Busque em todo o blog do Jornal de fato

Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 99209-9899

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Edição 193Dezembro 2016

Vereadores votam contra projeto que acabava com a Taxa ilegal de Iluminação Pública
Projeto apresentado por Reinaldo Fernandes foi rejeitado pelos vereadores Alessandra do Brumado, Ninho, Denilson Fontoura, Cuecão, Carlos Mendes e Betinho; Renata Parreiras se manteve calada e se omitiu; Hideraldo disse ser a favor


Quando chegar em sua casa, caro leitor, a próxima conta de luz, lembre-se desses nomes: Alessandra do Brumado (PPS), Ninho (PP), Denilson Fontoura (PSB), Cuecão (PSB), Betinho (SD); Carlinhos do Brumado (PDT) e Renata Parreiras(PPS).  Os cinco primeiros votaram contra o fim da Taxa Ilegal de Iluminação Pública. Já Carlinhos do Brumado se comprometera junto ao autor do Projeto a “trabalhar pela sua aprovação”. No entanto, manteve-se calado durante as discussões para, no fim, dizer que ia se abster de votar, ou seja, não se posicionou a favor da população. A vereadora Renata Parreiras, que gosta tanto de falar, se manteve muda, também não se posicionando ao lado da população. Na mesma noite, Renata Parreiras discursou contra outros dois projetos de Reinaldo Fernandes, que homenageava duas pessoas simples da cidade, já falecidas: d. Lina, do bairro Santa Efigênia; e Geraldo Bartolomeu, pai de um trabalhador da Câmara, Robson Laia. 
Hideraldo (PSC) disse que se o projeto fosse a Plenário, votaria a seu favor “por causa de como as coisas estão em Brumadinho”. Os demais vereadores (Xodó, Crentinho, Lucas Machado e Aurélio do Pio), não compareceram à reunião.
No mês seguinte, a conta da CEMIG chegará em sua casa, novamente com a Taxa Ilegal de Iluminação Pública. Novamente você deverá se lembrar desses nomes: Alessandra do Brumado, Ninho, Denilson Fontoura, Cuecão, Betinho, Carlinhos do Brumado e Renata Parreiras.  

Manobras

Logo no início da reunião, o então Presidente da Câmara, Henerson Rodrigues de Faria, o Ninho, nomeou para Relatora do Projeto a vereadora Alessandra do Brumado. Ninho nem participara da reunião anterior que discutira por mais de hora e meia o projeto, o que levou o vereador Denilson a “brincar”: “O que você está fazendo aqui?”.
Logo que foi nomeada, Alessandra do Brumado pediu oito dias para Relatar, o que nunca aconteceu na Legislatura nos últimos quatro anos, mesmo previsto no Regimento: era uma tentativa da vereadora para impedir que o Projeto fosse decidido em 2016 e fosse arquivado. Em seguida Alessandra descobriu que não podia ser relatora e a Relatoria foi passada a Denilson Fontoura. Alessandra já tentara anteriormente impedir que o projeto fosse votado, com outra manobra regimental: pedindo informações que já sabia à Prefeitura.
Discursando sobre o projeto, Alessandra do Brumado pediu sua rejeição. Como é de seu costume, a vereadora fez o que em política se chama de “bate e assopra”. Por um lado, falou que a iniciativa do então Vereador Reinaldo Fernandes (PT) era “louvável”, para, depois, insinuar que seria “politicagem” dele.

Cuecão vota contra

Já o vereador Cuecão “mudou” de ideia, ou foi mudado, não se sabe. Na reunião anterior garantiu ao autor Reinaldo Fernandes que ia votar a favor do projeto, mas votou contra. Na mesma reunião não quis votar a favor de outros dois projetos de Reinaldo Fernandes, que homenageava duas pessoas simples da cidade, já falecidas: d. Lina, do Santa Efigênia; e Geraldo Bartolomeu, pai de um trabalhador da Câmara, Robson Laia. 

Vereadores “não dão a mínima” para a população

Em sua argumentação a favor do projeto que acabava com a Taxa Ilegal de Iluminação Pública (ver edição de nº 192 do de fato), Reinaldo Fernandes apresentou aos colegas vereadores um abaixo-assinado com centenas de brumadinenses apoiando o Projeto. Os vereadores não deram a mínima para a população e reprovaram o projeto, ficando a favor da Prefeitura.

