Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

terça-feira, 21 de julho de 2015

Edição 175 – Junho 2015
Editorial
 A ordem é inaugurar!

Dispõe o art. 77 da lei Eleitoral, 9504/97, que “é proibido a qualquer candidato comparecer, nos 3 (três) meses que precedem o pleito, a inaugurações de obras públicas.” Isso quer dizer que o candidato chapa-branca (o da continuidade do governo), só pode comparecer a essas inaugurações até o dia 2 de julho. De 2016.
No caso de Brumadinho, alguém na Administração Municipal deve estar confundindo os anos de 2015 e 2016. Há, por aqui, uma contradição. Inaugurar obras feitas na correria é sempre uma tentativa de angariar votos para o candidato chapa-branca. Aqui, ocorre algo em contrário: a Prefeitura inaugura obras feitas há mito tempo atrás. Um exemplo é o asfaltamento da Estrada da Conquistinha. A obra, paga com recurso da MMX, foi feita no ano passado. Acaba de ser inaugurada (mesmo que não tenha uma placa sequer de sinalização).  
No Córrego de Feijão, a Prefeitura inaugurou a pavimentação de uma rua. Paga com recursos de outra mineradora, a MIB.       
O PSF de Marinhos ainda não foi inaugurado, mas já está na mira da Prefeitura. E a placa do PSF de Sapé desapareceu! Lá, sem inauguração! E sem explicação.
No Aranha, a Prefeitura inaugurou uma das 10 bibliotecas públicas, mas não foi capaz de construir o prédio, e usou o da Associação de Moradores (agora só faltam as outras 9 bibliotecas constantes do programa de Governo).
Outro asfaltamento, o da estrada José Henriques a Eixo quebrado (se lembra desse, caro leitor?), obra terminada no início de 2014 também acaba de ser inaugurado.
Já a alça na entrada do bairro São Conrado... essa era para ser terminada em 16 de abril. E não foi. O prefeito prorrogou para 16 de maio. Também não foi. Passou junho, estamos na metade de julho. E nada! Nada mesmo: o prefeito se recusa até mesmo a dar informações aos vereadores sobre a causa do atraso, se por  falta de licenciamento ambiental, se por erros nos cálculos, ou se por incompetência mesmo. Enquanto isso, outro contrato de mais de quase R$ 700 mil foi feito para “Obras Complementares à Alça de Acesso para o Bairro São Conrado”, no Lavrado, supõe-se. Valor total da obra (por enquanto): R$ 1.282.037,46. Será que sai neste não? 
Enquanto uma obra não sai, das outras não tem sequer notícias: a quantas anda a obra de continuidade da Avenida do Bananal até a creche no bairro Planalto, com mais de R$ 7 milhões do Governo Federal? E a escola na entrada o bairro São Bento, com mais de R$ 3 milhões do Governo Federal? E o programa Minha Casa, Minha Vida? E o Centro Administrativo da Prefeitura, com R$ 3 milhões no Orçamento de 2014? E o Centro de Artes e Esportes Unificados da COHAB, obras iniciadas em 2012, também mais de R$ 2 milhões de recursos do Governo Federal, e com licitação feita, por que não é concluído?

Pelo ritmo – ou falta dele – da atual Administração, vai acabar se concretizando o que já se ouve por todos os cantos da cidade: esta Administração vai entrar para a história de Brumadinho como aquela que acabou dois anos antes de seu fim. 

Obra atrasada vários meses e sem informações à população
                

Nenhum comentário:

Postar um comentário