deixou Geraldo Matosinhos. De prosa fácil, contador de histórias da política de Brumadinho nos últimos 40 anos, Geraldo deixa saudades e um lugar vago na Padaria Tia Nenzinha, onde gostava de ficar aos sábados de manhã contando das suas.
Ao Gute, Walter Matosinhos e todos os familiares, nossos desejos de que sejam fortes para superar essa perda. 
Edição 124-Maio/2011
Perfil: 
Anderson Cordeiro
Anderson Hernany Cordeiro, 33 anos, maestro, é superdedicado à Corporação Musical Banda São Sebastião, ou São Sebastião Banda Show, como preferir o leitor. Nesta entrevista ao jornal de fato, Anderson nos fala de música, música e música! Ele não consegue se separar da música.  É como se fizesse parte dele: em todas as perguntas que lhe fizemos, ele falou sobre música. Aplaudido de pé em cada concerto anual, o Maestro consegue transformar crianças e adolescentes em musicistas em apenas um ano. Anderson nos falou também das dificuldades que enfrenta na Banda, da alegria dos músicos ao final de um concerto, e do sonho dever a Banda São Sebastião melhor estruturada para aperfeiçoar ainda mais seu desenvolvimento musical.
Com vocês, Anderson Hernany Cordeiro da Corporação Musical Banda São Sebastião.  

de fato - Para você, o que significa ser maestro?
Anderson - É a arte de conduzir um grupo através de gestos e expressões. Ser maestro é uma vitória, pois é o mais alto cargo musical de uma orquestra.
de fato - Qual sua maior dificuldade para fazer seu trabalho de maestro na Banda São Sebastião?
Anderson - A maior dificuldade é o fluxo contínuo comum de uma banda. Ou seja, a entrada de novos participantes e a saída de antigos, pois há de se formar novos músicos e iniciar todo o processo, e a perda musical daqueles que podem dar seu melhor na Corporação.
de fato - Qual sua opinião sobre as políticas públicas de cultura em Brumadinho?
Anderson - Desconheço as políticas públicas de cultura em Brumadinho.
de fato - Três coisas que te deixam triste.
Anderson - A primeira coisa que me deixa triste é a saída de músicos da Corporação, pois além de um bom músico, perco também um bom amigo. A segunda coisa é a falta de apoio financeiro para que possamos trabalhar melhor e a falta de apoio de alguns pais de músicos que não os incentivam a se dedicarem na música. E a última é ouvir um grupo tocando mal, não valorizando a música e seu nome.
de fato - Três coisas que te deixam feliz.
Anderson - O que me deixa feliz é a qualidade musical das grandes apresentações das quais faço parte, o sorriso ou a lágrima de alegria dos músicos no final de cada Concerto bem sucedido e acima de tudo a realização pessoal de meus objetivos, trabalhando naquilo que gosto de fazer!
de fato - Se você fosse listar as 5 músicas mais bonitas, quais seriam?
Anderson - Seria uma injustiça citar 5 músicas que mais gosto, pois seria uma ofensa a tantas e tantas composições belíssimas que conheço e até às que desconheço.
de fato - Qual o seu maior sonho?
Anderson - Graças a Deus, a grande maioria dos meus sonhos profissionais já estão sendo realizados, mas ainda falta ver a Banda São Sebastião melhor estruturada para aperfeiçoar ainda mais seu desenvolvimento musical. Para que isso ocorra seria importante melhorarmos nossos instrumentos e capacitar melhor os monitores da banda; melhorar o tratamento acústico da Sede e profissionalizar a banda.
de fato - A coisa que mais te irrita.
Anderson - O que mais me irrita são as críticas de pessoas incapacitadas para tal fim. A música é também uma ciência de bases técnicas que devem ser analisadas por pessoas que estudaram para isso, e, às vezes, vejo comentários sem nenhum embasamento, pessoas que se julgam músicos, julgando grandes trabalhos realizados como se fosse algo fácil de se fazer e denegrindo imagens sem motivo algum para isso.
de fato - Uma mensagem para os leitores do de fato.
Anderson - Gostaria de agradecer a todos os leitores do jornal que também são amigos da Banda São Sebastião, pois graças a eles, a Banda São Sebastião lota os teatros por onde se apresenta, sendo uma banda espelho para várias outras bandas de toda a região e estado e convido a todos a continuarem acompanhando nosso trabalho, seja como membro musical da banda, seja como amigo ou simpatizante, seja como sócio, seja como amante da música. Até o próximo concerto!
Edição 124-Maio/2011
Só Rindo
De bêbado
Coisas que são DIFÍCEIS de dizer quando você está bêbado:
- Indubitavelmente.
- Preliminarmente.
- Proliferação.
- Inconstitucional.

