Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Edição 185 – Abril 2016
Servidores se mobilizam em campanha salarial

Brumadinho é a 42ª cidade mais rica entre os 853 municípios de Minas Gerais. Tem uma das maiores rendas per capta do Estado, em torno de 1500 reais mensais. Entre os anos de 2000 a 2010, passou de 80º município de maior renda per capta para o 7ª lugar, avançando nada menos do que 73 posições. O Município apresentou uma das maiores taxas de crescimento anual entre os 10 primeiros colocados no ranking mineiro, que define as maiores rendas per capta. Apresentou uma taxa de crescimento anual de sua renda per capta, ao final do décimo ano, de 85%, maior do que a taxa de crescimento de BH e menor apenas do que a mais cresceu em MG, Nova Lima. Os dados demonstram que o problema em Brumadinho não é exatamente falta de dinheiro.
Apesar da posição confortável do Município, os servidores públicos municipais, em campanha salarial, estão encontrando dificuldades em negociar com a prefeitura.

Reajustes

Os trabalhadores em Educação e demais servidores de Brumadinho cobram reajustes de 11,36% em seus salários. Como os salários são baixos precisam, no mínimo, de ter essa correção para não perderem seu já baixo poder aquisitivo, para não ficarem mais pobres. 

Prêmios

Os servidores cobram também da administração que ela pague a Gratificação por assiduidade, de 30%, relativa a 2015 (art. 130 da Lei 1777/2010, Plano de Cargos, Carreiras e Salários). Os servidores da educação cobram a regularização do pagamento do Prêmio de 10% por assiduidade, pagando o prêmio de 2015, que ainda não foi pago, e o do primeiro trimestre de 2016, que também não foi pago, respeitando, assim o art. 131 da lei 1777.
Outra reivindicação dos servidores é que a administração faça a conversão em espécie das Férias Prêmio e o pagamento da Progressão Vertical. A Prefeitura avançou em alguns pontos, prometendo fazer os pagamentos de forma escalonada ainda neste ano, mas não avançou no reajuste dos salários e do tíquete alimentação. Novas reuniões estão marcadas para os dias 12 e 25 de maio, quando será discutido o reajuste do tíquete e dos salários, respectivamente.  A Prefeitura tratará do tíquete alimentação, que não é computado no limite de gastos da Lei 101 (Responsabilidade Fiscal).


Mobilização dos servidores

Os servidores da Educação já fizeram três paralisações nas últimas semanas e manifestações com alguns servidores também da Saúde. A última manifestação aconteceu em frente à Prefeitura, enquanto uma comissão dos trabalhadores participava de uma reunião com a Administração. Por volta das 16 horas, impacientes com a demora, os manifestantes solicitaram dos vereadores Reinaldo e Hideraldo, também presente no ato, que fossem obter informações sobre as “negociações”. Quando voltaram, os servidores ficaram revoltados com a informação de que a Prefeitura continuava oferecendo zero de reajuste salarial e de tíquete alimentação.   

Presença de vereadores

Mais tarde, os Trabalhadores da Educação realizaram assembleia, quando participaram em torno de trinta pessoas. Os Vereadores Reinaldo Fernandes (PT), Hideraldo Santana (PSC) e Renata Marilian (PPS) também estiveram presentes. O Vereador Reinaldo Fernandes (PT) falou sobre as informações contraditórias que a Prefeitura dá de seus gastos sobre a folha de pagamento. “Apesar de falar que a arrecadação caiu, a Administração nunca mostrou esses dados”, disse aos professores o vereador do PT. Reinaldo do PT fez algumas sugestões aos professores sobre redução de gastos que eles poderiam discutir com a Prefeitura, como diminuição dos 300 cargos de confiança, redução dos salários dos cargos comissionados, fim do tíquete alimentação que é pago ilegalmente aos secretários, redução de gastos com festas etc.
O Ver. Reinaldo Fernandes (PT) conversa com servidores
sobre suas reivindicações
O vereador Reinaldo do PT defendeu que a única forma de fazer a Administração se mexer para fazer o reajuste é a mobilização da categoria. Nesse sentido, o Vereador fez algumas sugestões de mobilização aos presentes na assembleia. Ao final se sua fala, Reinaldo do PT se colocou à disposição da categoria de profissionais para ajudar em sua luta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário