Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

quinta-feira, 12 de abril de 2012


Edição 135-Março/2012
Editorial

Já começaram as propostas indecentes!

Vão de vento em popa as articulações para as eleições de 7 de outubro 2012. Recentemente, pelo menos 3 pesquisas de opinião pública foram feitas, e os dados foram mantidos em sigilo, embora vazem um aqui outro ali. E as conversas dos partidos já dão o indicativo de como será o governo caso esse ou aquele partido vença. Se a falta de ética e o descaramento não têm tamanho no processo eleitoral, imagine, caro leitor, como será quando chegarem ao poder. 
Exemplo do “nível” das conversas é o que o Partido Verde – PV – fez recentemente. Um secretário de Nenen da Asa (PV) procurou uma liderança do PT para fazer uma proposta, no mínimo, indecente. O enviado do prefeito queria convencer a liderança petista a trabalhar para que o Partido, PT, lançasse uma candidatura própria.  No momento, o que se diz no meio político é que 4 candidatos podem disputar as eleições para prefeito (a): Tunico Brandão (PSDB), Emílio Jardim (DEM), Nara Paraguai (PT) e o próprio Nenen da ASA (PV). No entanto, as movimentações pré-campanha dão conta que apenas 2 deles provavelmente sairiam candidato, Brandão e Nenen. Nesse caso, aa cidade teria uma campanha polarizada, um enfrentamento direto entre os dois únicos candidatos. Pela proposta feita ao PT, entende-se que a turma do Nenen da ASA (PV) considera que isso é ruim pra eles.
Reinaldo Fernandes
Editor
Para o PV, uma terceira candidatura seria bom. Já em 2008, Nenen da ASA foi eleito com apenas 31% dos votos válidos. Se a dose se repetir em 2012, ou seja, se ele alcançar apenas por volta de 30% dos votos, não será reeleito. Nesse sentido, dividir seria bom para o atual prefeito. Isso explica a proposta que o PV foi fazer ao PT. E, para ajudar no convencimento do PT, o enviado de Nenen da ASA disse que pode ajudar o Partido... com dinheiro na campanha eleitoral. É muita indecência para um início de temporada eleitoral! Além da indecência, é lamentável. Afinal, uma cidade com um orçamento anual de R$200 milhões precisa de gente séria na sua condução.            

Edição 135-Março/2012
Trator é roubado na Prefeitura
foto meramente ilustrativa: sandro giron - prefeitura-itaborai.blogspot.com

Parece que é proibido falar sobre o assunto dentro e fora da Prefeitura Municipal. Mas o fato é que um trator foi roubado. Um trator do Município, da população de Brumadinho foi roubado em Aranha, num pátio que funciona como uma garagem da Prefeitura Municipal. O trator era novo.
Após receber a denúncia de servidores municipais e de alguns populares, a reportagem do jornal de fato esteve na localidade de Aranha para apurar a denúncia. O jornal apurou que o roubo aconteceu em dezembro e que trata-se de um trator tipo girico, que seria usado pela Secretaria Municipal de Agricultura.
Segundo o vigia da Prefeitura, Almiro Felipe da Silva, mais conhecido como Sr. Tico, o roubo aconteceu por volta das 21horas e 30 minutos. Ele relatou que quando foi fechar o portão, entraram dois homens, um deles usando toca para esconder o rosto. Ele contou que um, que estava de máscara, colocou um revólver em sua cabeça e mandou que ele ficasse deitado no chão, onde ele ficou por volta de uma hora. Enquanto isso, o outro ligou o trator e saiu com ele. “O de máscara amarrou uma faixa no meu rosto e me colocou na cabine da camioneta deles”, conta Tico. Segundo o vigia, eles rodaram mais ou menos uma hora com ele e o soltou na localidade de Marques, por volta das 11 horas da noite. “Eles falaram para eu ir andando e não olhar para trás. E falaram que, se eu ligasse para a polícia, eles iam voltar para me pegar”, relatou o servidor. Apesar da ameaça, o Sr. Almir tratou de fazer o Boletim de Ocorrência Policial (B O). Segundo ele, ligou para Zeí (Ozeir, ex-vereador que hoje exerce cargo de confiança do prefeito na Secretaria de Agricultura).