Prefeitura arrecada R$ 1,572 milhão por ano e só gasta R$ 516 mil com iluminação pública

Fernandes lembrou aos colegas que a própria Prefeitura informara que arrecada muito mais do que ela precisa para custear a iluminação pública.  Documento do Prefeito Municipal enviado à Câmara registra que a Prefeitura arrecada por mês R$ 131.054,50 (cento e trinta e um mil, cinqüenta e quatro reais e cinquenta centavos) e gasta apenas R$ 43.000,00 (quarenta e três mil reais). Isso quer dizer R$ 1.572.000 por ano contra gastos de apenas menos de um terço, R$ 516.000,00. Reinaldo argumentou que, conforme ele já defendera anteriormente, a Prefeitura explora o cidadão, cobrando dele uma taxa ilegal que deveria ser toda revertida em iluminação pública para a população mas é usada em outros setores, inclusive na corrupção. Mas isso também não tocou o coração dos vereadores Alessandra do Brumado (PPS), Ninho (PP), Denilson Fontoura (PSB), Cuecão (PSB), Betinho (SD), Carlinhos do Brumado (PDT) e Renata Parreiras (PPS).  
Reinaldo Fernandes ainda tentou convencer os colegas de que eles tinham a oportunidade de devolver aos cidadãos de Brumadinho a quantia referente aos oito meses que a população pagou pela Taxa Ilegal sem ter o serviço. Mas isso também não tocou o coração de Alessandra do Brumado, Ninho, Denilson Fontoura, Cuecão, Betinho, Carlinhos do Brumado e Renata Parreiras.  
Documento da própria Prefeitura prova que a Administração arrecada mais de 1 milhão e meio e gasta apenas 516 mil com a iluminação pública: ou seja, a Prefeitura engana e explora a população em sua "ganância arrecadadora", como diria o vice-prefeito Leônidas Maciel 

 Entenda porque a Taxa é ilegal
A Taxa é ilegal porque "a doutrina administrativista, de forma quase uníssona, classifica o serviço de iluminação pública como aquele prestado pelo Estado indiscriminadamente, de forma geral e universal, portanto remunerável apenas por impostos.” Mas a iluminação pública beneficia a coletividade indiscriminadamente’. O Supremo Tribunal Federal decidiu que “o serviço de iluminação pública não pode ser remunerado mediante taxa”, editando, inclusive, a Súmula n° 670, notadamente por se tratar de serviço imensurável, que não atende aos critérios de divisibilidade e especificidade, conforme previsto no art. 145, II, da CF/88 e no art. 77 do Código Tributário Nacional - CTN.

A iluminação pública não é um serviço público específico e divisível, utilizado pelo contribuinte. 

Edição 193Dezembro 2016

Poucas & boas
“Aqui cada um vota do jeito que quiser, e assume as consequências.”

Vereadora Alessandra do Brumado (PPS), em reunião de Comissões da Câmara, depois de questionamento do ex-vereador Reinaldo Fernandes (PT) por ela se ficado contra o fim da Taxa ilegal de Iluminação Pública

Edição 193Dezembro 2016

Informe Publicitário
Ex-vereador Reinaldo Fernandes presta contas
Reinaldo Fernandes encerrou seu mandato no último dia 31 de dezembro. Abaixo, um resumo de algumas de suas realizações durante os quatro anos que esteve na Câmara Municipal. Acompanhe.



Reinaldo termina mandato devolvendo aos cofres públicos / deixando de gastar em torno de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais)

O Gabinete do Vereador Reinaldo Fernandes economizou em torno de R$ 5.850,00 por mês. Reinaldo DEVOLVEU aos cofres públicos ou DEIXOU DE RECEBER em torno de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) nos quatro anos de mandato.
A economia se deveu à luta de Reinaldo contra os privilégios dos políticos. Ao invés de pagar a 5 assessores, Reinaldo manteve apenas 2, suficientes para o trabalho que o gabinete desenvolveu. Outra parte desse dinheiro dizia respeito à “verba de gabinete”, de R$ 450,34 ao mês, que totalizou em torno de R$ 22.000,00 de não-recebimento ao final do mandato.
O Vereador recusou-se também a receber ingressos gratuitos para o Rodeio de 2013, em torno de R$ 200,00 e devolveu um frigobar enviado a cada gabinete, no valor de R$ 769,00.
Além disso, o Vereador recusou-se a receber benefícios de terceiros, como os 10 ingressos gratuitos para o Inhotim, que eram enviados mensalmente aos vereadores, em torno de R$ 400,00, R$ 17 mil ao final do mandato.