Coisas que são EXTREMAMENTE DIFÍCEIS de dizer quando você esta bêbado:
- Especificidade.
- Transubstanciado.
- Verossimilhança.
- Três tigres.

Coisas que são TOTALMENTE IMPOSSÍVEIS de dizer quando você está bêbado:
- Puta merda que menina feia!!!!
- Chega, já bebi demais.
- Sai fora, você não é o meu tipo...

Minas Gerais
Durante escavações no estado do Rio de Janeiro, arqueólogos fluminenses descobriram, a 100 m de profundidade, vestígios de fios de cobre que datavam do ano 1000 d.C. Os cientistas cariocas concluíram que seus antepassados já dispunham de uma rede telefônica naquela época.
Os paulistas, para não ficarem para trás, escavaram também seu subsolo, encontrando restos de fibras óticas a 200 m de profundidade. Após minuciosas análises, concluíram que elas tinham 2000 anos de idade.
Os cientistas paulistas concluíram, triunfantes, que seus antepassados já dispunham de uma rede digital a base de fibra ótica quando Jesus nasceu!
Uma semana depois, em Belo Horizonte, foi publicado por cientistas mineiros o seguinte estudo:
"Após escavações arqueológicas no subsolo de Contági, Betim, Barbacen, Passa-Quato, Pós di Carda, Jijifó, Sans Dumont, Pôso Alegre, Santantoin do Monte, Varginha, Nanuque, Águas Formosas, Moncarmelo, Carnerim, Lagoa Dorada, Sanjão Del Rei, Beraba, Berlândia, Belzonte, Bosta do Raguari, Divinópis,
Pará de Mins, Furmiga, Vernador Valadars, Tiófi Otoni,Piui, Carmo do Cajuru, Lagoa Santa, Morro do Ferro, Biraci e diversas outras cidades mineiras, até uma profundidade de 500 metros, não foi encontrado absolutamente nada. Concluindo então que os antigos mineiros já dispunham há 5000 anos de uma rede de comunicações sem-fio: "wireless".
Nota dos arqueólogos: Por isso se pronuncia "UAI" reless.

Nota da redação: Esse trem de ser mineiro é bão dimais, sô!!! 
Entre os dias 17 e 22 de maio o Instituto Inhotim ofereceu uma programação diferenciada em comemoração à 9ª Semana Nacional de Museus. Este ano, o tema do evento foi Museu e Memória. Em Brumadinho, as atividades aconteceram no Instituto Inhotim, e também na Praça da Rodoviária, no centro da cidade. As ações foram preparadas pelas equipes de Arte e Educação, Educação Ambiental e Inclusão e Cidadania.
A Semana Nacional de Museus foi criada em 2003 e, desde então, já conta com mais de nove mil eventos em todo o país. O evento tem se tornado um efetivo instrumento de divulgação dos museus ao convidar todos os brasileiros a refletir, discutir e compartilhar experiências sobre temas da contemporaneidade.

Instituto participa do 4° Festival Nacional de Corais
Com repertório eclético, participantes tiveram oportunidade de desenvolver potencialidades sem competitividade

Entre os dias 20, 21 e 22 de maio aconteceu a 4° edição do Festival Nacional de Corais nas cidades de Betim e Brumadinho. O evento foi promovido pela Associação Cultural Canto Livre de Betim em parceria com o Instituto Inhotim, a Prefeitura Municipal de Betim e com a ONG Missão Ramacrisna.
O Festival reuniu coros de várias partes do Brasil. Este ano as apresentações aconteceram no Inhotim e em quatro lugares da cidade de Betim: Parque Ecológico Vale Verde, Igreja Batista Nova Canaã, auditório do Centro Administrativo e Pátio do Museu Paulo Moreira Gontijo.
O evento tem como objetivo a confraternização e disseminação do canto coral, enfocando a música como grande elemento de transformação social. “É um projeto que leva em conta a possibilidade da reunião familiar, desde os avós até os netos menores, realizado em ambiente de cordialidade e urbanidade. O repertório é eclético, dando-se aos participantes a oportunidade de desenvolver as suas potencialidades sem competitividade”, afirma o maestro Daniel Andrade.
O evento difere de alguns outros por permitir que os corais utilizem ferramentas para auxiliar na qualidade musical do grupo como playbacks de fundo, encenações teatrais e utilização de técnicas de teatro para melhor compreensão das mensagens por parte do público. 
Em Brumadinho, as apresentações aconteceram nos dias 21 e 22, sábado e domingo, com a presença do Coral de Funcionário do Inhotim, Coral Infantil Inhotim Encanto; Corais do INSS, Claridade Musical, dos Correios, Madrigal Vacabillis, Julia Pardini, Coral da Fale, do Centro Administrativo, todos de Belo Horizonte; e ainda Coral Unimed Betim, Coral da Comunidade AABB de Betim e Coral Encanta Rio 2, da Barra da Tijuca, R J.
Os corais de Brumadinho (Coral Adulto Inhotim Encanto, Coral Juvenil Inhotim Encanto) apresentaram-se também em Betim.
As informações são de Renata Amorim, de Inhotim. 
Edição 124-Maio/2011
5 de junho - Dia Mundial do Meio Ambiente
Protesto contra a Vale deixa estrada interditada

