Busque em todo o blog do Jornal de fato

Carregando...
Entre em contato conosco: defatojornal@gmail.com / 9209-9899

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Edição 180 – Novembro 2015
Editorial:

Não vai ter golpe!

Não é apenas um desejo, a realidade mostra que não vai ter golpe, como deve ser chamado aquilo que a grande imprensa chama de “impeachment”, essa pomposa palavra que o povo mal sabe pronunciar. “Eduardo Cunha tentou chantagear o PT e quebrou a cara. Acredito que o processo de impeachment a Dilma não tem futuro. Impeachment é mero revanchismo de quem não assume a derrota”, declarou recentemente o teólogo e escritor Frei Betto.
Aliás, por falar em “grande imprensa”, há muito chamada também de PIG – Partido da Imprensa Golpista – é quem anuncia. Levantamento feito pelo jornal O Globo um dia depois de anunciada a possibilidade de abertura do processo mostrou que Dilma tem margem confortável contra impeachment. O jornal ouviu, em 3 de dezembro, líderes dos 17 maiores partidos do Brasil, e comprovou que a Presidenta teria respaldo de pelo menos 258 dos 513 deputados, 86 votos a mais do que os 172 necessários para se manter no cargo.
No dia 8, Cunha deu mais um golpe, desrespeitou a Constituição e o Regimento Interno da Câmara, e, através de votação secreta, aprovou uma comissão favorável ao golpe. Sua chapa, formada pelo PSDB, PPS, DEM, setores do PMDB obteve 272 votos, mas para o impeachment faltam ainda 70 votos. Além disso, a questão será decidida agora no STF, em sessão marcada para o dia 16: o PCdoB entrou com duas ações na corte, uma contra a votação secreta e outra contra a criação da segunda chapa. “Uma decisão espúria diante do que prevê a tradição da Casa e, até, à recentíssima decisão do Ministro Luiz Fachin, do STF, que obrigou à votação aberta da licença para manter preso Delcídio Amaral", disse o jornalista Fernando Brito. Outro jornalista, Ricardo Noblat afirmou: “O governo ganharia, se a votação fosse aberta”.
Se, de um lado, a oposição liderada pelo denunciado Cunha vai cometendo uma arbitrariedade atrás da outra, Dilma vai acumulando apoios. Ainda na semana que Cunha anunciou a possibilidade de Golpe, artistas e intelectuais encabeçados pelo teólogo Leonardo Boff saíram em defesa da legalidade, através de um manifesto. Além de Boff, assinam personalidade importantes como Chico Buarque, Emir Sader, Eric Nepomuceno, Frei Betto, Paulo Betti, Fernando Morais, Chico César e Jorge Mattoso. "Viemos a público repudiar a tentativa de golpe imposta por Eduardo Cunha, por não haver elementos que fundamentem esta atitude, a não ser pelo desespero de quem não consegue explicar o seu comprovado envolvimento com esquemas espúrios de corrupção. Por outro lado”, continua o documento, “defendemos o cumprimento do Regimento da Câmara dos Deputados e da Constituição Federal, ambos instrumentos com fartos elementos que justificam a cassação do mandato de Eduardo Cunha. Caso contrário, toda a classe política e as instituições brasileiras estarão desmoralizadas, por manter no exercício do poder um tirano que utiliza seu cargo de forma irresponsável para manutenção dos seus interesses pessoais."     
Na segunda, 7, Dilma reuniu-se com trinta magistrados que afirmam a ilegalidade do golpe e se mantém ao lado da Presidenta. Na terça, 8, trabalhadores e sindicalistas ligados às centrais sindicais e representantes de movimentos sociais realizaram grande manifestação no centro do Rio em protesto contra a tentativa de golpe.
Já no dia 9, o Supremo Tribunal Federal barrou as manobras de Eduardo Cunha e paralisou o processo até o dia 16 de dezembro, quando tomaria decisão coletiva sobre o assunto.
Ainda vale lembrar que, se há, na sociedade, quem apoie a violação da democracia e das leis, os movimentos sociais já demonstraram que não permitirão o golpe. E haverá a luta se a tentativa de cunha e do PSDB continuar. Afinal, foram 54.501.118 pessoas que votaram em Dilma.       




Edição 180 – Novembro 2015
Vereadores decidem salário dos próximos vereadores, prefeito, vice e secretários

Os atuais vereadores decidiram, no dia 10 de dezembro, o valor dos salários dos próximos vereadores, do próximo prefeito, vice-prefeito e dos secretários municipais. São os vereadores da legislatura anterior, no caso, os atuais, quem definem o salário dos próximos vereadores. Os atuais vão decidir para os que serão eleitos em 2016 e assumem em 1º/1/2017.
Atualmente o salário do vereador é de R$ 7.480,62 (sete mil, quatrocentos e oitenta reais e sessenta e dois centavos), bruto, em torno de R$ 6.000,00 (seis mil reais) líquidos, descontados INSS e IR. Já o prefeito tem salário de R$ 19 mil. Vice-prefeito e Secretários têm salário equivalente ao de Vereadores, embora isso possa variar durante os quatro anos, já que o salário desses últimos não pode ultrapassar os 30% dos deputados estaduais.    

Mesa Diretora apresenta proposta

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Brumadinho distribuiu aos vereadores, em 2/12, o Projeto de Lei que propunha os novos salários. Pela proposta, o prefeito teria salário de R$ 19.040,95; o vice-prefeito e secretários, de R$ 7.933,72 e os vereadores de R$ 7.480.62. A proposta manteve dois itens inconstitucionais. Um deles é o pagamento da gratificação de Natal, popularmente conhecida como 13º salário, aos agentes políticos (art. 3º).
A Constituição Brasileira, em seu art. 39, § 4º, proíbe tal pagamento ao dispor que “§ 4º O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo de QUALQUER gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou OUTRA espécie remuneratória, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, X e XI. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
O outro aspecto inconstitucional da proposta era a data de revisão do valor dos salários (art. 2º). A Mesa Diretora propunha que a revisão fosse feita anualmente, a primeira em dezembro de 2016, o que quer dizer que os salários já podem ser maiores no início de janeiro de 2017, com reajuste pelo INPC de 12/2015 (data da publicação no DOM) a 12/2016. O Inc. X, do art. 37 da C. F., dispõe que “a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices;” (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) 

Emendas do Vereador Reinaldo Fernandes (PT)