Economia com veículos e motoristas

Outra forma de economizar o dinheiro público praticada pelo então vereador Reinaldo Fernandes foi com veículos e motoristas. O petista não utilizou veículo da Câmara que era disponibilizado para cada vereador de forma particular, conforme escala. Considerando o uso uma vez por semana, 200 quilômetros em média, seriam R$ 14.200,00 em combustível até o final do mandato. Considerando ainda o salário do motorista, seriam mais aproximadamente um total de quase R$ 30.000,00. “Mais do que os valores é a importância de se lutar contra privilégios”, diz Reinaldo. “Ter um cargo de poder é muito perigoso, a gente tem que se vigiar, senão entra na onde dos privilégios e começa a ter salários altíssimos, enquanto a população vive de salários muito baixos”, diz o ex-vereador.

Reinaldo devolve todo o material do gabinete

Reinaldo Fernandes deixou a Câmara sem levar para casa nenhum dos materiais de seu gabinete. “O material não era meu, estava sob minha guarda euquanto eu era vereador, por isso devolvi tudo. Não é nada demais, é só minha obrigação”, declarou Fernandes. O material devolvido foi calculado em torno de R$ 3.000,00 (três mil reais), valor que pode variar para cima ou para baixo.
Antes de entregar as chaves do gabinete, Reinaldo devolveu 28 canetas, 12 lápis, 2 lapiseiras,  12 marca-textos, 6 corretivos, 6 réguas, 7 borrachas, 8 apontadores, 4 extratores de grampo, 2 furadores de papel, 4 CDs, 5 grampeadores, 3 estiletes, 1 fita adesiva, 3 colas, 1 tesoura, 1 pincel, 5 pacotes de grampos, 1 caixa de clips, 6 cartuchos coloridos para impressora, 1 calculadora, 1 caixa de alfinetes, 1 tinta para carimbo, 1 carimbo, 2 post-it, 3 suportes para canetas, dezenas de envelopes grandes e pequenos, 3 teclados de computadores funcionando, 3 mouses de computador funcionando, 1 teledone com fio, 1 suporte para gabinete de PC, 3 pacotes de folhas A4, 1 porta-cartão, 1 impressora colorida, 1 impressora preto e branco, 3 tonners, 5 pastas mostarda, várias pastas marrom, diversas pastas plásticas transparentes e 1 pen drive.

O MANDATO EM NÚMEROS:

Reinaldo Fernandes procurou atuar de forma a honrar os votos recebidos nas urnas. Veja abaixo um resumo do mandato em números. 
Mais de 25.540 mil acessos ao blog vereador-reinaldopt.blogspot.com.br
Quase 13.000 (treze mil) acessos ao blog arquivosreinaldopt.blogspot.com.br
Mais de 440 ofícios expedidos e protocolados
67 requerimentos protocolados
80 indicações
24 moções
37 Decretos Legislativos
28 projetos de lei
Mais de 400 emendas a projetos, como a que isentou mais 240 famílias de pagamento de IPTU; as que melhoraram o Fundo Municipal de Cultura; e 105 emendas às LDO’s de 2014, 2015, 2016 e 2017
Em torno de 50.000 (cinquenta mil) e-mails enviados aos cidadãos de Brumadinho.
Dezenas de atendimentos diretos no gabinete em 2013/2014/2015/2016

ESPECIAIS
Luta pelo fim da Tarifa de Esgoto
Emendas importantes ao Orçamento de 2014, 2015 e 2016
"Lei das Reuniões" - reuniões públicas para prestação de contas de cada Secretaria
“Lei que revoga a tarifa de lixo”
“Lei do Cidadão Sustentável”
“Lei que revoga a tarifa de iluminação pública”


Leis propostas por Reinaldo para melhorar a vida de toda a população

Dentro das possibilidades que o Legislativo oferece, Reinaldo foi autor de várias leis para melhorar a vida da população. Entre elas estão a Lei da Transparência, nº 2018/2013, que prevê que, a cada mês, uma Secretaria específica da prefeitura vá até a Câmara prestar contas de seu trabalho; a Lei obriga bancos a oferecerem guarda-volumes e pelo menos dois funcionários atendendo simultaneamente; a lei nº 2.084/2014, que obriga as agências bancárias de Brumadinho a disponibilizarem guarda-volumes para correntistas e não correntistas; Lei Nº 2.025/2013, que proíbe a cobrança Taxa de Esgoto pela COPASA; Lei que revoga lei que concedia isenção de tributos à COPASA; a que determina que os ônibus escolares tenham espaço especial para pessoas portadoras de deficiência física; Lei que determina que os aumentos de passagens de ônibus em Brumadinho sejam decididos pelo Conselho Municipal de Trânsito, e não pelo prefeito; e lei que criou o Prêmio Cidadão Brumadinense Sustentável.