Matéria do jornal O TEMPO, de 17/5/2011, noticiou que a estrada que liga o centro de Brumadinho ao distrito de Casa Branca foi fechada no dia 16, segunda-feira, até o fim da manhã, por moradores do município, durante manifestação contra as atividades da mineradora Vale. A população alegou que as atividades da empresa na região estariam causando danos sérios ao meio ambiente.
De acordo com os manifestantes, a atuação da Vale na mina da Jangada tem prejudicado a quantidade e qualidade da água no local. Em nota, a Vale afirma que, desde 2005, o volume licenciado para captação de água é o mesmo. A empresa informou ainda que um acompanhamento pluviométrico indica variação normal da água.
Em sua edição de Nº 123, abril/2011, o jornal de fato informou sobre Audiência Pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em 25/4, para discutir a exploração de minério de ferro em Casa Branca, solicitada pela Comissão de Direitos Humanos da Casa para apurar denúncias de violação de direitos das comunidades impactadas pela exploração de minério de ferro pela Vale na região. Na reunião, moradores reclamaram que a comunidade não foi levada em consideração no processo de licenciamento ambiental da mina de Jangada, que autorizou o início da exploração de minério na região, em 2006. O de fato informou, ainda que, no 4º Abraço à Serra da Moeda, em 21 de abril, moradores de Casa Branca colhiam um abaixoassinado em favor de sua causa, mostrando preocupações com os lençois freáticos da região.    

Outro lado

O TEMPO informou que o secretário adjunto do Meio Ambiente de Brumadinho, Ernani Parreiras, afirmou que especialistas da prefeitura estão fazendo estudos. "Se descoberta alguma irregularidade, a Vale será notificada", observa. Ma não se sabe se a fala do Secretário Adjunto é verdadeira ou apenas uma satisfação para a reportagem. Informações que chegaram ao jornal de fato dão conta de que o prefeito o Nenen da ASA (PV) não gosta de multar as empresas. Recentemente foi exonerado do cargo de Secretário de Meio Ambiente o engenheiro agrônomo Quintino Amaral. Uma das razões de sua exoneração seria o fato de a Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMA - ter multado em 3 milhões a empresa USIMINAS por danos ambientais. O prefeito teria ainda reclamado de outras multas aplicadas pela SEMA.
Além disso, segundo O TEMPO, Ernane Parreiras teria dito que "especialistas da prefeitura estão fazendo estudos". Ora, se sabe que a SEMA praticamente não tem especialistas em seu quadro. O próprio secretário adjunto não tem formação na área.     

Prefeitura coloca faixas em árvores

A lei Ambiental de Brumadinho proíbe que faixas sejam colocadas em árvores no Município. A preocupação do legislador é óbvia. A amarrar a faixa, usando cordão ou arame, a árvore é ferida. No entanto, a reportagem do fato flagrou várias árvores na cidade com faixas nelas afixadas. Mas o pior é o mau exemplo. A administração Municipal, que deveria dar o bom exemplo, faz exatamente o contrário. Várias faixas estão afixadas em árvores, como se pode ver na rua Padre Eustáquio, no bairro Santo Antônio (Canto do Rio). 

Cenas da cidade
Palmeira cortada no Lourdes

Nas vésperas do Dia Mundial do Meio Ambiente, o bairro de Lourdes perdeu uma de suas palmeiras. Na rua Lízio Pacífico Homem de Melo, a altura do nº 310, uma palmeira foi cortada no seu topo. O corte foi feito pela Prefeitura alegando que a palmeira estava doente e poderia cair. A palmeira fora plantada no passeio do morador da casa, Valdeir de Castro Oliveira. No entanto, Valdeir nem foi informado sobre o corte. Valdeir é membro do CODEMA – Conselho Municipal de Meio Ambiente -, onde representa a ASMAP – Associação de Defesa do Meio Ambiente e Desenvolvimento do Vale do Paraopeba – há cerca de dois anos e discorda das alegações feitas pela prefeitura para fazer a supressão. 