O Vereador Reinaldo Fernandes (PT) apresentou cinco emendas ao Projeto de Lei, mudando os valores dos salários do prefeito, vereadores e vice, respectivamente para R$ 10 mil e R$ 4 mil. Além disso, Reinaldo propôs a retirada do 13º ilegal e proibido pela Constituição Federal; e adequando a forma de reajuste ao que dispõe a Lei Maior, Constituição Federal, ou seja, na mesma data e nos mesmos índices dos trabalhadores da Prefeitura e da Câmara, conforme o art. 37, Inciso X, da Carta Magna.
 “Os políticos precisam parar de pensar em salários muito altos, especialmente num momento de crise, de desemprego, de dificuldades da população. Espero também que meus colegas vereadores respeitem a Constituição, mesmo sabendo que os assessores jurídicos da Câmara provavelmente darão opinião a favor do projeto como ele está”, defendia Reinaldo do PT. “Esse é um momento importante para a população dar sua opinião e ajudar os políticos de Brumadinho a entenderem que não podem viver de privilégios um atrás do outro. É o momento correto de a população pressionar os vereadores”, dizia Reinaldo do PT antes da reunião das Comissões Permanentes da Câmara.    

Defesa das emendas

Diante dos vereadores, do Secretário Cérson Machado e de alguns populares que compareceram à Câmara no dia 9 de dezembro, Reinaldo Fernandes (PT) defendeu suas propostas e pediu que os colegas vereadores as aprovassem, chamando sua atenção para os privilégios dos políticos. Mas nenhum vereador se manifestou. Todos votaram contra as emendas, o que se repetiu no Plenário no dia seguinte. 

Enquete aponta salário de até R$ 4.000,00   

Para saber a opinião dos leitores, de olho nos altos salários, o vereador do PT propôs uma enquete em seu blog, com as seguintes opções: R$ 7.480,62; R$ 6.000,00; R$ 5.000,00; R$ 4.000,00; R$ 3.000,00; R$ 2.000,00; R$    890,00  (S. M. corrigido) para 2016; R$ 8.000,00; R$ 10.000,00; R$ outro valor menor do que todos acima; e R$ outro valor maior do que todos acima.
No dia 9, data da discussão, 71% dos internautas apontavam que o salário dos vereadores não deveria passar de R$ 4 mil. Dezenove por cento (19%) achavam quer o salário deveria ser de R$ 3 mil; 11%, de R$ 4 mil; 15% de R$ 2 mil e 19% de R$ 890,00. Apenas 11% concordavam com a proposta aprovada pelos vereadores, de R$ 7480,00. Também apenas 3% achavam que o salário deveria ser maior do que os 7,480. Os dados foram apresentados aos colegas por Fernandes, mas não convenceu a nenhum vereador.




Edição 180 – Novembro 2015

Um levantamento do jornal O Globo, feito no dia 3 de dezembro, mostra que a Presidenta Dilma Rousseff (PT) tem margem confortável contra impeachment. O jornal ouviu líderes dos 17 maiores partidos do Brasil, e comprovou que a Presidenta teria respaldo de pelo menos 258 dos 513 deputados, 86 votos a mais do que os 172 necessários para se manter no cargo. Assim, Dilma teria 50,3% do total da Câmara. A oposição contaria com 182 adeptos, 35%. A margem é considerada confortável quando o assunto é o impeachment.
O jornal aponta que os votos dos 17 partidos cujos líderes aceitaram falar somam 454 parlamentares. De acordo com o levantamento, toda a oposição votará a favor do impeachment: DEM, PSDB, Solidariedade e PPS, que somariam 99 votos. Os partidos PT, PCdoB, PSOL, PDT e Rede se posicionaram contra o impeachment.
Segundo O Globo, a maior incógnita é o PMDB, do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (RJ). "Eu diria que 60% dos peemedebistas são contra o impeachment, 20% a favor e outros 20% indefinidos", afirmou o líder do partido na Câmara, Leonardo Picciani (RJ).
Enquanto a questão é analisada, o governo deve buscar apoio junto aos governadores, inclusive os de oposição, para ver enterrada a discussão o mais rápido possível.
Já os opositores de Dilma torcem para que a crise econômica se agrave. Assim, a oposição acredita que conquistaria apoio popular a favor do golpe.

Edição 180 – Novembro 2015
Orçamento da Prefeitura é uma mentira

O Prefeito Municipal enviou à Câmara o Projeto de Lei que trata do Orçamento Municipal para o ano de 2016. Estão previstos R$ 180.657.000,00 (cento e oitenta milhões e seiscentos e cinquenta e sete mil reais) para arrecadação e despesas. Desses, o Prefeito quer gastar, em pleno ano de eleições municipais, em torno de R$ 36 milhões através de créditos suplementares, sem ter que discutir com a Câmara de Vereadores. Além disso, queria gastar também todos os recursos que vierem de convênio, como os do Governo Federal e Estadual, também sem discutir com os vereadores. Na prática, o Prefeito queria, a partir da total desorganização de sua administração, gastar o Orçamento de qualquer forma, tirando recurso de um lado para outro sem discutir com a Câmara.
O Vereador Reinaldo Fernandes (PT) apresentou uma série de emendas à proposta. Mas na primeira reunião em que o projeto estava na pauta, o Vereador governista Itamar Franco, relator do PL, irritou-se com Fernandes quando o petista defendeu suas emendas e a reunião teve que ser interrompida pela Presidência.  
Além dos velhos problemas da falta de transparência e do autoritarismo de tentar impedir que os vereadores acompanhem os gastos municipais, o Prefeito demonstra que sua Administração não tem um mínimo de Planejamento. Isso fica comprovado ao ser feito uma breve análise da peça orçamentária.

Segurança Pública: adeus Guarda Municipal

A população de Brumadinho anda perdendo noites de sono por causa da falta de segurança, incluídos aí os vários roubos em lojas, casas, e assaltos acontecidos me 2015. A depender da atual administração, os problemas continuarão do esmo tamanho. A Prefeitura reservou R$ 13.400,00 para Segurança Pública. Para se ter ideia da proposta, basta saber que a implantação da Guarda Municipal, criada por Lei, ficaria, só em salários de 2016, mais de R$ 6 milhões de reais. Para “implantação de monitoramento de vias públicas”, por exemplo, estão reservados 200 reais. A proposta da prefeitura demonstra que a Administração do prefeito Brandão (PSDB) não vai implantar a Guarda ou investir em Segurança Pública em 2016.