Governo Federal

O jornal apurou ainda que o governo da Presidenta Dilma repassou ao Município de Brumadinho um valor de R$97.500,00 no dia 2 de setembro de 2011. Esse valor foi repassado à Prefeitura de Brumadinho pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento através do convênio nº714235.  O Objeto do convênio era exatamente a “aquisição de trator e implemento”. A informação foi enviada ao jornal de fato pelo Portal da Transparência do governo federal.       
     
Outro roubo

Almiro Felipe da Silva, o Sr. Tico, disse à reportagem que esse não foi o único roubo de materiais da Prefeitura. Segundo ele, uma dezena de máquinas de cortar grama foi roubada em outro local onde a Prefeitura guarda esse tipo de material.

Administração Nenen da ASA mantém suspeito silêncio

Um servidor da prefeitura disse à reportagem do de fato que o roubo do trator poderia ter relação com servidores municipais, que teriam participado dando informações sobre o local e como ele funcionava. Segundo servidor, essa seria a razão pela qual a Administração Nenen da Asa (PV) mantinha segredo sobre o roubo. A reportagem entrou em contato com a Prefeitura para tentar obter informações. 
Mas, ao que tudo indica, a ordem na Administração Nenen da ASA (PV) é a de não conversar com a imprensa. Pelo menos, deve ser a ordem em relação ao jornal de fato. Como acontece desde 2009, a Administração se recusa a dar explicações sobre fatos e acusações que pesam sobre ela. Desta vez não foi diferente. O jornal entrou em contato com o Secretário Municipal de Agricultura, José Metódio Dornas, o Juca Dornas (PSB), solicitando que ele desse informações sobre o caso (veja box). O contato foi feito no dia 27 de fevereiro. Essa matéria seria veiculada pelo jornal em nossa última edição, que circulou a partir do dia 10 de março. Como não recebemos a resposta do governo Nenen da ASA (PV), não publicamos a matéria. No entanto, passados 37 dias, até o fechamento desta edição, o governo não se manifestou. É mais uma questão deixada sem resposta pela administração.                        

Perguntas entregues ao Secretário de Agricultura e que não obtiveram resposta.

“Sobre o roubo do trator:
1- Feito o Boletim de Ocorrência Policial, esta Secretaria solicitou a apuração do fato?
2- Há algum inquérito em andamento?
3- Já sabe-se quem são os autores do roubo?
4- As informações que colhemos dão conta de que tratava-se de um trator novo. Ele já tinha sido usado alguma vez? Foi roubado no mesmo dia em que chegou ao pátio?
5- O trator foi adquirido por dinheiro próprio do Município? Se foi, qual foi o valor? Ou trata-se do Convênio número 714235, assinado com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento?  Se foi do convênio com o Governo Federal, o Ministério da Agricultura foi comunicado?

Sobre as máquinas de cortar grama:
Foi feito Boletim de Ocorrência Policial? 
Há algum inquérito em andamento?
Já sabe-se quem são os autores do roubo?
Quanto significa em dinheiro os produtos roubados?

Sobre os dois roubos:

Foram tomadas providências para evitar novos roubos? Se sim, quais?”
Enquanto isso, numa Prefeitura perto dali...


Edição 135-Março/2012
Concessa
Prefeito usa dinheiro público para fazer sua propaganda antes da hora