Mineradora Ferrous
Moradores de Maricota, Ponte de Almorreimas e Toca de Cima se sentem ameaçados

A mineradora Ferrous Resource do Brasil volta a preocupar moradores de Brumadinho. Agora é a vez da região de Maricota, Ponte de Almorreimas e Toca de Cima. Moradores afirmam que foram procurados pela mineradora com a proposta de comprar suas terras. E com a ameaça de que, se não vendessem, sofreriam um processo de “desapropriação”. Sem muita certeza, moradores afirmaram que a razão seria o fato de a Ferrous, após ter feito pesquisa no local, ter descoberto minério de ferro.
Contatada pela reportagem do jornal de fato, a empresa, através de sua Assessoria de Comunicação, disse que há certa confusão com as informações. Segundo a empresa, realmente aconteceram várias reuniões com moradores da região e há interesse da Ferrous em adquirir os terrenos. No entanto, não poderia fazer desapropriação, uma vez que esse é um instrumento jurídico que pode ser usado apenas pelo Poder Público. Mas, quando a reportagem perguntou o que aconteceria caso houvesse resistência de algum proprietário em vender suas terras, a empresa disse que pode até recorrer ao Poder Público para que ele ajude na solução do problema.

Minério na região 

A empresa explica que não foi encontrado minério na região. O que seria construído na região são duas barragens (represa) de rejeito e uma de água, ocupando uma área de 1416,8 hectares. De acordo com o projeto apresentado a reportagem do jornal de fato, essas represas ficariam no local chamado de Fazenda Bahia. São as mesmas represas que, anteriormente, seriam construídas na região de Colégio e Ribeirão. Questionada sobre a mudança, a empresa disse que desistiu do projeto anterior porque haveria um grande impacto social na região de Colégio e Ribeirão, onde moram muitas famílias, o que não acontecerá no novo local.
De acordo com o projeto da mineradora, o minério será trazido da Mina Serrinha (região de Piedade do Paraopeba) por um mineroduto até as represas e, saindo dessa região de Toca de Cima, Ponte de Almorreimas, Maricota, voltará à Mina. Além do mineroduto, será construído um aqueduto, para recirculação de água, ambos de 16 quilômetros de tubulação subterrânea (sentido BR-040/sede de Brumadinho) A reportagem do de fato quis saber da Ferrous qual o diâmetro (ou coisa parecida) do mineroduto e do aqueduto e, além disso, qual outro espaço (em suas laterais) essas estruturas ocupariam, mas a empresa não informou. A reportagem quis saber também qual seria, mais precisamente, o trajeto do mineroduto/aqueduto que sai das barreiras de rejeitos até a Mina Serrinha, por quais localidades do Município mais especificamente eles passariam. A empresa, no entanto, se ateve a informar apenas que  passarão “em sua maioria, por áreas de pastagens”.
A empresa informa ainda que o minério de ferro extraído será transportado em caminhões até a primeira planta de beneficiamento localizada a dois quilômetros da cava, onde será britado e moído. Os veículos trafegarão em estrada particular asfaltada a ser construída pela Ferrous paralelamente à estrada de Piedade do Paraopeba. O minério será transformado em polpa, seguirá pelo mineroduto até a segunda planta de beneficiamento, onde será processado em pellet feed (tipo de minério concentrado, depois de filtrado, que atinge uma umidade de aproximadamente 10%).
Para o transporte do pellet feed, está prevista a construção de um mineroduto que integrará a segunda planta de beneficiamento às instalações da Ferrous em Congonhas (MG). A partir de Congonhas, esse mineroduto seguirá em paralelo ao mineroduto de aproximadamente 400 quilômetros que ligará a Mina Viga ao Terminal Portuário de Presidente Kennedy (ES).

Reuniões com proprietários

Sobre os contatos com os proprietários – que a empresa não soube precisar quantos são -, a Ferrous diz que estão sendo feitos no sentido de convencê-los a vender suas propriedades, mas que ela está disposta a ouvir a todos e fazer a negociação da forma mais tranquila possível. Disse que esta primeira fase do projeto é feita com o acompanhamento da UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais -, com uma equipe multidisciplinar de profissionais, incluindo psicólogo.

Estudo de Impacto Ambiental

Questionada sobre o fato de que teria dado um prazo 2 meses para os moradores dessem uma resposta sobre a venda dos terrenos, a Ferrous disse que o projeto ainda está em sua fase inicial e a extração do minério está prevista apenas para 2016. Segundo o projeto, intitulado de Projeto Serena, deve-se iniciar, neste mês de junho, os trabalhos para a produção do relatório do EIA – Estudo de Impacto Ambiental. A empresa garante que representantes de moradores poderão acompanhar os trabalhos dos técnicos, dois moradores de cada localidade, escolhidos por eles mesmos. Os trabalhos deverão durar por volta de um ano para ser concluído. Depois disso, a Ferrous garante que estará aberta a discutir o EIA em Audiência Pública, que pode ser convocada por qualquer entidade da sociedade civil depois que o Estudo for protocolado na Prefeitura Municipal.    