Adeus moradia de interesse social

A Administração do prefeito Brandão (PSDB) vai fechar seus quatro anos sem conseguir construir sequer uma moradia de interesse social. Nem pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, e nem com recursos do Município. O orçamento reserva apenas R$ 700 reais (isso mesmo: setecentos reais) para o Fundo de Habitação. Desses, R$ 100 são para “material, bem ou serviço para distribuição gratuita” à população de baixa renda. O orçamento deixa ainda outros cem reais para “outros auxílios financeiros a pessoas físicas”. Imagine-se que, se a Prefeitura dividir esse valor com vinte famílias, cada uma poderá receber o valor de R$ 5,00 (cinco reais). Um saco de cimento de 5 (cinco ) quilos custa nove reais. Mas o valor daria para comprar um bloco e meio de concreto vazado.

Construção, pavimentação e conservação de vias e estradas municipais  

Para resolver os problemas das estradas municipais, a Prefeitura reservou nada mais, nada menos do que R$ 200,00.

Alugueis vão continuar

O orçamento da Prefeitura traz, pelo mesmo uma boa notícia para os que alugam lojas, prédios, casas para a Administração. Os aluguéis vão continuar. A não ser que a administração consiga, enfim construir o tão esperado “Centro Administrativo”. O Centro seria construído na saída da cidade, e nele ficariam instaladas todas as Secretarias Municipais e outros órgãos do Governo. Mostrando sua decisão de construir o Centro, a Prefeitura reservou R$ 100,00 (cem reais) para isso. Pelo visto, agora o centro sai do papel.
A Secretaria de Agricultura também, deve, enfim, conquistar mais de um prédio. Na pagina 15 do PL pode-se verificar que a Prefeitura destinou R$ 100,00 (cem reais) para “construção de prédios” para a Secretaria. A Secretaria de Agricultura terá ainda 200 reais para “aquisição de equipamentos”

Pessoas com deficiência: preocupação da administração

No último dia 3 de dezembro comemorou-se o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Na proposta, a Prefeitura demonstra seu total descaso com essas pessoas que necessitam tanto de, entre outras, acessibilidade. Para adaptar os prédios públicos para o acesso de pessoas com deficiência, a Prefeitura reservou R$ 100,00 (cem reais).             

Esporte e Lazer

O Município possui inúmeros campos de futebol dos quais deveria cuidar ou implantar outros. Para isso, a Prefeitura reservou R$ 100,00. Para apoio aos desportistas em “eventos fora do Município” forma reservados 100 reais também. E mais 100 para “construção, ampliação e reforma de quadras e praças de esportes”, como o CEU, na COHAB. Como são apenas 100 reais, a Prefeitura demonstra, mais uma vez, que não pretende construir essa obra tão importante para os moradores da COHAB.   
Já para “Convênio com associações de fomento ao esporte”, a Administração reservou R$ 150.000,00, e mais R$ 639.000,00 (seiscentos e trinta e nove mil reais) para outra entidade que não é da Prefeitura, a Liga Municipal de Desportos.

Cestas de Natal e Concurso Público

O Natal de 2016, mesmo que o atual governo perca ou ganhe as eleições, também será magro. São 100 reais para as cestas. Como são quase 3.000 servidores, é uma média de R$ 0,3 (três centavo) para cada cesta de natal. Já para o Concurso Público, a administração dá mostra de que quer continuar com o apadrinhamento político: reservou apenas R$ 100,00.   

Cultura: associação receberá 400 vezes mais do que o “teatro” municipal 

Os gastos com a Cultura também são vergonhosos. São 400 reais para instalar e fazer manutenção de bibliotecas, assim, no plural; são 200 para aquela coisa ali na quadra que teimam em chamar de “teatro” municipal; 400 para o Centro de Memória. Em compensação, para “implantação do Projeto Coral”, foram reservados R$ 78.300,00, equivalente a 783 vezes mais do que para as Guardas de Moçambique, Congado e Folia de Reis, que ficaram com 100 reais. Como as guardas são várias, cada uma vai receber pra mais de 10 reais. Outra que se deu bem no orçamento da cultura foi a Associação das Cidades Históricas, que vai levar 80 mil reais do Município, 400 vezes mais do que o “teatro” municipal. 
O orçamento é de responsabilidade da Secretaria de Planejamento e Coordenação, SEPLAC. No entanto, segundo o titular da pasta, Gérson Machado, a culpa por um orçamento dessa forma não é sua. O Secretário, que participou da reunião das Comissões Permanentes da Câmara jogo a Culpa para os secretários das outras pastas. Segundo Machado, foram eles e elas que enviaram as atividades e valores de cada secretaria. 

Dinheiro para a Cultura

A prefeitura demonstrou, também, não querer cumprir a Lei do Fundo Municipal de Cultura. A Lei, cuja proposta foi feita pela própria Prefeitura, obriga o Município a publicar, pelo menos, um edital público por ano para atender a artistas locais com projetos culturais. Para o ano de 2015 eram R$ 127.000,00 (cento e vinte e sete mil reais). Para 2016, a Prefeitura propunha 200 reais. Segundo informou o Vereador Reinaldo Fernandes (PT), ele apresentou uma emenda para elevar esse valor de 200 para R$ 200.000,00 (duzentos mil reais). Das emendas propostas por Fernandes, essa foi a única acatada pelos colegas vereadores. Depois do vereador petista, o violonista clássico, André Luis Gomes, representando os artistas locais, também defendeu a emenda na reunião da Comissões Permanentes e pediu que fosse aprovada. A emenda foi aprovada por 5 votos contra um. O Relator votou contra.  

Vereadores terão R$ 10 milhões

Dos R$ 180.657.000,00, R$ 10.000,00 (dez milhões de reais) vão para a Câmara. Como a Casa gasta menos de cinco milhões com folha de pagamento, terá, mais uma vez uma grande quantia para gastar com outras atividades. Para se ter ideia do volume de dinheiro que vai para o Legislativo, pode-se compará-lo com o orçamento de cidades vizinhas. A cidade de Piedade dos Gerais, por exemplo, terá um orçamento de apenas 15 milhões para 2016.   
O PL do Orçamento foi votado na quinta-feira, 10 de dezembro, na sessão do Plenário, com todos os problemas listados acima.