“O Prefeito de Brumadinho, Avimar Barcelos (PV), o popular “Neném da ASA”, dono da Faculdade ASA, investigado pelo Ministério Público Estadual por denúncia de caixa dois e por ter utilizado espaço nas placas públicas de sinalização turísticas nas estradas municipais para fazer propaganda da sua instituição de ensino, abriu campanha à reeleição, em 2012, já na programação dos festejos juninos. Desde o mês passado, as escolas municipais, da sede e distrito, exibem em telão um filme com as obras realizadas em dois anos e meio da gestão. São cerca de 20 minutos de bajulação com dinheiro público.”
A opinião é do jornalista Márcio Fagundes, da Rádio Itatiaia, a mais popular de Minas, e articulista do jornal HOJE EM DIA. A crítica ao prefeito de Brumadinho foi feita em artigo publicado no HOJE EM DIA de 12 de julho, com o sugestivo título “Olha a cobra!” Márcio Fagundes afirma que a festa só começa depois da “bajulação”. Segundo ele, “a última sessão dessa campanha foi no sábado (9), no Grupo Escolar Nossa Senhora das Dores, no Córrego do Feijão. Ainda segundo Fagundes, anteriormente, a “Feijoada do Grupo” “também teve que exibir a propaganda”. “Para ‘despistar’, a prefeitura banca o som mecânico das escolas. Ou seja, a festa caipira aposentou a zabumba por conta do exibicionismo oficial. Até a cultura da festa junina, que tem o ponto alto nas quadrilhas, dançando ao som dos sanfoneiros da roça, saiu prejudicada”, continua o jornalista. Por fim, o jornalista criticou a Promotoria Pública de Brumadinho que, segundo ele, “parece fazer vista grossa” às denúncias sobre o prefeito.
Se Márcio Fagundes estivesse na abertura do IV Congresso Municipal de Educação de Brumadinho, no dia 29 de março, escreveria outro artigo no mesmo teor. Desta vez, a “bajulação com dinheiro público” contou não apenas com o filme falando das obras do Prefeito. Além do filme, a atriz Cida Mendes (que interpreta a personagem Concessa) também levou dinheiro público para fazer bajulação. E não foi apenas isso: em uma de suas “piadas”, associou a coisas ruins o partido do que poderá ser o principal opositor do Prefeito nas eleições; “É HIV, HPV, PSDB...”, disse a comediante.
Noutra passagem de seu “show”, Cida Mendes elogiou os asfaltamentos feitos pela administração do prefeito Nenén da ASA. Mas não parou por aí. Disse que esteve em Brumadinho há dois anos e emendou: “Você fez muita coisa, hein, coisinha (referindo-se ao prefeito), então tem que continuar!” E Cida Mendes prometeu vir no dia da posse do prefeito em novo mandato.

Ato falho: ensaio malfeito

Continuando com suas “piadinhas”, a comediante disse que tem lugar em que os pacientes ficam duas horas na fila do SUS (Sistema Único de Saúde), esperando atendimento, no que foi “corrigida” pela Secretária de Educação e irmã do prefeito, Sônia Barcelos. A irmã do prefeito tratou de dizer que aqui em Brumadinho esperam pouco, “só uns 40 minutos no máximo”.
O ato falho da comediante ocorreu quando ela criticou prefeituras em que o prefeito coloca aquele monte de parentes da Administração, irmãos, pai, mãe etc. Além da própria secretária de educação, Sônia Barcelos, o prefeito colocou também seu irmão Cid Barcelos em outras secretarias (ocupava duas até pouco tempo), e ainda tem outro irmão, o “Guil” Barcelos. Sem contar sua sobrinha, Daniele Rose Barcelos (acusada de envolvimento em ilegalidades na Câmara Municipal), e os serviços de reboque de veículos da Prefeitura, feito pelo marido de sua irmã, Rosa Barcelos, para citar apenas alguns. Quando a crítica foi feita, o constrangimento, no palco e na plateia, foi geral. Parece que esqueceram de ensaiar essa parte com Cida Mendes.    
A Prefeitura não informou quanto custou trazer a atriz para fazer seu “show” em Brumadinho. 

Edição 135-Março/2012
Vereadores votam contra Mãe d’Água
Ferrous teria comprado votos de 5 vereadores