Supostos benefícios para Brumadinho

A Ferrous garante que o Município terá bom retorno com o empreendimento através de royalties como a CFEM – Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais. Ao ser questionada sobre os valores em reais nos vinte anos de vida útil da Mina Serrinha, a empresa disse que não poderia dizer, no momento, nem mesmo um valor estimado. Quanto à geração de empregos, a empresa garante que “o Projeto Serena prevê a geração de 6 mil empregos na região no pico das obras” e que “a Ferrous priorizará a contratação de mão de obra local, por meio de iniciativas em parceria com instituições da região para a oferta de cursos de qualificação profissional à população. A expectativa da empresa é de extrair 10 milhões de toneladas por ano a partir de 2016.  
Enquanto isso, no dia 14 de junho, 10H15, acontece Audiência Pública sobre mineração nas Serras de Minas na Assembléia Legislativa de MG, informa Beatriz Vingnolo, da ONG “Abrace a Serra da Moeda”, que luta contra os projetos da Ferrous.

Inhotim lança Viveiro Educador
No último dia 29 de maio, o Instituto Inhotim inaugurou para o público, em caráter permanente, a visitação ao Viveiro Educador, local onde se cultiva grande parte da coleção botânica da instituição. A ação fez parte das celebrações da Semana do Meio Ambiente 2011, que aconteceu de 29 de maio a 05 de junho, e que envolveu também palestras, oficinas, visitas, shows musicais e exibição do filme ‘Lixo Extraordinário’, sobre o trabalho do artista plástico Vik Muniz no Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro.
O novo espaço de visitação é formado por um complexo horticultural destinado a pesquisas científicas, manutenção da coleção botânica e atividades educacionais. O Viveiro Educador Inhotim abrange uma área de aproximadamente 25.000 m2, e seu acervo conta com mais de 4800 espécies, distribuídas em 167 famílias botânicas, dentre as quais se destacam Arecaceae (família das palmeiras), Araceae (imbés, antúrios, copo-de-leite) e Orchidaceae (orquídeas).
De acordo com o diretor de Jardim Botânico e Meio Ambiente do Inhotim, Rodrigo Portugal, o conceito desse espaço vai além do cultivo de espécies botânicas e pesquisa científica. “No Viveiro Educador, a informação e a prática contribuem para a construção do conhecimento, sensibilização ambiental e popularização da ciência, de forma lúdica e interativa”, explica.

Maior coleção de plantas vivas do Brasil

Além do acervo botânico, considerado a maior coleção de plantas vivas do Brasil, o local vai oferecer também uma visita sensorial pelos jardins construídos na entrada do viveiro. Intitulado de ‘Jardim dos Sentidos’, o espaço reúne, em forma de mandalas, exemplares de plantas medicinais, aromáticas e tóxicas. Desta forma, o visitante poderá sentir a diversidade de aroma e sabores de ervas e temperos, além de cores, formas e texturas das espécies exploradas. “Através da interatividade, o Jardim proporciona um momento de lazer, contato com a natureza e aprendizado, sobre a relação entre as espécies e suas diversas utilidades, na medicina e culinária”, conta o curador botânico, Pedro Viana.
O Viveiro Educador vai abrigar também o ‘Bosque da Juçara’, local onde foi recriado um ambiente de Mata Atlântica, disposto entre árvores remanescentes da vegetação original e ornamentado essencialmente por espécies nativas desse bioma. Destaque para o palmito-juçara (Euterpe edulis) e o jacarandá-da-bahia (Dalbergia nigra), espécies características da Mata Atlântica e ameaçadas de extinção, além de pteridófitas, cactáceas, pequenos bambus e aráceas.

Estufa Equatorial

Outro espaço de visitação do Viveiro Educador é a Estufa Equatorial, local com condições de temperatura e umidade controladas que permite o cultivo de espécies tropicais. “Consideramos a estufa o coração da coleção botânica do Inhotim. Cada planta possui sua devida identificação e caracterização quanto a sua origem e estado de conservação”, conta o curador. É neste local que está sendo cultivada a famosa “Flor Cadavér”, cientificamente denominada Amorphophallus titanum. A exótica espécie floresceu, pela primeira vez na América Latina, em Inhotim, no ano passado. O fenômeno, que chamou a atenção do mundo inteiro, demorou 10 anos para acontecer e durou apenas três dias.