Social

11- Iracema Vieira, Gilmar Paraguai, Andriê Damasceno, 
12- Cláudia Regina Pereira, 
13- Helena Patrícia Las-casas
14- PC do Táxi, Rita (Maria Luiza)
15 Fernanda Chagas (bairro de Lourdes)
16- Zurrma Borsato
17- Maria Clara Marques, Giane Antônia
18- Edilson Sales, o Bagage, Fabiana Vaz
19- Priscila Santana, Vanessa Lascasas, Simara Oliveira Araújo, Simone Brasil
22- Sânia D’Ávila, Claudiana do Carmo
23- Dorinha Parreiras, Simônia Fernandes, Silvania Gomes
24- Geni Coelho, Marcos Amorim, Leonice Medeiros
25- Natalina de Paula
26- Neto Sales, Netinho; Deia de Oliveira, Angela Manjela, Geraldo Sanção (Câmara Municipal), Daniela Parreiras, Ezequiel Oliveira
29- Ana Paula Amaral Souza, Eurico Oliveira Porto


Edição 180 – Novembro 2015
A pergunta que não quer calar
Até agora nem o Supremo, nem o juiz Moro, nem a PF prendeu alguém do PSDB. Quer dizer, prendeu o Delcídio Amaral, que era do PSDB e foi para o PT. Seria o caso de filiar Eduardo Cunha ao PT para ele ser preso?

Edição 180 – Novembro 2015
Brasil da Vergonha: Cunha, o ladrão flagrado, vinga-se em Dilma
Fernando Brito* · 02/12/2015

Eduardo Cunha, perdido, dá seu abraço de afogado no país e aceitou o pedido do PSDB e do Dem – além dos revoltados & cia. – para abrir o processo de impeachment contra Dilma Rousseff.
Cunha, na iminência de perder seu mandato, resolveu ir para o hara-kiri.
Vivemos uma situação monstruosa: um ladrão público, pego em flagrante com suas contas no exterior, erigido em acusador de alguém que, à parte o apoio ou a crítica, não tem contra si uma acusação de desonestidade pessoal.
Embora o STF tenha dado duas liminares sustando as iniciativas de impeachment pelas regras baixadas por Cunha, o ainda presidente da Câmara deu de ombros à Suprema Corte e assumiu os riscos que, para ele, já são nada, agora.
Convenceu-se que só o golpe de Estado pode assegurar o seu mandato, porque será imediatamente recompensado pelos partidos de oposição que antes o apoiavam, passaram a dizer que se opunham e, agora, voltam a bater palmas a ele.
Vamos ver a revoada tucana de volta ao ninho.
Resta saber se o Supremo vai aceitar esta bofetada e, se aceitar, se a comissão da Câmara – e depois o plenário – terão maioria para esta loucura.
Uma oposição canalha e uma imprensa acanalhadamente parcial deram nisso: há um canalha ameaçando a República.

*Fernando Brito, jornalista, foi assessor de imprensa de Leonel Brizola. Texto publicado em 2/12/2015 no blog www.tijolaço.com.br

Edição 180 – Novembro 2015
Opinião
O golpe não é contra Dilma. Não é contra Lula. Não é contra o PT.
Marcelo Zero

O golpe é contra os 54,3 milhões de votos que elegeram a presidenta em eleições livres e limpas. O mandato presidencial a eles pertence. Caso a agressão à soberania popular promovida pelo golpe se concretize, eles é que serão cassados.
O golpe é contra os 42 milhões de brasileiros que ascenderam à classe média, nos últimos 13 anos. É contra os 22 milhões de cidadãos que deixaram a pobreza extrema para trás. É contra as políticas sociais que praticamente eliminaram a miséria no Brasil. Miséria histórica, atávica, contra a qual os representantes do golpismo pouco ou nada fizeram, quando governavam.
O golpe é contra um processo de desenvolvimento que conseguiu tirar o Brasil do Mapa da Fome. Fome secular, vergonhosa, que os golpistas nunca conseguiram saciar. O golpe é para colocar o Brasil no Mapa da Vergonha. 
O golpe é contra a igualdade e pela desigualdade. Os que apostam no golpe também apostam na desigualdade como elemento essencial para o suposto bom funcionamento da economia e da sociedade. Eles apostam na meritocracia dos privilégios.
O golpe é contra a valorização do salário mínimo, que aumentou 76,5%, nos últimos 11 anos. O golpe é pelos salários baixos para os trabalhadores, pois, para os golpistas, salários reduzidos são essenciais para o combate à inflação e a competitividade da economia.
O golpe é contra a geração de 21 milhões de empregos formais, ocorrida nos últimos 12 anos. Quem aposta no golpe aposta num nível de desemprego mais alto, para reduzir os custos do trabalho. Aposta também na redução dos direitos trabalhistas, na terceirização e na volta da precarização do mercado de trabalho.
O golpe é contra a Petrobras e pela Petrobax. O golpe é contra a política de conteúdo nacional, que reergueu nossa indústria naval e reestruturou a cadeia econômica do petróleo. O golpe é contra a nossa maior empresa e tudo o que ela simboliza. O golpe é pela privatização e pela desnacionalização.
O golpe é contra os programas que abriram as portas das universidades brasileiras para pobres e afrodescendentes. O golpe é contra o ENEM e pelo vestibular. O golpe é pela manutenção da educação de qualidade como apanágio para poucos. O golpe é pela privatização do conhecimento. O golpe é contra as novas oportunidades e pelos antigos privilégios.
O golpe é contra o SUS e o Mais Médicos, programa que leva assistência básica à saúde a mais de 60 milhões de brasileiros que antes estavam desassistidos. O golpe é contra a saúde pública e pela mercantilização da medicina. O golpe é contra médicos cubanos e pacientes brasileiros. O golpe é pela doença que rende lucros. O golpe é uma patologia.
O golpe é contra a política externa ativa e altiva. O golpe é contra a soberania e por uma nova dependência. O golpe é contra o Mercosul e a integração regional. O golpe é para desintegrar a projeção dos interesses brasileiros. O golpe é para nos alinhar aos interesses das potências tradicionais. O golpe é contra o grande protagonismo que o país assumiu recentemente. O golpe é para nos apequenar.
O golpe é contra uma presidente honesta e pelos corruptos. O golpe é contra o governo que mais combate a corrupção. Que multiplicou as operações da Polícia Federal de 7 por ano para quase 300 por ano. Que fortaleceu e deu autonomia real a todas as instituições de controle. Que engavetou o engavetador–geral. O golpe é contra as apurações e pela impunidade. O golpe é contra a transparência e a verdade. O golpe é um engodo ético e moral. O golpe é cínico e hipócrita. O golpe é uma grande mentira.
O golpe é contra o futuro e pela restauração do passado. A única proposta do golpe é o golpe.
O golpe é contra a esperança e pelo ódio, para o ódio. O golpe é intolerante. O golpe é mesquinho.
O golpe é contra a grande nação e pela republiqueta de bananas.
O golpe é contra a democracia. Contra o Brasil.
O golpe é, sobretudo, contra você.