“Aconteceu nesta segunda-feira, 19, reunião conjunta das Comissões da Câmara de Brumadinho para discussão do Projeto de Lei nº 28/2011, que cria o Monumento Natural da Mãe D'Água, na Serra da Moeda. Com a ausência do presidente da Câmara, Leônidas Maciel (PMDB), e do co-autor do projeto, Itamar Franco (PSDB), a sessão contou com a presença de 7 dos 9 vereadores do município. Compareceram à ocasião também: a ONG Abrace a Serra da Moeda, representantes das comunidades que pleiteiam o Monumento Natural e trabalhadores de empresas mineradoras e correlatas como a Ferrous Resources, Rifel Transportes, MMX, mobilizados para fazer frente ao coro coletivo que pleiteia a criação do Monumento.
Contrariamente ao Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), que diz ser da competência tanto do Poder Executivo, quanto do Legislativo e Judiciário, iniciativas para instituição de unidades de conservação, a Assessoria Jurídica da Câmara alegou inconstitucionalidade do projeto de lei por vício de iniciativa, ou seja, o Monumento somente poderia ser criado a partir da proposição do Executivo e não do Legislativo.
Com 6 votos favoráveis ao parecer jurídico, ou seja, pela reprovação do projeto - dentre os quais, curiosamente, estão os dos co-autores da proposta, Jayme Wilson (PSDB) e Marta da Maroto (PSD) e apenas um voto a favor, da vereadora proponente, Lilian Paraguai (PT), o projeto foi arquivado e não poderá tramitar mais na Câmara este ano.
A proposta do monumento, se concretizada, ferirá os interesses da empresa Ferrous Resources, que há cerca de cinco anos vem tentado explorar a mina Serrinha, na Serra da Moeda. A presença de funcionários das mineradoras, dentre elas a Ferrous, demonstrou-se uma clara ofensiva ao movimento pela criação da Mãe D’Água que, ao lutar pela preservação da montanha, tem dificultado a vida da empresa que pretende retirar milhões de toneladas de minério de ferro na Serra da Moeda. 
Argumentos para que o projeto fosse vetado eram esperados pelas comunidades da Serra da Moeda. Contudo, a questão da constitucionalidade já havia sido exaustivamente debatida em reuniões ordinárias, extraordinárias e Audiências Públicas na Câmara Municipal e, inclusive, defendida pelo Ministério Público  Estadual que atestou a viabilidade e constitucionalidade da proposta. Os vereadores da base aliada ao Prefeito Nenem da Asa (PV) -que voltou atrás ao compromisso assumido da criação do monumento- estiveram durante muito tempo empenhados em barrar a votação do projeto, por meio de inúmeras manobras políticas, já relatas em jornais locais e neste blog.
Cumpre ressaltar que, estranhamente, em nenhuma das Audiências Públicas para discussão do Monumento Natural estiveram presentes funcionários das mineradoras, ao contrário do que aconteceu ontem, o que deixa-nos questões: se os funcionários em nada têm a ver com a mina Serrinha, já que trabalham em outras minas, bem distantes, seriam eles parte interessada? Estavam ali a defender o interesse coletivo, representado pelos postos de trabalho ou os interesses particulares das mineradoras? Será que não participaram das Audiências Públicas porque elas aconteceram no sábado, fora do horário do expediente?
Lamentando o ocorrido, mas não desanimadas, as comunidades seguem na luta pela instituição do Monumento Natural, cuja reivindicação será reafirmada pelo imenso cordão humano unido no dia 21 de abril deste ano.
Vista-se de branco e venha abraçar a Serra da Moeda.”
O texto acima, sob o título de “Monumento da mãe d'água é vetado na câmara sob argumento de inconstitucionalidade”, foi postado no site da ONG Abrace A Serra da Moeda no dia 20 de março.

Ferrous teria comprado votos de 5 vereadores

A ONG Abrace A Serra da Moeda faz séria acusação a 5 vereadores. Em texto anterior à votação na Comissão, enviado ao jornal de fato por Beatriz Vignolo, Presidente da entidade, a ONG afirma que “a mineradora Ferrous Resources do Brasil, interessada no minério de ferro da área, articulou-se com os cinco vereadores da base aliada ao Prefeito.”
A ONG suspeita da compra dos votos dos vereadores José de Figueiredo Nem Neto, o Zezé do Picolé; Adriano Brasil; Fernando Japão e Vanderlei Xodó, todos do partido do prefeito Nenen da ASA, ironicamente, o PV, Partido Verde. O outro vereador que teria sido comprado pela mineradora Ferrous é o atual presidente da Câmara, Leônidas Maciel (PMDB),que não foi à reunião mas que se posicionou contra o projeto na reunião do dia 23 de dezembro, que o arquivou em 2011. “Há a suspeita de promessa de financiamento aos políticos na campanha eleitoral como forma de desarticular a aprovação do Projeto. A base aliada ao Prefeito Nenem da Asa, em claras manobras políticas, têm colocado empecilhos na discussão e aprovação do Projeto, através de pedidos de vistas e cancelamentos de reuniões”, defendeu a ONG Abrace A Serra da Moeda.