Filme ‘Lixo Extraordinário’ e música de Tavinho Moura e Beto Lopes

“No Ano Internacional das Florestas, o Jardim Botânico Inhotim entende seu papel para a sensibilização quanto à importância da conservação da biodiversidade para a sobrevivência humana através de seus estudos e ações para o aprimoramento do conhecimento, contribuindo para a manutenção e propagação do maior número de espécies vegetais pelo mundo”, afirma Portugal.
A Semana do Meio Ambiente contou com diversas atividades voltadas para todos os públicos do Inhotim como palestras, oficinas, visitas e apresentações culturais. No dia 3, aconteceu a apresentação do filme ‘Lixo Extraordinário’, que retrata o trabalho do artista plástico Vik Muniz no Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro. A exibição foi seguida de bate papo com Irma e Zumbi, participantes do filme, sobre suas experiências e também sobre a questão do lixo em Brumadinho.
No dia 29 de maio, o Instituto recebeu o cantor Marcus Viana e Banda. Já no domingo, 5, Dia Mundial do Meio Ambiente, os músicos Tavinho Moura e Beto Lopes se apresentaram no teatro do Inhotim, às 11h.
As informações são de Renata Amorim.

Tejucana Mineração destroi córrego e assoreia Paraopeba

A Tejucana Mineração é acusada de estar destruindo o meio ambiente em Brumadinho, na região de Tejuco e Córrego do Barro. A empresa está destruindo o Córrego do Barro, que desce da região do Tejuco, passa pela localidade de mesmo nome e deságua no rio Paraopeba. O córrego está ficando sem leito, assoreado e levando rejeitos de minério para assorear o Paraopeba. Denúncias à Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMA - de Brumadinho foram feitas por Maria Zita da Silva, proprietária de um sítio no local que sofreu prejuízos com a ação irresponsável da mineradora. 
A empresa Tejucana Mineração Ltda extrai e beneficia minério de ferro em uma área de aproximadamente 25 hectares, localizada imediatamente acima do Povoado de Tejuco e imediatamente abaixo da pilha de estéril da empresa Mineral do Brasil. A “jazida” da Tejucana é composta de seixos de minério rolado, de modo que a lavra se assemelha a garimpo, com gradual aumento da área de intervenção”, informa documento da SEMA.

Mineradoras envolvidas

Em 2004, três mineradoras envolvidas com a área de extração – MBR, EXBEL e a Mineral do Brasil, com interveniência da Fundação Estadual do Meio Ambiente – FEAM – assinaram um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta – junto ao Ministério Público Estadual comprometendo-se a executar obras de drenagem (MBR e Mineral), reabilitação vegetal da área (MBR), retaludamento e revegetação da pilha de estéril, garantindo seu pleno funcionamento (Mineral do Brasil) e a paralisar suas atividades de lavra na área a partir de abril de 2005 (EXBEL).

Tejucana minera na marra

Cumprido inicialmente pela três empresas, após o término das obras de recuperação executadas pela MBR, a EXBEL transferiu seus direitos minerários e a propriedade do solo à Tejucana. A EXBEL não podia minerar, mas a Tejucana voltou a fazer a extração na área, comprometendo todo o trabalho de recuperação executado pela MBR (hoje de responsabilidade da VALE). A vegetação recuperada pela MBR foi totalmente suprimida pela Tejucana. A quantidade de material sólido carreado pelas águas das chuvas cresceu enormemente por causa dessa supressão. Esse material está todo ele sendo carreado para o córrego do Barro e, daí, para o rio Paraopeba.

Tejucana faz pior ainda

Segundo a SEMA, No final de 2010, a Tejucana, já praticamente sem ter onde continuar minerando, cercou com arame farpado a pilha de estéril da Mineral do Brasil e proibiu a entra da de funcionários da Mineral no local. Como parte do estéril depositado pela Mineral do Brasil ainda possui bom teor de minério de ferro, a Tejucana começou extrair esse material a partir da base, desestabilizando toda a pilha de estéril. Além disso, a ausência de manutenção da pilha de estéril por parte da Mineral do Brasil, impedida pela Mineração Tejucana, fez com parte da drenagem dessa pilha se dirigisse para o Córrego da Socomine. 
Diante dos problemas causados pela Tejucana Mineração Ltda, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente entrou em contato com o Comitê Gestor de Fiscalização Ambiental Integrada – CGFAI – de Minas Gerais para que ele tome providências urgentes, mostrando preocupação especial com a população de Tejuco. O contato foi feito em dezembro do ano passado mas, até agora, a situação é a mesma.   
Edição 124-Maio/2011
Prefeito usa Prefeitura para benefício particular