Marcelo Zero é sociólogo e especialista em relações internacionais - Texto publicado pelo site Brasil 247, em 24/10/2015

Edição 180 – Novembro 2015
Um eticamente desqualificado manda a julgamento uma mulher íntegra e ética
Leonardo Boff *

O Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, é acusado de graves atos delituosos: de beneficiário do Lava-Jato, de contas não declaradas na Suíça, de mentiras deslavadas como a última numa entrevista coletiva ao declarar que o Deputado André Moura fora levado pelo Chefe da Casa Civil Jacques Wagner a falar com a Presidenta Dilma Rousseff para barganhar a aprovação da CPMF em troca da rejeição da admissibilidade de um processo contra ele no Conselho de Ética. Repetidamente afirmou que a Presidenta em seu pronunciamento mentiu à nação ao afirmar que jamais se submeteria a alguma barganha política.
Quem mentiu não foi a Presidenta, mas o deputado Eduardo Cunha. Seu incondicional aliado, o deputado André Moura, não esteve barganhando com a Presidenta Dilma, como o testemunhou o ministro Jacques Wagner. Vale enfatizar: quem mentiu ao público brasileiro foi Euclides Cunha. Imitando Fernando Pessoa diria: Ele, mentiroso, mente tão perfeitamente que não parece mentira as mentiras que repete sempre.
É mentira que seu julgamento foi estritamente técnico. Pode ser técnico em seu texto, mas é mentiroso em seu contexto. O técnico nunca existe isolado, sem estar ligado a um tempo e a um interesse. É o que nos ensinam os filósofos críticos. Ele deslanchou o processo de impeachment contra a Presidenta exatamente no momento em que, apesar de todas as pressões e chantagens sobre o Conselho de Ética, soube que na votação perderia pois os três representantes do PT acolheriam a aceitação de um processo contra ele, o que poderia, depois, significar a sua condenação.
O que fez, foi um ato de vindita reles de quem perdeu a noção da gravidade e das consequências de seu ato rancoroso.
É vergonhoso que a Câmara seja presidida por uma pessoa sem qualquer vinculação com a verdade e com o que é reto e decente. Manipula, pressiona deputados, cria obstáculos para o Conselho de Ética. Mais vergonhoso ainda é ele, cinicamente, presidir uma sessão na qual se decide a aceitação do impedimento de uma pessoa corretíssima e irreprochável como é a Presidenta Dilma Rousseff.
Se Kant ensinava que a boa vontade é o único valor sem nenhum defeito, porque se tivesse um defeito, a boa vontade não seria boa, então Eduardo Cunha encarna o contrário, a má vontade, como o pior dos vícios porque contamina todos os demais atos, arquitetados para tirar vantagens pessoais ou prejudicar os outros.
Seu ato irresponsável pode lançar a nação em um grave retrocesso, abalando a jovem democracia, que, com vítimas e sangue, foi duramente conquistada. Não podemos aceitar que um delinquente político, destituído de sentido democrático e de apreço ao povo brasileiro, nos imponha mais este sacrifício.
Faço um apelo explícito ao Procurador Geral da República, ao Dr. Rodrigo Janot e a todo o Supremo Tribunal Federal: pesem, sotopesem e considerem as muitas acusações pendentes contra Eduardo Cunha nas áreas da Justiça. Estimo que há suficientes razões para afastá-lo da Presidência da Câmara e que venha a responder judicialmente por seus atos.
A missão desta mais alta instância da República, assim estimo, não se restringe à salvaguarda da constituição e à correta interpretação de seus artigos, mas junto a isso, zelar pela moralidade pública, quando esta, gravemente ferida, pode constituir uma ameaça à ordem democrática e, eventualmente, levar o país a um golpe contra a democracia.
Mais que outros cidadãos, são suas excelências, os principais cuidadores da sanidade da política e da salvaguarda da ordem democrática num Estado de direito, sem a qual mergulharíamos num caos com consequências políticas imprevisíveis. O Brasil clama pela atuação corajosa e decidida de vossas excelências, como ultimamente, tem demostrando exemplarmente.
Leonardo Boff, ex-professor de ética da UERJ. Artigo publicado em seu blog em 03/12/2015

Edição 180 – Novembro 2015
Poucas e Boas
Vivemos uma situação monstruosa: um ladrão público, pego em flagrante com suas contas no exterior, erigido em acusador de alguém que, à parte o apoio ou a crítica, não tem contra si uma acusação de desonestidade pessoal. Uma oposição canalha e uma imprensa acanalhadamente parcial deram nisso: há um canalha ameaçando a República.
Jornalista Fernando Brito

O que fez [referindo-se a Eduardo Cunha], foi um ato de vindita reles de quem perdeu a noção da gravidade e das consequências de seu ato rancoroso.
É vergonhoso que a Câmara seja presidida por uma pessoa sem qualquer vinculação com a verdade e com o que é reto e decente. Manipula, pressiona deputados, cria obstáculos para o Conselho de Ética. Mais vergonhoso ainda é ele, cinicamente, presidir uma sessão na qual se decide a aceitação do impedimento de uma pessoa corretíssima e irreprochável como é a Presidenta Dilma Rousseff.
Seu ato irresponsável pode lançar a nação em um grave retrocesso, abalando a jovem democracia, que, com vítimas e sangue, foi duramente conquistada. Não podemos aceitar que um delinquente político, destituído de sentido democrático e de apreço ao povo brasileiro, nos imponha mais este sacrifício.
Frei Leonardo Boff, teólogo, ex-professor de ética da UERJ, sobre Eduardo Cunha e a liberação para que uma Comissão Especial discuta se abre ou não impeachment da Presidenta Dilma.