Edição 135-Março/2012
Liminar suspende obras de mineradora

A Justiça acatou pedido de liminar impetrado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e decidiu paralisar as obras do projeto Minas-Rio, da Anglo American, em Conceição do Mato Dentro, na região Central do Estado. Na terça-feira (20), um oficial de Justiça acompanhado da Polícia Militar esteve nas obras do empreendimento e determinou a paralisação das intervenções ligadas ao investimento da ordem de US$ 5 bilhões, com capacidade de produção inicial projetada em 26,5 milhões de toneladas anuais de minério de ferro e que ainda contempla o maior mineroduto do mundo, de 525 quilômetros de extensão.
A notícia foi veiculada no Hoje em Dia de 21/03/2012, assinada por Bruno Porto.

Edição 135-Março/2012
Quase 5 milhões para o transporte escolar

A Administração Nenen da ASA (PV) contratou a empresa N&G Transporte Ltda para prestar serviços de transporte escolar até o final deste ano. O contrato, de nº 008/12, é no valor de R$ 4.678.032,00 (quatro milhões, seiscentos e setenta e oito mil e trinta e dois reais), uma média de quase R$ 400 mil mensais, incluindo janeiro e ainda julho e dezembro, quando praticamente não há aulas.

História recente

Em 2007, a empresa contratada para prestar o transporte escolar foi a Tradição Brasil. Fiscalização feita pela Câmara Municipal à época constatou um superfaturamento que rendeu aos proprietários da Tradição Brasil quase 9 milhões de reais. A licitação apresentou pelo menos 33 irregularidades como aditivos ilegais sem nenhuma justificativa, reajustes irregulares, quilometragem muito além da real, uso de ônibus velhos, falta de documentação.
Um ônibus teria rodado, em apenas um dia, 1.167 km dentro de Brumadinho; outro ônibus, de 18 anos, quando deveria ter no máximo 15 para prestar o serviço; outros dois com 22 anos; pagamento de milhares de reais a mais do que estava previsto em contrato; documentos sem assinatura de testemunha ou até mesmo do representante legal da empresa Tradição Brasil; uma quilometragem em um mês de aulas e outra muito superior no outro mês; aditamentos ilegais, em mais de 150% do que a lei, que permite até apenas 25%. Inflação de 2,54% e contrato aditivado em 10%; óleo diesel reajustado em 0,77% e contrato em 10, um aumento de 12 vezes mais. As irregularidades e ilegalidades foram percebidas pela Divisão de Apoio Técnico à Fiscalização – Controle Externo da Câmara Municipal de Brumadinho, na época em que o Legislativo Municipal fiscalizava o Executivo. De 2003 a 2007, a Administração do então prefeito Tunico da Bruma entregou à empresa R$ 8.882.478,69. Desses, de acordo com o Relatório, R$ 7.889.357, quase 8 milhões, seriam de contratos ilegais. E mesmo os restantes R$ 993.121,69 teriam problemas na sua contratação (ver de fato nº 88). 


Edição 135-Março/2012
Cenas da cidade
Rua Cuiabá
Moradora da rua Cuiabá, no Santa Efigênia, reclama de lote cheio de mato. O lote está realmente sujo.  Em contato com a redação, a leitora diz que estão aparecendo insetos, mosquitos e teme que cobras invadam sua residência. Segundo ela, entrou em contato com a Prefeitura que alegou não conhecer o proprietário do lote. “Com o pode a Administração não saber quem é o proprietário?”, questiona ela.

Construção civil no Lavrado
Resto de construção civil jogado no rio do Lavrado (Rio Águas Claras).Mau exemplo que precisa ser combatido, uma obrigação da sociedade com ela mesma e com seus  filhos.
 Cão morto é jogado na entrada da linha indo para o bairro São Conrado. 
Colaborou Mauricio de Oliveira (Piau).  







Marcos Paulo
O garoto Marcos Paulo: agenda individual recheada de hábitos interessantes do ponto vista coletivo. Na foto, distribuindo voluntariamente o jornal de fato.   

Edição 135-Março/2012
As Perguntas que não querem calar

A cada dia surgem novas ruas asfaltadas em Brumadinho. Não há dúvidas de que são mais confortáveis do ponto de vista dos motoristas de veículos automotores. No entanto esta é a prioridade da Prefeitura diante de tantas obras que clamam pela sua intervenção?

Esta é a política ecológica (asfaltamento de ruas) do PV, coligação que sustenta politicamente a atual administração?

Engraçado, será que esta é a tal política de desenvolvimento sustentável PV (asfaltamento de ruas) defendida pelo PV?