O Prefeito Nenen da ASA (PV) não pára de usar a prefeitura para benefício particular. A faculdade ASA, cuja sigla representa os nomes Alcimar Barcelos, o Cid; Sônia Aparecida Barcelos Maciel e Avimar de Melo Barcelos, Nenen da ASA – está, mais uma vez, sendo beneficiada. Uma faixa da faculdade, anunciando seu vestibular, foi colocada na Praça Municipal de Esportes, a quadra. Não é a primeira vez que o prefeito Nenen da ASA (PV) usa de um bem público para benefício próprio. O jornal de fato já havia denunciado relação promíscua entre Prefeitura e Faculdade ASA, em sua edição de nº 118, out/2010. Na época, o jornal mostrou que uma faixa de propaganda do vestibular da Faculdade ASA tinha sido colocada no Almoxarifado da Prefeitura Municipal, à Avenida Inhotim. Em matéria intitulada “Confusão entre o público e o privado”, o jornal lembrava que o ex-prefeito Antônio do Carmo Neto, o Tunico da Bruma, fora condenado em um processo em razão de ter, durante 4 anos de mandato, comprado de sua própria empresa à época, a Supertintas, beneficiando a si e à família, mesmo usando processos licitatórios.

Placas com nome da faculdade

Denúncia também foi feita recentemente pelo jornal HOJE EM DIA, em sua edição de 20 de março. O HOJE EM DIA veiculou matéria com o título: “Placa turística é alvo de investigação - Convênio garantiu dinheiro público para confeccioná-la, mas além das orientações, trazem propaganda particular”. A “propaganda particular” referia-se à mesma Faculdade ASA e a matéria tinha outro subtítulo: “Possíveis irregularidades envolvem Faculdade ASA e prefeitura”. Segundo o jornal, “Um convênio entre a Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop) e a Prefeitura, no valor de R$ 60 mil, permitiu a fabricação de placas para orientar os turistas que visitam a cidade. (...) O problema é que elas trazem, além de informações que orientam os visitantes, referência à Faculdade Asa. A reportagem flagrou seis placas com informações turísticas e a propaganda da faculdade”, informou o veículo.
Agentes sociais em Brumadinho

O Programa de Formação de Agentes Sociais, da Ferrous Resources do Brasil, conquistou o 10º Prêmio Ser Humano 2011, realizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seção Minas Gerais. A Ferrous contratou 17 jovens com muito conhecimento da realidade onde moram, o que foi considerado uma inovação pelos promotores do prêmio. Eles atuam nos 22 municípios do mineroduto e representam, segundo a Ferrous, uma forma de diálogo contínuo e transparente com a população. Na segunda-feira, 16, a Ferrous iniciou o programa em Brumadinho. Mais dois agentes sociais foram selecionados e começam a atuar nas comunidades, esclarecendo dúvidas sobre o Projeto Serena e outras ações da empresa na região.

Brumadinho F. C. inaugura novas instalações

O Brumadinho F. C. inaugurou novas instalações no último dia 28 de maio. Foram inaugurados o campo sintético de futebol society, que levou o nome de Francisco Edmar de Sales Fonseca, o Chiquinho da Lacoque; dois vestiários,que levaram nomes de Valdemar Rodrigues de Castro (ex-goleiro do time) e Hélio Pinto de Lima; e ainda a Sala de troféus e Secretaria, com o nome do ex-diretor do time, Inácio Moreira Jardim. 
Após a inauguração, aconteceu breve confraternização.
Edição 124-Maio/2011
Dicas para viver mais e melhor – Por Reinaldo Fernandes
Feliz Olhar Novo!
O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história.
O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o aqui agora!
Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o bolo sola, o pneu fura, chove demais. Mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia? Tem sentido ficar irritado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho?
2010 foi um ano cheio. Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e desilusões. Normal. Às vezes se espera demais das pessoas. Normal. A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou. Normal.
 2011 não vai ser diferente. Muda século, milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí? Fazer o quê? Acabar com o seu dia? Com o seu bom humor? Com sua esperança?
 O que eu desejo pra todos nós é sabedoria! É que todos nós saibamos transformar tudo em uma boa experiência! Que todos consigamos perdoar o desconhecido mal educado. Ele passou na sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim. Entender o amigo que não merece nossa melhor parte. Se ele decepcionou, passa pra categoria 3, a dos amigos até a página 8. Ou muda de classe, vira colega. Além do mais, a gente, provavelmente, também já decepcionou alguém. O nosso desejo não se realizou? Beleza, não tava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento (me lembro sempre de uma frase que adoro: cuidado com seus desejos, eles podem se tornar realidade).
 Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso. Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes. Desejo pra todo mundo esse olhar especial.
 2011 pode ser um ano especial se nosso olhar for diferente. Pode ser muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos, e dermos a volta nisso.  (Vou tentar...) Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro. (Vou trabalhar isso melhor.)
2011 pode ser o bicho, o máximo, maravilhoso, lindo, maneiro, especial.
Pode ser puro orgulho. 
Depende de mim! 
De você! 
Pode ser. 
E que seja!!! 
Feliz olhar novo! 
Que esse mês de maio não seja somente uma data, mas um momento para repensar tudo o que fizemos e que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!
Adaptado de Carlos Drummond de Andrade
Edição 124-Maio/2011
Os 853 municípios mineiros, incluindo Brumadinho, recebem R$ 70 milhões do Ministério da Saúde
O repasse foi feito pelo Fundo Nacional de Saúde no período de 10 a 17 de maio