Servidores com lotação garantida
Outras leis propostas por Reinaldo (nº 86/2014 e Lei 2068/2014) garantiram aos Servidores Públicos Municipais que estão exercendo outra função por causa de doença do trabalho a garantida de sua lotação no local de trabalho original. Agora, quando um servidor ficar doente, for colocado para fazer outra atividade, poderá desenvolver suas novas atividades no mesmo local em que é lotado. A primeira delas modifica o Estatuto dos Servidores Públicos de Brumadinho (Lei Complementar nº 39/2004), garantindo que não haverá “perda de lotação” quando o servidor estiver em readaptação funcional. A segunda lei modifica a 1777/2010, Plano de Cargos e Salários.


Redução do salário dos vereadores
Reinaldo apresento Projeto de Lei que propunha a redução do salário dos vereadores de Brumadinho em 15%. A redução nos salários dos vereadores possibilitaria uma economia mensal de aproximadamente R$ 15.000,00, totalizando em torno de R$ 250.000,00 no final do período, que poderia ser aplicado pelo Poder Executivo, minimizando os efeitos do desaquecimento econômico. O Projeto de Lei foi rejeitado pelos vereadores.

Salários mais baixos para vereadores, prefeito, vice e secretários 
A Câmara definiu que o prefeito terá salário de R$ 19.040,95; o vice-prefeito e secretários, de R$ 7.933,72 e os vereadores de R$ 7.480.62. A proposta mantinha dois itens inconstitucionais: o pagamento do 13º salário aos agentes políticos e revisão do valor dos salários em data diferente da data dos servidores municipais.
Reinaldo Fernandes (PT) propôs cinco emendas ao Projeto de Lei, mudando os valores dos salários dos vereadores, prefeito e vice; retirando o 13º ilegal e proibido pela CF; e adequando a forma de reajuste para a mesma data e nos mesmos índices dos trabalhadores da Prefeitura e da Câmara. Todos os vereadores rejeitaram a propostas de Reinaldo. 

Democracia e transparência: Mandato realizou quatro Encontros Ampliados

Fazer um “Mandato Coletivo, Transparente”, com “Participação Popular” e respeitando o “direito à informação” da população. Esse foi o principal motivo que levou o Vereador Reinaldo Fernandes, do PT, a realizar os Encontros do Mandato Coletivo. Os encontros aconteceram em 2013, 2014 e dois em 2015.


Dinheiro e benefícios para entidades de Brumadinho

Reinaldo ajudou entidadesa receberem benefícios do Governo de Minas. A APAE foi contempalda com 30 mil reais; os feirantes receberam kit da da agricultura familiar; a Secretaria de Esportes recebeu vários kits de materiais esportivos.

Palavras de Reinaldo

No último dia 31, encerrei mais um ciclo de minhas atividades políticas em Brumadinho. amos mais um ciclo de Trazemos para você nosso terceiro “Jornal do Vereador Reinaldo”. Durante o mandato, prestamos contas de nossas ações quase que diariamente pela internet, em especial pela rede social facebook. Mas sabemos que muita gente ainda não usa a internet, daí a necessidade de material também impresso.
A prioridade do mandato foi a de agir para melhorar a vida de todas as pessoas que vivem aqui ou que vêm nos visitar. No entanto, procuramos ajudar a todos que nos procuraram, embora buscando não confundir o papel do vereador com outros papéis.
Desde a posse, estivemos firmes na luta para reduzir o IPTU e isentar os mais pobres; para reduzir a conta de luz; acabar com a Taxa de Esgoto e a Taxa de Lixo. Procuramos lutar contra os privilégios, devolver dinheiro aos cofres públicos, discutir os problemas com a Prefeitura e ser muito sério no nosso trabalho, sem se deixar levar por vaidades. Nossa última tentativa foi acabar com a Taxa Ilegal de Iluminação Pública mas, infelizmente, os colegas vereadores, mais uma vez, votaram contra nossa população.
Procuramos, com muito afinco, democratizar a política em Brumadinho.  Transparência foi nossa marca maior, contando para a população o que acontecia na Câmara, divulgando nosso salário, propondo leis e emendando outras para dar transparência aos atos dos políticos de nossa cidade, embora nossa atuação tenha incomodado a algumas pessoas que tentaram cassar nosso mandato. 
Dia após dia, nosso gabinete buscou fazer o trabalho da maneira mais dedicada possível.  Foram mais de 450 ofícios e 65 requerimentos expedidos; 80 indicações para o prefeito; 20 moções apresentadas ao Plenário; 37 projetos de decreto legislativo; 28 Projetos de Lei; participação em dezenas de reuniões com autoridades; secretários e cidadãos de Brumadinho; participação em todas as reuniões conjuntas das comissões da Câmara, até sermos excluído delas; mais de 100 atendimentos diretos no gabinete; mais de 50.000 e-mails enviados para os cidadãos; deixei de gastar ou devolvi aproximadamente R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) da população. 
Foram 105 emendas às LDO’s e dezenas aos orçamentos de 2014, 2015 e 2016; além de mais de quatro centenas de emendas a projetos de leis. O trabalho, talvez, possa ser medido pela quantidade de acessos aos nossos blogs (reinaldodopt.blogspot.com.br e arquivosreinaldopt.blogspot.com.br): somando os dois, são quase 40.000 acessos! 
Agora, é hora de agradecer a população que nos deu essa oportunidade. Esperamos ter honrado cada um dos 518 votos recebidos em 2012.
Grande abraço a todas e a todos!
Reinaldo Fernandes – PT