Será que o asfaltamento de todas as ruas é ecologicamente correto? O que o PV acha disso?

Jornalista e Editor do jornal Tribuna da ASMAP, Valdir de Castro de Oliveira, na edição de fev/2012


E a quantas anda a recuperação dos estragos da enchente de 2011?

E a quantas anda a ajuda às famílias atingidas por esta mesma enchente?

Do mesmo Valdir de Castro, na mesma edição 

quarta-feira, 11 de abril de 2012


Edição 135-Março/2012
Brumadinenses usam rede social para reivindicar e se expressar

Os protestos no mundo árabe em 2010-2011 ficaram conhecidos como a Primavera Árabe. Trata-se de uma onda revolucionária de manifestações e protestos que vêm ocorrendo no Oriente Médio e no Norte da África desde 18 de dezembro de 2010.  O início do movimento foi provocado pelos primeiros protestos que ocorreram na Tunísia em 18 de Dezembro de 2010, após a autoimolação de Mohamed Bouazizi, em uma forma de protesto contra a corrupção policial e maus tratos. Com o sucesso dos protestos na Tunísia, uma onda de manifestações populares atingiu a Argélia, Jordânia, Egito, Iêmen, estendendo-se à Líbia, o Bahrein, Djibuti, Iraque,  Síria, Omã e protestos menores no Kuwait, Líbano, Mauritânia, Marrocos, Arábia Saudita, Sudão e Saara Ocidental. Os protestos têm compartilhado técnicas de resistência civil em campanhas sustentadas envolvendo greves, manifestações, passeatas e comícios. Mas, o mais interessante, e que tem a ver com Brumadinho, foi o uso das mídias sociais da internet.
Países historicamente com governos mais centralizadores, com práticas políticas distantes da democracia ocidental, tinham – e muitos ainda têm - governantes no poder há várias décadas, mantendo suas populações sob regimes de opressão, repressão, corrupção e pobreza. Com dificuldades de se organizarem em associações, sindicatos, ONG’s, diante das tentativas de repressão, as populações recorreram às redes sociais da internet, a rede mundial de computadores. Usaram Facebook, Twitter e Youtube para organizar, comunicar e sensibilizar a população e a comunidade internacional para sua luta.
Também em países do Ocidente, as redes sociais têm sido utilizadas para a mobilização da população, como o Movimento Occupy nos EUA e as marchas contra a corrupção aqui no Brasil.
  
O que acontece em Brumadinho

Em Brumadinho, uma rede social também começa ser usada para defender direitos da população. Bola da vez, o facebook permite que você tenha uma página onde “adicionar” informações sobre você, como interesses os mais diversos, fotos, imagens, documentos etc que pode ser “visitada” pelos outros usuários da rede. Todo mundo pode também adicionar “amigos” “oferecidos” pelo próprio facebook ou por outros usuários que se oferecem para ser seu amigo (há aí uma discreta disputa para ter mais “amigos” do que o outro, o que dá certo “status”). E pode “compartilhar” informações para os amigos. É essa a rede usada em Brumadinho para reivindicar e para que os internautas se expressem.

Facebook é usado para reivindicar e avaliar vereadores

Parcela da população começa a descobrir que as redes sociais podem ser grandes aliadas na reivindicação de seus direitos. Para além das reivindicações em grupo, cobrança individual também está valendo. Foi o que fez um dos usuários do facebook. Proprietário de um lote de terreno na parte de cima do bairro São Bento, o internauta cobra melhorias para seu bairro. A parte alta do bairro não tem nenhum tipo de pavimentação, além de acumular lixo em uma das ruas. O internauta “mandou ver!” Depois de fazer uma série de fotos e postá-las no “face”, o internauta “compartilhou” (colocou-as à mostra) com outros usuários, inclusive com o prefeito Nenen da ASA (PV), que também está no facebook. Agora o prefeito já sabe das reivindicações do internauta.
O prefeito, como outros políticos do município que não querem ficar de fora da onda virtual que toma conta de boa parte da população, tratou logo de criar sua página na rede social. 