“Tudo tem o seu lado bom. Até as nuvens mais negras têm seu lado ensolarado. As pessoas, principalmente as pessoas petistas, que não encontram nada para comemorar nos dias que passam, é porque não procuraram o bastante. Tomem a rejeição das contas do governo Dilma pelo Tribunal de Contas da União, por exemplo. Ao mesmo tempo em que soubemos da condenação, soubemos que a última vez que o TCU rejeitou as contas de um governo foi em 1937. O que significa que durante, deixa ver, 78 anos, nenhum governo brasileiro teve suas contas questionadas ou, em alguns casos, sequer examinadas pelo TCU. De 1937 até agora, para o grande orgulho cívico até do PT, todos os nossos governos foram de uma irretocável lisura fiscal. E ainda dizem que brasileiro não sabe votar!”
Escritor Luís Fernando Veríssimo, ironizando a perseguição do TCU ao PT.

“Especulou-se que os três petistas no Conselho de Ética que decidirá sobre a cassação ou não do Eduardo Cunha apoiariam Cunha, a pedido do Planalto, para que ele não aceitasse a proposta de “empixamento” da Dilma. Se a barganha fosse adiante, só restaria ao PT fechar suas portas, entregar as chaves e ir fazer artesanato. Mas não era verdade: os três petistas anunciaram que votariam contra o Cunha, que retaliou detonando o processo de cassação da presidente, que negou ter pensado na troca aviltante, o que preservou o mínimo de coerência necessária para um partido continuar a existir. E é outra razão para se comemorar, em meio ao mau tempo.”
Do mesmo Luís Fernando Veríssimo


Edição 180 – Novembro 2015
Vereadores homenageiam brumadinenses

A Câmara Municipal de Brumadinho realizou “Sessão Solene de Outorga de Títulos, Medalhas e Diplomas”  para prestar homenagem a dezenas de cidadãos. A sessão especial aconteceu no dia 20 de novembro. No total, foram homenageados 451 cidadãos. Vários vereadores prestaram homenagens.  
Entre os homenageados estavam Vitor José de Oliveira, o Vítor Carapuça, que recebeu a Medalha de Mérito Legislativo; Professora Ivani Ferreira (Medalha do Mérito da Educação); Rafael Barros Pereira Pinheiro (Medalha do Mérito Estudantil); Roberto Caldeira Barros, o Roberto Brigadas, de Casa Branca (Medalha do Mérito Filantrópico); Marcos Antônio do Carmo, o Markin Pinta (Título de Cidadão Benemérito do Município de Brumadinho); José Márcio Romualdo Silva (Medalha do Mérito Desportivo); Maria Cândida Viana da Costa e Silva (Título de Cidadã Honorária do Município de Brumadinho) e Marcio Roberto Ferreira Lima, o cantor e compositor Marcio Nagô (Diploma de Honra ao Mérito).
Foram ainda homenageados Norberto Giovanni Ribeiro, de Casa Branca; Agostinho Dias Lacerda, Maria de Lourdes Rosa, Mardocheu Parreiras, Rita de Cássia Campos Nicácio, Roberta Garcia e Valéria Antônia Carneiro (Título de Cidadania Honorária); José Ernesto, Lútio Agostinho Cândido, Ney José da Silva, Senita da Silva Santos (cidadania benemérita); Escola Paulina Aluotto, Terezinha Fernandes do Carmo, Zélia Maria Ribeiro (Mérito da Educação); Antônio Patrocínio Moreira (Mérito Legislativo); Casa de Recuperação Ebenezer, Deixa que eu chuto e Sirlei de Brito Ribeiro (Mérito filantrópico), Leonardo Magalhães Rezende Amorim, Ernaine Junior do Carmo e Wesllei Raimundo Ribeiro (Mérito Estudantil); Jesus da Silva Rosa e Júlio César Diniz Murta, o César da sorveteria (Mérito Desportivo). Ainda foram homenageados, com o Diploma de Honra ao Mérito, Amélia de Medeiros Rinco, José Moreira de Andrade, Roberto Matozinhos e Nilza Conceição Pinto Geralda. 

Articulista do jornal de fato também é homenageado

Outro homenageado da noite foi o Professor Armindo dos Santos de Souza Teodósio, o Teo. Teo é articulista do jornal de fato, espaço que usa para defender mais cidadania e democracia para além dos discursos. Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da PUC Minas, Teodósio recebeu a Medalha do Mérito da Educação. Acompanhado de sua esposa e de sua mãe, Dona Eunice, Teo recebeu abraços e os parabéns pela homenagem. “Vim aqui só para dar um abraço no Teo”, confessou o amigo Wilson Maciel, na infância, que estudou com Armindo dos Santos e de quem é amigo até hoje.
     


Edição 180 – Novembro 2015
Brumadinense lança livro no dia 19

O professor, vereador, poeta e Editor do Jornal de fato, Reinaldo Fernandes, recebe amigos, familiares, alunos e ex-alunos no dia 19 de dezembro no Espaço Casa Nova, ali na saída da cidade, próximo ao trevo. Fernandes lança o livro “Sob Suspeita”, a partir das 20 horas. 
Desta vez escrevendo crônicas, Reinaldo Fernandes volta à cena literária depois do livro de poesias “Trilhas” (Editora por ora), lançado em 1996. “Sob Suspeita” sai pela Editora Poesias Escolhidas.
“O professor brumadinhense Reinaldo Fernandes escreve crônicas magníficas sobre o cotidiano em Minas que vão provocar risos no mais irascível dos homens”, diz a página do livro na rede social facebook, preparada pela Editora (https://www.facebook.com/SobSuspeitaOLivro/?fref=ts).
Durante, e logo após o lançamento, o bar e pizzaria estará funcionando. A entrada é franca e o consumo no bar é por conta de cada pessoa. Segundo o autor de “Sob Suspeita”, logo após o lançamento a festa continua: deve acontecer um sarau, “Willas Fernandes convida”. Sob o comando do cantor e músico, os amigos artistas presentes darão “uma palinha”, como se diz na gíria artística. 