Férias 2017 - Dicas de viagem
Nossa dica de viagem par estas férias é a cidade de Aiuruoca, aqui mesmo em MG, a uns 350 quilômetros de Brumadinho, via BR 381, sentido SP.  Aiuruoca fica no sul de Minas e tem paisagem um pouco diferente da paisagem de nossa região, com grande presença, por exemplo, de araucárias.
Maior do que Brumadinho (650 km²), e com população de pouco mais de 6 mil habitantes espalhados pelo município, Aiuruoca vive de agropecuária e turismo. O forte da cidade são suas cachoeiras, 43 catalogadas. Acessíveis por veículos em estrada de chão, são cada uma mais bela do que a outra, com destaque para as cachoeiras dos Garcias e a Prainha (100 metros uma da outra), da Fada, do Fundo (hora em meia de caminhada depois do povoado de Matutu); Poço do Joaquim Bernardo (com uma bela cachoeira logo acima e com outro poço de areia muito bom para banho; e muita área para churrasco). No “Pocinho”, há 3 km da sede de Aiuruoca, – entrada a cinco reais – há mais estrutura, com bar, banheiros, sinuca e instrumentos de piscina, a cidade conta ainda com umas 20 pousadas, na sede e na área rural, agência lotérica da CEF, hospital, bares e restaurantes – embora esses com atendimento deficitário. 
E se você não puder ir em janeiro, aproveite os feriados de 2017, que serão muitos. Reserve antes sua pousada e bom proveito!  Abaixo uma galeria com algumas fotos de Aiuruoca.
Cachoeira logo acima do Poço do Joaquim Bernardo


Nota da redação: Fez uma viagem legal? Quer dá a dica aqui no de fato? Entre em contato com a gente: defatojornal@gmail.com e nos envie seu texto e algumas fotos. 

Edição 193Dezembro 2016

Só Rindo
Pego no bar
A mulher entra em uma boate a encontra o marido com outra.
___ Você pode me explicar o que é isto?
___Só poder ser azar, responde ele. 

Mosquitos
Uma criança grita para seu pai:
__ Papai! Não consigo dormir, os mosquitos estão me mordendo.
O pai responde:
___ Bem, filho, apaga luz e durma.
A criança apaga a luz. De repente entra um vagalume no quarto e a criança grita:
___ Pai, agora eles estão procurando com uma lanterna!

Conversa de profissionais
Um advogado e um engenheiro estão pescando no Caribe. O advogado comenta:
___ Estou aqui porque minha casa foi destruída em um incêndio com tudo que estava dentro. O seguro pagou tudo.
___ Que coincidência! Diz o engenheiro. Minha casa foi destruída por um terremoto e perdi tudo. E o seguro também pagou tudo.
O advogado olha intrigado para o engenheiro e pergunta:
___ Como você faz para provocar um terremoto?

Consulta com advogado
Um homem entra em um escritório de advocacia e pergunta os honorários para consulta.
___ Cem reais por três perguntas, responde o advogado.
___ Mas não é um pouco caro?, pergunta o homem.
___ É a tabela da OAB... – responde o advogado. Qual é sua terceira pergunta?