Limpeza de rio, iluminação pública e redutores de velocidade

Outra novidade da net em Brumadinho são as “petições públicas”. De acordo com o site http://pt.wikipedia.org, “petição é um pedido a uma autoridade, mais comumente a um funcionário governamental ou entidade pública. No sentido coloquial, uma petição é um documento oficial assinado por vários indivíduos. Uma petição pode ser oral e não escrita, e recentemente através da Internet.” Trata-se de um abaixo-assinado virtual.
De acordo com a Constituição Federal, “todos os cidadãos têm o direito de apresentar, individual ou coletivamente, aos órgãos de soberania, aos órgãos de governo próprio ou a quaisquer autoridades petições, representações, reclamações ou queixas para defesa de seus direitos, da Constituição, das leis ou do interesse geral e, bem assim, o direito de serem informados, em prazo razoável, sobre o resultado da respectiva apreciação”. Foi com base nesse princípio que o blogueiro Gibran Dias postou várias petições para o prefeito municipal.   
Uma delas solicita a limpeza das margens do rio Manso, “em especial abaixo da ponte de entrada do bairro Maria Ana de Souza, o qual se constata inúmeros resíduos, objetos, materiais e outros que se enquadram como “lixo”, não sendo reutilizáveis ou recicláveis.” A petição lembra que “após as inundações do início deste ano, quando o rio voltou ao seu nível “normal” de volume, este lixo ficou nas encostas do rio, e promovem doenças, proliferação de animais e pragas, além de possíveis focos do mosquito Aedes Aegypti, o transmissor de doenças como dengue e febre amarela.”
Outra petição solicita “que seja implementada iluminação na “Estrada p/ Sousa Noschese” ou “Estrada para Inhotim” da entrada do bairro Maria Ana de Souza (COHAB) até ao Museu Inhotim, bem como redutores de velocidade, para maior segurança dos pedestres, ciclistas e motoristas que circulam diariamente no citado local.” A petição é justificada “ao presenciar e analisar o grande tráfego de veículos que circulam acima do limite de velocidade”, citando ainda “os caminhões oriundos das mineradoras situadas próxima ao local em questão”, que “trazem consigo sujidades de minério, principalmente poeira, uma vez que esta prejudica a qualidade do ar, atrapalhando os pedestres que tramitam na via, que é utilizada para atividades físicas, como caminhada e cooper.”

Avaliação dos vereadores: “Péssimos”

Outro usuário da net decidiu discutir a questão dos vereadores em seu blog: www.gibrandias.blogspot.com. O usuário postou um texto intitulado “Em quatro anos se faz muito”. Depois compartilhou seu link (endereço que permite ao usuário ir direto à página) com amigos. Os amigos, “provocados”, também fizeram sua avaliação.
“Péssimo, o pior de todos (os legislativos)”, avaliou um. “Péssimo, o pior de tudo é que de alguns ali eu nunca esperei nada, mas me decepcionei com muitos!!!!”, disse outra. “Péssimo... ridículo...”, avaliou uma terceira internauta. “Decepcionei com TODOS!!! Em minha opinião, o legislativo DEVE SER TODO TROCADO!!!”,acrescentou outra. Mais uma internauta diz que “no geral minha decepção foi enorme também. Pensei que uma câmara jovem seria menos subserviente, mas foi pior do que uma câmara madura. São apenas secretários do executivo, fazem tudo o que o mestre mandar, inclusive injustiças, contribuem para teatrinhos armados contra as pessoas que vão questionar, como aconteceu com o caso do aumento abusivo do IPTU, só se preocupam com salário, status e beneficiar seus "amiguinhos". São omissos diante das injustiças. Poucos fiscalizam e os que tentam são boicotados pela maioria”, desabafa.