Edição 180 – Novembro 2015
Saiu no DOM
R$ 6 milhões para Casa Branca, Aranha e Bananal
PREFEITURA MUNICIPAL DE BRUMADINHO/MG – O PREFEITO MUNICIPAL DE BRUMADINHO TORNA PUBLICA A HOMOLOGAÇÃO DA CP 004/2015 – VENCEDOR: CADAR ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA – OBJ: EXECUÇÃO DE OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS AVENIDA VIGILATO BRAGA NO CENTRO E RUAS NOS DISTRITOS DE CASA BCA E ARANHA – VLR: R$ 6.332.083,83 (SEIS MILHÕES, TREZENTOS E TRINTA E DOIS MIL, OITENTA E TREIS REAIS E OITENTA E TREIS CENTAVOS)

R$ 73 mil para Dragagem Comércio e Transportes
CÂMARA MUNICIPAL DE BRUMADINHO/MG: Extrato do Contrato nº 33/2015. Contratante: Câmara Municipal de Brumadinho. Contratado: Arvel Dragagem Comércio e Transportes Ltda-ME. Objeto: contratação de empresa especializada para a prestação dos serviços de recuperação, reparos, impermeabilização e proteção térmica e acústica das coberturas da Sede da Câmara Municipal de Brumadinho. Valor Global: R$ 73.077,50 (setenta e três mil e setenta e sete e cinquenta centavos). Período: 60 dias contados a partir da publicação do resumo do contrato.

Edição 180 – Novembro 2015
Orçamento Participativo da Prefeitura
Incompetência ou Má-fé?
Prefeitura transforma reunião do OP em bagunça; retira obras aprovadas nas reuniões anteriores; inclui obras que não forma aprovadas; apresenta orçamentos suspeitos

Aconteceu no dia 24 de novembro a reunião final do Orçamento Participativo. Mas o que era para ser um ensaio de participação popular foi transformado numa bagunça pela Secretaria de Planejamento r Coordenação. O titular da Secretaria, Cérson Machado, e Jayme Wilson (PSDB) coordenaram o que pode ser chamado de um arremedo de OP. Na fala de um morador de Coronel Eurico, estavam “fazendo a população de palhaços”.
As reclamações tinham fundamento. Por pura incompetência, ou por má-fé mesmo, Cérson Machado e Jayme Wilson, coordenadores do OP, cometeram uma série de atitudes autoritárias, equivocadas e desastrosas.

Discriminação aos moradores do Santa Efigênia, Lourdes, Carmo e Soares

Cérson Machado e Jayme Wilson excluíram pelo menos quatro obras propostas e aprovadas na reunião do Distrito Sede. O bairro Santa Efigênia, um dos maiores, dos mais tradicionais e dos mais antigos bairros de Brumadinho foi novamente discriminado. A praça aprovada para o bairro foi cortada por Cérson Machado e Jayme Wilson. Eles alegaram que era “obra sem previsão orçamentária”. A reunião era exatamente para incluir as obras no Orçamento. Os representantes do Prefeito Brandão (PSDB) alegaram ainda que a obra necessitava “de um estudo de projeto pela SMOSP”.  
Outra obra proposta e aprovada na reunião do Distrito Sede que foi retirada do OP por Cérson Machado e Jayme Wilson foi a instalação de uma Academia de Ginástica ao Ar Livre no Bairro do Carmo. Segundo representantes da Prefeitura, a academia para os moradores do bairro do Carmo é “de responsabilidade do Ministério da Saúde”, e não poderia ser do OP.
Mas representantes do Prefeito Brandão não pararam aí! Eles excluíram também a construção de nova ponte na estrada principal na entrada de Soares. Vários moradores de Soares, que depois de um dia de trabalho se esforçaram para participar da reunião, ficaram decepcionados. Cérson Machado e Jayme Wilson alegaram que a obra não poderia ser votada no OP porque não havia “previsão orçamentária”. A discussão era exatamente sobre o orçamento. Alegaram ainda que a obra necessitava de “projeto e licenças ambientais”. No entanto, os dois entraram em contradição, pois admitiram outra obra de ponte, essa para a localidade de Coronel Eurico.

Rede de esgoto para o bairro de Lourdes

O Secretário e o Coordenador do OP impediram também que outra obra importante proposta e aprovada anteriormente fosse votada. Trata-se da construção de 150 metros de Rede de Esgoto para moradias da parte de baixo da Rua Lízio Pacífico Homem de Andrade, próximo às ruas José da Silva Fernandes e José Nem de Figueiredo Neto. Ali fica localizada a Casa da Criança da Prefeitura. Cérson Machado e Jayme Wilson disseram que a obra é “de responsabilidade da COPASA”. E decidiram deixar as crianças cheirando cocô o dia inteiro!
Para impedir que a rede de esgoto fosse escolhida, Cérson Machado e Jayme Wilson usaram um argumento muito ruim e falacioso, pois a obra esteve presente no Orçamento do município em 2013 e 2014, e, por mais de uma vez, foi prometida pela Secretaria de Obras e Serviços Urbanos, sem ser realizada. É como se o Secretário e o Coordenador dissessem que é proibido ao Município fazer rede de esgoto, o que é falso, como se pode verificar na Lei Orçamentária de Brumadinho.
As obras tinham sido propostas pelo Vereador Reinaldo Fernandes (PT) na reunião do distrito Sede.

Obras fantasmas incluídas

Curiosamente, ao mesmo tempo em que excluíram obras legitimamente aprovadas na reunião do Distrito Sede, onde eles, Cérson Machado e Jayme Wilson, estavam presentes e não questionaram em momento algum as obras aprovadas, os dois acrescentaram obras que não foram discutidas na reunião. O acréscimo dessas obras levou os presentes a desconfiarem de que estariam tentando beneficiar alguns “amiguinhos” ao incluí-las arbitrariamente, sem que tivessem sido aprovadas pela população.
Mas o absurdo não parava aí: os dois incluíram até obra “fantasma”, como “reforma do campo Society Salgado Filhos”. Moradores do bairro, presentes à reunião, denunciaram que nunca houve campo society no bairro Salgado Filho.
   
Valores questionáveis ou inventados

A impressão que se teve dos valores das obras apresentados por Cérson Machado e Jayme Wilson foi a de que não houve  a necessária seriedade no levantamento dos custos. Ou que “chutaram” os valores das obras. Indignado, um morador de Coronel Eurico reclamava dos valores referentes a apenas 800 metros de calçamento.   
Outra moradora, essa de um condomínio, apontava que a mesma obra apareceu em dois lugares, mas com valores diferentes. E prometeu recorrer das decisões da reunião.
Já no grupo da Sede, o valor de uma obra proposta pelo Vereador Reinaldo e aprovada na reunião do Distrito foi motivo de chacota pelos presentes. Era a construção de um pequeno banheiro no Estacionamento Público, na entrada do bairro São Conrado, para uso dos motoristas que trabalham de aluguel e ficam estacionados ali. A obra foi orçada em R$ 60.000,00 (sessenta mil reais). “Deve ser com banheira de hidromassagem”, gozou uma moça bem humorada que participava da reunião.