Edição 193Dezembro 2016

Férias no Inhotim com atividades para adultos e crianças
Aprendizado de técnicas artísticas e novos olhares sobre o acervo enriquecem a programação
 
Cristina Iglesias, Vegetation Room Inhotim, 2012, Foto Daniela Paoliello 
Em todos os fins de semana de janeiro acontecem as Oficinas de Verão, nas quais toda a família aprende sobre os acervos do Instituto por meio de atividades lúdicas com os educadores. Durante a semana, o público pode usufruir das visitas panorâmica e temática.
O formato da programação de férias foi ajustado para atividades de duração mais curta. Segundo a supervisora de educação, Lidiane Arantes, “durante a Colônia de Férias, percebemos que os pais desejavam participar da programação com as crianças em atividades mais breves para, posteriormente, conhecerem o Parque. Por isso, adotamos esse novo formato”. Algumas atividades também têm o objetivo de conscientizar os visitantes sobre a conservação do meio ambiente, como explica Lidiane Arantes: “Na oficina de Furoshiki, por exemplo, os participantes vão confeccionar bolsas reaproveitando tecidos. Durante a atividade, vamos conversar sobre consumo consciente”. Ainda de acordo com a supervisora de educação, algumas oficinas foram realizadas nos projetos educativos em 2016. “Queremos que os visitantes também tenham essas experiências, vivenciadas por jovens atendidos pelos projetos do Inhotim”. Todas as oficinas de verão acontecem na Estação Educativa para visitantes, no Centro de Educação e Cultura Burle Marx, onde o público pode tirar dúvidas sobre os acervos do Inhotim e receber sugestões de roteiro pelo Parque.

Confira abaixo toda a programação de janeiro:

Oficinas de verão
Stop Motion:
O objetivo é fazer com que os participantes conheçam mais os acervos artístico e botânico do Inhotim por meio dessa técnica audiovisual. Com o uso de câmera, computador e massinha, os educadores vão ensinar aos participantes todas as etapas de produção de um vídeo de animação stop motion, passando pela elaboração do roteiro, preparação dos personagens, ensaios das cenas e fotografia quadro a quadro.
Quando: 07 e 08 de janeiro (sábado e domingo)
Público: crianças a partir de 10 anos acompanhadas por um responsável e adultos
Horário: 10h30 às 12h30
Local: Estação Educativa para Visitantes
Observações: 10 vagas. Inscrições a partir de 09h30 na Recepção e saída do mesmo local
Atividade gratuita para visitantes

Furoshiki:
O Furoshiki é uma tradicional forma japonesa de embrulhar presentes e transportar objetos, como garrafas e caixas. Nesta oficina, os visitantes vão utilizar um pedaço de tecido e, por meio de técnicas de dobradura e amarração do lenço, criarão bolsas para serem usadas no dia a dia. Além de criativo e versátil, o Furoshiki ainda contribui para a redução do uso de bolsas plásticas e alerta para o consumo consciente.
Quando: 14 e 15 de janeiro (sábado e domingo)
Público: crianças a partir de 10 anos acompanhadas por um responsável e adultos
Horário: 14h às 15h30
Local: Estação Educativa para Visitantes
Observações: 15 vagas. Inscrições a partir de 13h30 na Recepção e saída do mesmo local
Atividade gratuita para visitantes

Cianotipia
Os jovens do projeto Laboratório Inhotim aprenderam, em 2016, essa técnica, que consiste na impressão fotográfica em tons de azul. A cianotipia também é utilizada como ferramenta para a documentação científica, como, por exemplo, nos processos de registro botânico. O público será convidado a descobrir os jardins de Inhotim, produzindo impressões fotográficas a partir de folhas do acervo botânico.
Quando: 21 e 22 de janeiro (sábado e domingo)
Publico: crianças a partir de 10 anos acompanhadas por um responsável e adultos
Horário: 14h às 15h30
Local: Estação Educativa para Visitantes
Observações: 15 vagas. Inscrições a partir de 13h30 na Recepção e saída do mesmo local
Atividade gratuita para visitantes

Stencil em Camiseta
O stencil é utilizado para impressões em superfícies planas. Nesta atividade, o visitante será convidado a personalizar uma camiseta com estampas do acervo artístico do parque. Além de aprenderem a técnica, adultos e crianças vão conhecer mais sobre as obras trabalhadas na oficina, conversando com os educadores.
Quando: 28 e 29 de janeiro (sábado e domingo)
Publico: crianças a partir de 10 anos acompanhadas por um responsável e adultos
Horário: 10h30 às 12h30
Local: Estação Educativa para Visitantes
Observações: 15 vagas. Inscrições a partir de 10h na Recepção e saída do mesmo local
Atividade gratuita para visitantes