O que os vereadores fizeram nos três anos

As avaliações foram de pequenas observações a outras, mais detalhadas.  Um dos internautas preferiu apresentar uma série de atitudes tomadas pelos vereadores: “Votaram o aumento do IPTU em até 2000%, quando a inflação foi de 5% no ano; e alguns, inclusive com curso superior, disseram que votaram “sem saber” o tamanho do aumento; Votaram um projeto reduzindo o IPTU apenas para 5 condomínios horizontais; Rejeitaram o 1º Projeto de Lei de Iniciativa Popular de Brumadinho, para reajustar o IPTU pela inflação, permanecendo calados durante 9 (nove) vezes que a população foi à Câmara cobrar a votação; teve vereador que riu do povo; cortou o som do microfone da população; e não tiveram coragem de conversar e de discutir o projeto, arquivando-o por cima do próprio Regimento Interno; Deram carta branca ao Prefeito para gastar em torno de R$ 90.000.000,00 (90 milhões) do Orçamento de 2011, sem passar pela Câmara; Não fiscalizaram um processo sequer de licitação (exemplo: contrato de R$ 4.678.032,00 que uma tal de N & G Transporte” ganhou”); Aceitaram o coordenador de campanha do prefeito como Secretário Geral da Câmara (função de maior poder no Legislativo); Tem “parlamentar” que não parlamenta e há desconfianças de que seja mudo; Se juntaram e usaram a Câmara para beneficiar a própria família e hoje respondem por Inquérito do Ministério Público (1ª vez na História de Brumadinho que mais de um vereador responde a isso); Um prometeu ficar na oposição, rezou o “Pai Nosso” com os “companheiros” e mudou de lado”. E acrescentou um ama opinião de outra pessoa sobre o Legislativo Municipal: “A discussão e votação do projeto (sobre defesa da Serra da Moeda) vêm sendo adiadas desde meados de 2011, quando o projeto foi apresentado. A mineradora Ferrous Resources do Brasil, interessada no minério de ferro da área, articulou-se com os cinco vereadores da base aliada ao Prefeito. Há a suspeita de promessa de financiamento aos políticos na campanha eleitoral como forma de desarticular a aprovação do Projeto. A base aliada ao Prefeito Nenem da Asa, em claras manobras políticas, têm colocado empecilhos na discussão e aprovação do Projeto, através de pedidos de vistas e cancelamentos de reuniões”, segundo informa Beatriz Vignolo, Presidenta da ONG “Abrace a Serra da Moeda”. E, para finalizar, esse internauta perguntou aos demais: “E aí, o que vocês acham deles?”

È tudo verdade

Avaliando logo abaixo dos demais, uma internauta completou: “E o pior é que é tudo verdade...”. E o seguinte perguntou: “Será uma camara ou uma sub prefeitura ??”, a que obteve como resposta: “Boa pergunta!” 
O organizador do blog fez também postou também uma enquete em que perguntava: “Após ter lido o post ‘Em quatro anos se faz muito’, como você avalia os vereadores de Brumadinho, no aspecto geral?” Até o fechamento desta edição, 74% dos internautas que votaram tinham considerado os vereadores “Ruins” e “Péssimos” (37% para cada opção); 13% tinham considerado-os “Regulares” e 13% “Excelentes”.

Projetos apresentados pelos vereadores

O mesmo autor do blog postou um texto intitulado “O triângulo legislador, notas e comentários”, em que analisava a apresentação de projetos de lei pelos vereadores, defendendo que “apenas três fizeram projetos de lei interessantes e, querendo ou não, fugiram do script da Câmara: denominar, celebrar, nomear, reconhecer pessoas, entidades, ruas, edifícios etc”. Aos três chamou de “o triângulo legislador”: Lilian Paraguai, Marta da Maroto, Fernando Japão.

Projetos importantes

Segundo o blog, Lilian Paraguai (PT) “elaborou projetos que trazem benefícios para a cidade, faz um trabalho bom no legislativo, defendendo sempre o lado mais fraco: o povo”. Também segundo o blog, Marta da Maroto, “foi a que mais criou e assinou PL's ao longo dos quase QUATRO ANOS”. E disse que a vereadora do PSD “fez dois projetos interessantes, um foi aprovado e o outro foi arquivado”, concluindo que faltaram “projetos de leis eficientes e bons para o povo”. 
O Japão fez três projetos excelentes, mas escorregou na improbidade administrativa e em relações nada éticas com o Zezé do Picolé, no caso "Cristina Maciel". Tirando de lado a investigação do Ministério Público, o Fernando elaborou leis interessantes, sendo destinadas à segurança em estabelecimentos comerciais e financeiros, e um extremamente importante, que seria alimentação escolar diferenciada para crianças com doenças específicas”, registrou.

Projetos de Lei

As análises e comentários dizem respeito apenas a ação dos vereadores em relação à apresentação de Projetos de Lei propostos até ao mês de março de 2012, lembrou ao final o blog. O blog fez uma reflexão importante que pode ajudar os brumadinenses a entenderem um pouco melhor como funciona o Legislativo e, por consequência, fazer uma boa escolha no dia 7 de outubro.