Ponto positivo

O ponto positivo da reunião foi a vontade da população em participar e influenciar nas decisões do Município. Mais de cem pessoas, de vários cantos de Brumadinho, compareceram à Câmara, sedentas por melhorar o local onde moram.
Lamentável foi o fato de a Prefeitura não tratar o Orçamento Participativo com a seriedade e honestidade que ele merece. “Ao discriminar bairros como Santa Efigênia e Soares, a Administração comete um erro grave, porque não se deve fazer isso com as pessoas; ao agir de forma autoritária, excluindo propostas legitimamente aprovadas pelo coletivo, e incluindo outras que não foram aprovadas, a Prefeitura explicita sua face antidemocrática”, disse o Vereador Reinaldo Fernandes (PT), que fizera ampla propaganda da reunião e convidara os moradores para participarem.
      
Soares é discriminado pela Prefeitura
Na reunião que decidiu as obras do OP (Orçamento Participativo), bairros com o Santa Efigênia, Carmo, Lourdes e Soares foram discriminados pela Prefeitura com argumentos questionáveis, do tipo “obra sem previsão orçamentária”. Os moradores de Soares, que depois de um dia de trabalho se esforçaram para participar da reunião, ficaram decepcionados. E eles tinham razão.
O que Cérson Machado – Secretário de Planejamento - e Jayme Wilson (PSDB), coordenador da Comissão do OP fizeram foi o que se chama de usar “dois pesos, duas medidas”, pra não dizer que foi pura má-fé.
Para o Soares, Cérson Machado e Jayme Wilson disseram que o problema da ponte, que está caindo aos pedaços, não podia ser resolvido. Alegaram que a obra não poderia ser votada no OP porque não havia “previsão orçamentária”, e que a obra necessitava de “projeto e licenças ambientais”. No entanto, para outros moradores, o mesmo argumento não valeu.
Diz a ata da reunião, publicada no DOM – Diário Oficial do município – do dia 25 de novembro: “Ata da última audiência pública do Orçamento Participativo, instituído pela Lei 2088/14, regulamentado pelos decretos 169 e 170/15 e pela portaria nº 001/2015, (...) foram escolhidas e votadas as obras/investimentos (...) ampliação e reforma da ponte em Coronel Eurico, no valor orçado de R$ 145.000,00 (cento e quarenta e cinco mil reais) ...”
A discriminação soa de forma estranha. Se todos pagam seus impostos e vivem na mesma cidade, por nenhuma razão, a Prefeitura deveria discriminar este ou aquele bairro. “A ponte no local é de madeira, não possui corrimão para os pedestres, e nela passa apenas um veículo de cada vez. Recentemente os moradores denunciaram o estado precário da ponte, com madeiras se soltando, furando pneus de carros, correndo o risco de que os veículos caiam no rio Águas Claras. Espero que a Prefeitura repense o que está fazendo com a população de Soares e não deixe para consertar a ponte depois que acontecer uma desgraça”, disse o Vereador Reinaldo Fernandes (PT), autor da proposta que foi descartada por Cérson Machado e Jayme Wilson, o que impediu de ser discutida e votada na reunião do dia 24.

Edição 180 – Novembro 2015
Só Rindo
Meuuuuu Deeeeeeeeeeus
Quatro mães católicas estão tomando um chá. A primeira mãe, querendo impressionar as outras diz: 
- Meu filho é padre. Quando ele entra em qualquer lugar todos se levantam e dizem:  "Boa tarde, Padre!" 
A segunda mãe não fica para trás e comenta: 
- Pois meu filho é bispo. Quando ele entra em uma sala, com aquela roupa, todos param o que estão fazendo e dizem: "Sua bênção, Bispo!" 
A terceira mãe, calmamente, acrescenta: 
- Pois o meu é cardeal. Quando entra em uma sala todos se levantam, beijam o seu anel e dizem: "Sua bênção, Eminência!"
A quarta mãe permanece quieta... Então, a mãe do cardeal, só para provocar, pergunta:
- E o seu filho, não é religioso?
A quarta mãe responde: 
- Meu filho tem 1,90 m, tem olhos verdes, bronzeado e pratica musculação. Quando entra numa sala, todo mundo olha e diz:
_ Meeeeeeeeeeeeuu Deeeeeeeeeeuuuuuuuuuuuuuusssssssss!!!!!!! 

Brochura
O caipira entrou no consultório e meio sem jeito foi falando:
- Doutor, o negócio não sobe mais.  Já tomei de tudo quanto foi chá de planta mas não sobe mais messs!
- Ah não, meu amigo. Vou te passar um medicamento que vai deixar você novo em folha. São cinquenta comprimidos, um por dia.
- Mas doutor, eu sou um homem simples da roça.  Só sei contar até dez nos dedos e mais nada. 
- Então você vai numa papelaria, compra um caderno de cinquenta folhas. Cada folha um comprimido. Quando o caderno acabar você já vai estar curado.  A receita está aqui.
- Brigado, doutor. Vou agora messss comprar o tal caderno.
E logo que saiu do prédio avistou de fato uma papelaria ali perto.  Entrou, a moça veio atender.
- Eu precisava de um caderno de cinquenta folhas.
- É brochura?
- Médico disgramado!  Já andou espaiando meu problema por aí.

Mulher não gasta, investe
A mulher passeava de carro e, ao parar no sinal, foi abordada pela mendiga, muito suja, de péssima aparência, que lhe pediu dinheiro para comida. 
Ela pegou R$ 50 e perguntou:
- Se lhe der este dinheiro, você vai sair com amigas e gastar tudo?
- Que é isso, dona, não tenho amigas, moro na rua...
- Não vai sair pelas lojas gastando?
- Nem entro em loja, porque não deixam. Só gasto só com comida!
- Não vai ao salão fazer cabelo e unhas? 
- A senhora tá maluca? Nem sei o que é salão... 
- Bom, vou te dar dinheiro, mas entre no carro que você vai jantar comigo e meu marido.
A mendiga retruca:
- Mas teu marido vai ficar furioso! Não tomo banho há tempo, estou imunda e fedorenta...

- Não faz mal, quero que ele veja como fica a mulher quando não sai com amigas, não faz compras, nem vai ao salão!!!