Visita temática - “O movimento neoconcreto como ruptura na arte brasileira”
No final da década de 1950, surgiu no Rio de Janeiro o movimento artístico Neoconcretismo, em oposição ao movimento Concretista da cidade de São Paulo. Os neoconcretistas romperam com o excesso de racionalismo e propuseram uma arte mais sensível e subjetiva. Obras de artistas desse movimento como Amílcar de Castro, Lygia Clark e Lygia Pape estão expostas no Inhotim.
Quando: quartas, sábados, domingos e feriados
Horários: 10h30
Local: saída da Recepção
Público: Livre
Observação: 25 vagas, inscrição no local a partir das 10h
Atividade gratuita para visitantes

Visita Panorâmica
A visita panorâmica oferece informações sobre arte e botânica, permitindo que o público tenha uma visão geral sobre o Inhotim a partir de um percurso definido pelos mediadores do Instituto.
Quando: de terça-feira a domingo
Horário: 11h e 14h
Onde: saída da Recepção
Público: Livre
Observação: 25 vagas, inscrição no local a partir das 10h30/13h30
Atividade gratuita para visitantes

Transporte até o Parque
Vans da Oturí, operadora de turismo e eventos do Inhotim
Onde: saída da Loja Inhotim Savassi – Rua Antônio de Albuquerque, 909 – Belo Horizonte/MG
Horários: saída às 8h15, retorno às 17h30
Valor: R$30 por trecho
Como comprar: venda antecipada por telefone (31) 3571-9795
* Desde 2 de janeiro, os veículos saem do Hotel Holiday Inn, localizado na Rua Professor Moraes, 600, Savassi.

Ônibus Saritur
Onde: saída da Rodoviária de Belo Horizonte – Praça Rio Branco, 100 - Centro, Belo Horizonte/MG
Valor: ônibus executivo – R$ 30,15 (ida) e R$ 29,60 (volta). Ônibus convencional – R$ 20,40 (ida) e R$ 19,85 (volta)
Mais informações: www.saritur.com.br


Com informações de Marcelo Martins e Malu Gonçalves, de Inhotim.

Edição 193Dezembro 2016

CuRtaS
Prefeitura de Monte Sião entrega maior empreendimento habitacional da história da cidade
No dia 20/12, prefeito de Monte Sião, João Paulo Ribeiro, entregou 255 casas populares do Residencial São Sebastião. Cerca de mil pessoas vão desfrutar de um lar com estrutura nova, aquecedor solar, quintal, garagem, academias ao ar livre e parque infantil. Após 15 anos, Monte Sião voltou a construir moradias para as famílias que mais precisam, entregando o maior empreendimento habitacional da história da cidade.
O prefeito João Paulo buscou, durante toda sua gestão, a efetivação desse projeto. Trata-se de investimento de mais de R$ 16 milhões.
A futura moradora Valéria Maria de Paula recebeu a primeira chave, representando as demais famílias. O novo bairro foi totalmente asfaltado, com guias, sistema de águas pluviais, iluminação, água, luz, esgoto e sistema de fibra ótica. Além disso, as 255 casas estão isentas do pagamento de IPTU durante cinco anos.

Férias nos museus!
A FEAMBRA (Federação de Amigos de Museus do Brasil - www.feambra.org) dá dicas de atividades nos museus brasileiros no período das férias escolares. Segundo a FEAMBRA, uma boa atividade em Inhotim é a Estação Educativa para Visitantes. Trata-se de: plataforma de acolhimento e apoio ao visitante de todas as faixas etárias. Com objetos de mediação, como miniexposição de materiais educativos, uma coleção biológica (caixa didática de borboletas) e um jogo da memória com o tema “Arte contemporânea em Inhotim”, a Estação Educativa vão oferecerá atividades até o final de fevereiro, gratuitamente, de terças a sextas-feiras, das 10 às 16 horas. Aos sábados, domingos e feriados de 10 às 17 horas. O Inhotim fica na Rua B, 20, Inhotim, ao lado da COHAB, Brumadinho – MG (www.inhotim.org.br).

Cartão de crédito: suicídio financeiro
O Governo Federal anunciou com ênfase a proposta que contém medidas com o objetivo de baixar os juros dos cartões de crédito. Pelo que foi veiculado até o momento, há dois pontos principais: o limite de utilização do crédito rotativo há 30 dias, e, após esse período, disponibilização de alternativas de financiamento para o valor devido e não pago.
Não é possível negar que as taxas cobradas pelas administradoras de cartões de crédito conduzem o consumidor a um verdadeiro suicídio financeiro, pois ultrapassam 400% ao ano. Mas será que essas medidas, por si só, realmente auxiliarão os usuários, como se supõe?
Para a especialista Thaís Cíntia Cárnio, advogada e professora de Direito do Consumidor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em termos fáticos, a limitação de prazo aumenta a possibilidade de que as dívidas transformem-se em uma gigantesca bola de neve, composta, em grande parte, pelos juros. “O que realmente falta ao consumidor é a clara abordagem quanto às regras do jogo: quanto mais fácil o acesso ao crédito, maior a taxa de juros. Basta comparar o que é cobrado nos complexos empréstimos de financiamento imobiliário. Após a entrega de uma pilha de documentos e o cumprimento de dezenas de requisitos, temos algo em torno de 11% ao ano. Muita diferença!”.
A professora lembra ainda que é que a falta de educação financeira transforma consumidores em vítimas da fugaz alegria de adquirir um objeto de desejo tão ansiado, e tão parcelado... Isso aliado ao incentivo das lojas âncoras ao pagamento parcelado de compras em seis, sete, até dez vezes.