O Ministério da Saúde transferiu para os 853 municípios de Minas Gerais R$ 70 milhões no período de 10 a 17 de maio. Deste total, R$ 49,846 milhões foram pagos pelo bloco Atenção Básica, R$ 18,137 milhões para procedimentos da Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar (MAC), R$ 290 mil para Gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e R$ 1,727 milhão pelo bloco Investimento. Os recursos foram repassados do Fundo Nacional de Saúde (FNS) para os fundos municipais e estadual.
À Capital Belo Horizonte foi transferido R$ 14 milhões, sendo R$ 8,7 milhões pelo MAC (R$ 4,7 milhões para Fundo Estadual de Saúde, e R$ 4 milhões para Fundo Municipal de Saúde), referente a procedimentos de Nefrologia. Outros R$ 5,3 milhões pela Atenção Básica, sendo R$ 1,7 milhão (Agentes Comunitários de Saúde) e R$ 3,6 milhões (PAB Fixo).

Repasses para Brumadinho de R$ 310.600,00 em três semanas

O Município de Brumadinho recebeu, apenas nessa semana, recebeu R$ 131.570,00, sendo que R$ 110.600 foram para as atividades de “Atenção Básica” e o restante para “Alta e Média Complexidade”. Na semana seguinte, de 17 a 24 de maio, mais R$ 131.570,00 para as mesmas atividades. Recebeu ainda R$ 20.970,00 (semana de 19 a 26/5) e R$ 26.190,00 (semana de 22 a 29/5), totalizando R$ 310.600,00 (trezentos e dez mil e seiscentos reais) apenas nessas três semanas. 
Mais informações sobre estes repasses e os recursos destinados a outros municípios estão disponíveis no portal Saúde (www.saude.gov.br) no banner Transparência na Saúde. 
Edição 124-Maio/2011
Organizadores do rodeio de Brumadinho desrespeitam lei de meia-entrada
E justiça manda voltar atrás sob pena de pagamento de R$ 10 mil de multa por dia

A João Wellington Promoções e Eventos e Central de Shows Ltda, Nenety Eventos e ainda as empresas que estavam vendendo os ingressos para o rodeio de Brumadinho foram obrigadas pela Justiça a venderem ingressos pela metade do valor conforme rezam as leis estadual 11.052/1993 e lei 10.741/2003. As leis obrigam as empresas promotores de eventos a venderem a meia-entrada para estudantes e idosos acima de 60 anos mas os organizadores – mais uma vez – não respeitaram as leis. O mesmo aconteceu no ano passado.
Acatando Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Estadual, o juiz Paulo Sérgio Ferreira concedeu liminar obrigando as empresas a comercializarem os ingressos nos termos legais.  O juiz deu sua decisão com base não apenas nas duas leis citadas como também no Estatuto de defesa do Consumidor, Lei 7.347/85, Constituição Federal e Estatuto do Idoso.os ingressos estavam sendo comercializados nos valores que variavam de 25 a R$ 60,00.
Se as empresas não cumprissem a decisão pagariam multa diária de R$ 10.000,00.     

Ressarcimento dos valores pagos indevidamente

De acordo com informações dadas por Rafael Pêty Henrique Maciel à reportagem do jornal de fato, foi ele quem acionou o Ministério Público. Rafael disse que teria ido ao MP na semana anterior à realização do evento quando percebeu que os organizadores não tinham publicado a venda de meia-entrada. A decisão do juiz foi tomada no dia 1º de junho mas os ingressos já estavam sendo vendidos. Resta agora aos estudantes e idosos que adquiriram anteriormente os ingressos procurarem a Justiça para terem seus valores ressarcidos. Uma boa opção é o Juizado de Pequenas causas onde ninguém precisa constituir advogados e a ação “corre” rapidamente.