A proposta não é ruim, mas é insuficiente. Um bom começo seria o estabelecimento da obrigatória e didática explicação do funcionamento do crédito quando da disponibilização do cartão. Na prática, o que se vê é a entrega impensada desse meio de pagamento, sem adequada análise de crédito e, principalmente, sem a devida preparação do cliente para utilizá-lo.

Edição 193Dezembro 2016

Abono Salarial: está na hora de receber
Veja abaixo o calendário e outras informações

Trabalhadores nascidos no mês de dezembro já podem sacar o Abono Salarial desde o dia 15 do mês. Nascidos em janeiro e fevereiro poderão sacar a partir do dia 19 de janeiro de 2017; já os nascidos em março e abril, poderão sacar a partir do dia 16 de fevereiro de 2017; e os nascidos em maio e junho, a partir de 16 de março de 2017. Os outros trabalhadores já podem receber o Abono desde o dia 28 de julho de 2016. Se você é um desses, e ainda não foi à Caixa Econômica Federal receber, pode fazê-lo até o dia 30 de junho de 2017.
O calendário do Abono da Caixa Econômica Federal é estipulado pelo Ministério do Trabalho em parceria com a Caixa Federal pelo mês de Abril e Maio de 2016. Esse calendário contém todas as datas de pagamentos dos trabalhadores divididas em pagamentos mensais que vão de julho até março do ano seguinte, divididos de acordo com as datas de nascimento dos trabalhadores.
A consulta do calendário pode ser feita no Portal do Ministério do Trabalho, ou pode ser consultada no próprio site da CEF, que contém todos os dados relativos a esse benefício. Veja abaixo a tabela abono salarial 2016, distribuída conforme as datas de aniversário dos trabalhadores.


Calendário de pagamento do PIS 2017 para agências da Caixa:
Aniversário
Pode Sacar em:
Até:
Julho
28/07/2016
30/06/2017
Agosto
18/08/2016
30/06/2017
Setembro
15/09/2016
30/06/2017
Outubro
14/10/2016
30/06/2017
Novembro
21/11/2016
30/06/2017
Dezembro
15/12/2016
30/06/2017
Janeiro e Fevereiro
19/01/2017
30/06/2017
Março e Abril
16/02/2017
30/06/2017
Maio e Junho
16/03/2017
30/06/2017

Valor do Abono Salarial e como fazer o saque

O valor do Abono do PIS é de 1 salário Mínimo, atualmente em R$ 880,00. Para realizar o saque o trabalhador precisa do cartão do cidadão. Esse cartão é feito gratuitamente em qualquer agência da Caixa, e pode ser retirado depois de cerca de 30 dias. O saque do valor do Abono Salarial é feito em agências da Caixa ou em lotéricas, e pode ser feito a partir da sua data do calendário do PIS até o dia 30 de Junho de 2017.

Quem tem direito ao Abono Salarial 2016

Para ter direito a receber o Abono no final do ano, o trabalhador precisa se enquadrar em algumas exigências feitas por lei. Dentre elas:
Para receber o PIS em 2016, o trabalhador precisa ter trabalhado com carteira assinada no ano anterior por mais de 30 dias. Esses dias podem ser consecutivos (no mesmo emprego) ou não (em empregos diferentes, desde que se totalizem 30 dias);
A remuneração do funcionário não pode exceder a faixa dos 2 salários mínimos por mês para se ter direito ao abono salarial;
O trabalho tem que ter sido feito em uma empresa que esteja em dia com a entrega da RAIS para o Ministério do Trabalho. Isso significa que empregadas domésticas, que trabalham com carteira assinada para pessoas físicas, não tem o amparo do Abono Salarial.

O Trabalhador precisa ter inscrição no PIS há mais de 5 anos. Para quem não sabe, a inscrição é feita no momento em que se faz a carteira de trabalho.